SRVF – Volume 1 – Capítulo 25



Muito bem, agora precisarei escolher as minhas disciplinas! — Eu estava pensando nisso enquanto trabalhava na construção da sala do clube.

Primeiramente escolhi Herbologia, então a próxima deveria ser…

Creio que, criar lindos porquinhos na disciplina de Criação de Animais para depois comê-los, seria doloroso, mas acredito que essa seria uma boa opção. Afinal, eu queria comer das melhores carnes.

Artes Marciais, não. Percebi que essa disciplina seria muito estressante no momento em que vi uma garota muito maior que eu, andando pelo campus, o que me deixou congelado na mesma hora. Tive certeza que alguma coisa daria errado e, com certeza, aquela garota… não poderia ser uma garota.

Acho que deveria experimentar Ciência Médica amanhã, embora Direito também soe interessante.

— Presidente.

— Hmm?

— O Senhor irá se machucar se ficar no mundo da lua.

— Ah, é verdade, obrigado.

Eu deveria seguir o conselho desse membro do clube, mas, quem é esse cara mesmo? Hmm… acho melhor prestar mais atenção na lista de membros, caso contrário, quando precisasse chamar alguém do clube e tivesse que dizer algo como “Ei, você aí”, seria decepcionante.

A construção da sala do clube (Castelo) estava indo bem. Todos têm trabalhado com entusiasmo e os construtores que vieram do território de Thomas-kun, eram realmente mestres no que fazem.

Falando em pessoas que têm aparecido… sim, ela está aqui. Mary-san tem vindo aqui assistir a nossa construção com bastante frequência e, em apenas dois dias, ela conseguiu se misturar com o grupo como se já fizesse parte dele desde o início.

Como sua aparência estava em um nível que poderíamos chamá-la de beldade, isso tem sido uma motivação a mais para os membros masculinos, afinal, quem não gostaria de mostrar o seu melhor para uma mulher bonita, não é mesmo? Mas deixando isso de lado, fiquei contente por tê-la convidado para vir ao clube. Ela estava feliz e nós também estávamos, era isso o que importava.

Enquanto eu pensava em tais coisas triviais, percebi um outro membro do clube correndo desesperadamente em minha direção. Obviamente, não consigo lembrar seu nome, mas conheço seu rosto, então, não havia dúvida de que se tratava de um membro.

— Presidente!!!

Tenho um mal pressentimento.

Eu poderia dizer, pela sua expressão facial, que seria uma conversa desagradável .

— Respire fundo. Então, explique calmamente o que houve. — Quero dizer, ainda preciso de uns instantes para preparar o meu coração. Sinceramente, espero que seja algo trivial.

— Fu~, posso haa…ter um momento?

— Respire de novo.

— Sim.

— Fu~ Aquela Eliza Deauville está vindo para cá com uma cara bem feia! Os Quatro Reis Celestiais também não parecem nada felizes!

Ei, tá de brinks não é!!? Deve ser algum engano, não é mesmo!? Por favor, me diga que é um engano!!!

Quem foi o idiota que invocou a Deusa da Fúria!!?

Os membros ao redor, ao ouvirem a notícia, pararam seus trabalhos e começaram a me olhar com a face pálida.

Enquanto os lobos se aproximam, as ovelhas começam a se agrupar.

Quem será sacrificado por eles? … obviamente, serei eu.

O olhar de Eliza estava cavando buracos em mim, enquanto seus vigorosos passos ecoavam na região. De fato, o clima que deveria estar soprando ventos quentes, começou a esfriar do nada. Ainda assim, mas que mulher — NÂO! Como posso estar pensando em algo assim num momento de crise!?

Por favor, cho, cho! Dê meia volta! Não se aproxime! Vá embora! Apesar de saber que não teria efeito, vamos tentar rezar um pouquinho…………………. e é claro, foi tudo em vão.

Eu me pergunto se é assim que uma ovelha se sente, quando sabe que será morta e comida crua por dois maníacos em uma campina. Eu não pretendo correr, mas se qualquer um o fizer, não vou culpá-lo por isso.

Mas, nossa, que aura assustadora, Eliza-san.

Wow, somos um grupo patético de ovelhas. Será que minhas ovelhinhas não sabem que seus olhares também doem? — Eu podia sentir a pressão vindo por detrás de mim.

Hmm, por que será que ela estava tão brava? O idiota que causou isso, vai ter de ouvir poucas e boas de mim.

— Saudações, Kururi-sama. — Interrompendo suas seguidoras, que estavam prontas para agir, Eliza me cumprimentou.

A Eliza que estava parada diante de mim era… um mulherão, mas, au, eu estava sentindo uma forte azia. Provavelmente não poderei comer nada durante o resto do dia.

— Oi Eliza, por que essa cara tão assustadora? Até parece que estou recebendo um pedido para um duelo. Meu estômago não suporta esse tipo de pressão, sabe?

— Kururi-sama, por favor, pare com suas piadas sem graça.

*Kiritsu* Eu podia sentir como se uma lâmina estivesse sendo desembainhada, de seu olhar. Seus olhos afiados pareciam cavar buracos em mim.

— Uwah, seja lá o que esteja lhe incomodando, sinto muito por isso. Você poderia nos desculpar? — Decidi que o melhor seria pedir desculpas sinceras.

— Meu único assunto é com a Merime-san.

— Merime-san? — Ah, a Mary-san!

Oh… mas ela não havia sido expulsa dos Quatro Reis Celestiais?

— Você tem algo a tratar com ela?

— Nada demais, ela inclusive já não faz mais parte do meu círculo social, no entanto, recentemente ela tem sido bastante rude comigo. Como ela pode entrar em um novo grupo sem me consultar antes? Isso é lamentável.

—Oh, é assim mesmo?

Quem invocou a Deusa da Fúria fui euuuuuuuu!!!!!!!!

Me perdoe!!! Por favor, não me persiga!!!

— Merime-san? — Ela disse com uma voz aparentemente gentil, mas, por alguma razão, senti calafrios disso.

— … Sim. — Em um tom que não era mais do que um murmúrio, Merime veio correndo até a Eliza.

— Bem, o que você tem a dizer sobre isso, Merime-san?

— Eu… — Ela parecia que iria chorar a qualquer momento.

Que infernos, EU é que quero chorar. Eliza-san, você é muito assustadora!

— Presidente!

— Presidente!

— Kururi-san!

— presidente!

Alguns membros então chamando por mim. Não posso permitir que a loba leve a pequena novilha do bando, entendo esse sentimento, sei que é doloroso, mas nunca pensei que a Eliza fosse assim tão intimidante.

Meus ancestrais provavelmente caçaram centenas de lobos no passado, então não deve ser tão difícil assim.

…Fu.

— Eliza, espere. O que pretende fazer com ela? — Apertando meus punhos, eu abri a boca.

Voltando seu frio olhar para mim, quase pude ouvi-la dizendo, “Não é da sua conta”. Ainda assim, me pergunto se era pelo fato de que já sabia o que ela iria dizer, que consegui encara-la de volta. — Ugh, minha azia… eu realmente quero fugir daqui, sabia?

— Obviamente estarei punindo-a. Não é natural disciplinar o cão que mordeu a mão que o alimenta? Você deve saber que o mesmo se aplica aos seus subordinados, não é mesmo?

— Não, eu quero que você me diga especificamente, como planeja puni-la.

— E o que te importa¹? Você não tem qualquer relação com ela.

— Isso não é verdade, a Merime faz parte do meu clube agora, então será problemático para mim se você apenas leva-la sem pedir minha permissão.

— Eu me pergunto, será que Kururi-sama está entendendo mal alguma coisa?

Droga, o olhar de Eliza está bastante afiado hoje. Eu quase quero me contorcer de dor aqui. Faça seu melhor, Estomago-kun!

— Bem, porque não perguntamos a pessoa em questão?

— Eh!? — A Merime fez uma cara de quem não era mais capaz de conter o choro.

— Então, Merime-san, nos diga a qual grupo você pertence? A mim? Ou ao Kururi-sama? Qual a sua resposta, Merime-san? — Havia uma forte tenção em suas, aparentemente, gentis palavras.

Rompendo seu limite, as lágrimas começam a jorrar de sua face.

— *Hick* S- sim… eu sirvo apenas Eliza-sama!

— Veja, a Merime-san o disse por si mesma. Você ainda tem qualquer objeção a isso, Kururi-sama? — Sem esperar a minha resposta, ela e sua gangue se viram e retornam por onde vieram, juntamente com a Merime.

A tempestade se dissipou, com o sacrifício da novilha.

— Presidente (Bucho)!

— Kururi-san!

— Presidente (Bucho)!

— Enfermeira (Fucho lol?)!

— Presidente (Bucho)!

— Presidente (Bucho)!

Parece que os membros do clube subitamente retornaram a realidade. Eu olho para a face de todos e seus rostos me dizem que eles não conseguem aceitar isso.

…Eu sei, estou sentindo o mesmo. Vocês me pegaram…. e, ei, quem foi que me chamou de enfermeira?

— Aguarde um instante, Eliza!— Gritei alto o suficiente para que ela me ouvisse. Não havia a menor possibilidade que eu deixasse outra ovelha morrer assim.

Eliza parou. Seu aborrecimento era claro, inclusive suas seguidoras congelaram no local, enquanto a Merime-san se escondia atrás de mim.

Acho que a essa altura era desnecessário dizer isso de novo, mas, a Eliza é assustadora com o inferno!!!

Nós éramos apenas um bando de ovelhas acuadas.

— Eliza, você precisa entender melhor os sentimentos das pessoas, seus pensamentos e dores. Não se pode fazer isso com alguém!

— O que? Você ainda não consegue entender? Deixe-me explicá-lo pela última vez, este é um problema apenas entre mim e a garota atrás de você. Kururi Helan, por que você apenas não se cala agora?

— Eu não vou. Ela é um membro do meu clube e seu lugar é aqui.

— … calado.

—Não, vou dizer isso novamente, porque eu quero viver em harmonia com você no futuro, Eliza. Estou criando esta oportunidade para que possa aprender mais como liderar os outros.

—Sabe, na primeira vez que nos encontramos, achei que você era uma pessoa divertida, mas isso acaba aqui. Eu fui tola em tentar conversar seriamente com você.

*Gunununu!*² Eu estou fazendo isso por ti, sabia!?

— Hã? Que seja, mas de toda forma, a Merime vai continuar aqui.

—Pare de ser ridículo!

Finalmente entendi a Eliza acabaria como vilã. Ela era uma das garotas mais bonitas que já havia conhecido, nascida em uma família poderosa, rica e abençoada com talento, crescendo em um ambiente tão maravilhoso, que a deixou insensível aos sentimentos daqueles que não tiveram as mesmas oportunidades.

Era por isso que ela menospreza a Iris.E por essa mesma razão, eu não poderia permiti-la continuar assim.

Se for o “eu” de agora, sei que posso fazer sobre isso. Ou ao menos teria a minha vingança.

Golpe Especial (Ougi)! Ataque Amistoso na Testa (Dekopin)! — O Ataque Amistoso na testa é um movimento especial que usa levemente a força da combinação entre os dedos indicador e polegar, para disciplinar as pessoas.

Tei! — O meu ataque atingiu a testa de Eliza.

— Não faça bullying nas pessoas, isso não combina com uma mulher charmosa feito você.

 

 

???

… Achei que ela iria retaliar em fúria, mas a Eliza não de uma única palavra, como se estivesse em transe.

— … Isso doeu. — Com uma voz afável, os olhos afiados de Eliza, começaram a se encher de lágrimas.

Eh? EHHHH!!!!??? Ela está chorando!?

… Ela é tão fofa… — Não, espera!!! Não pense em coisas assim!

— Au… — Eliza cobriu sua testa com as mãos e deixou saír um pequeno murmúrio.

— Au? — Que infernos! Isso é fofo!!!! Não, não é isso! Não é issoooooooo!!! Como as coisas foram acabar assim!? Isso é ridículo!!!

— Nunca, nem mesmo meu pai bateu em mim…

— EH?

— Você me bateu! Vou contar isso ao meu pai!!! Eu nunca… VOU TE PERDOOOOOOAAAAAARRRRR!!!— Enquanto derramando lágrimas, Eliza saiu correndo.

As pessoas atrás de mim pareciam aliviadas.

Mas jevam só! Ela é fofa até quando chora!

—NÓS JAMAIS IREMOS NOS ESQUECER DISSO! — Uma das garotas da gangue de Eliza falou isso.

Uwah, essa foi uma linha bastante clichê dos perdedores. Isso significa que a vitória é minha? Eh, nós vencemos?

— PRESIDENTE!!! — Os membros do clube se amontoaram a minha volta.

Ei caras! Está ficando quente aqui! Me deem algum espaço!

Finalmente alguém me colocou em seus ombros e eu fui jogado para cima e para baixo por 10 vezes, antes de me devolverem ao chão. Lá em baixo, quem me esperava era a Merime-san, com olhos cheios de lágrimas.

—Ei, bem-vinda de volta (Okaeri).

—Sim, estou de volta (Tadaima).

Ela estava chorando um tempo atrás, mas agora chorava por uma outra razão.

Os membros do clube estavam maravilhados, então parecia que eu havia feito a escolha correta.

Hmm… Será que sou bom nesse tipo de coisa? — E aqui estou, a única pessoa preocupada em meio a uma multidão em celebração.

Tive a leve impressão de que saí da frigideira para o fogo, e só em pensar no tipo de vingança que a Eliza irá fazer, me causava calafrios na espinha.


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Fefe & Ma-chan


♥ Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde ♥

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



1 –  COME TORTA! Me desculpem, não resisti XD  ⤴
2 –  *Gunununu!* é uma onomatopeia que representa raiva, tipo quando o Vegetava começava a rosnar que nem um cachorro ⤴


Fontes
Cores