DA – Capítulo 117 – Mythro Enfurecido(3)


—  Eles estão se movendo.

Pelas vibrações no chão e com seu senso, Mythro percebe a movimentação de um grande grupo.

Ele recolhe o Chomir e invoca suas adagas. Raios e fogo negro dançam por todo o seu corpo e como uma fera, ele começa a matar os avestruzes de forma mais rápida do que a anterior.

Serpentes de energia prendem as aves ao chão e usando sua velocidade superior, ele corta as cabeças. Cinco dos últimos doze monstros vão ao chão simples assim.

Reunindo energia na garganta, Mythro usa seu Comando de Cima e grita para o restante dos monstros. Usando seu olhar cheio de intenção assassina e divindade vindas somente dele.

— Não foi eu que busquei essa luta, há alguns outros querendo matar vocês para cobrir rastros de seus crimes, vão e lutem contra o inimigo certo! Minhas mãos só se sujam de sangue de inimigos!

Não é segredo que o pequeno NOVA consegue falar com os monstros e animais. Os avestruzes param de lutar contra os outros 9 e vão em direção ao grupo recém-formado que segue na direção do grupo de Mythro.

Um deles para e seu olhar fita em Mythro. Naquele momento, o pequeno NOVA fica sabendo de algo importante.

Os monstros andam 500 metros até que das árvores, dezenas de jovens caem com suas armas e os matam. Mas eles realmente eram ferozes sem igual, três dos jovens morrem sob suas garras.

— Tch. Hey, se matem e entreguem as garotas, se o fizerem, não lembraremos do nome do seu clã ou secto! — Uma voz soa de cima de uma árvore, sobre um galho.

Este menino está tirando sua camisa enquanto sua mão já desce para sua calça. Infelizmente para ele Grásio pula de uma outra árvore e sua lâmina atravessa sua garganta.

Grásio depois de assassinar de maneira limpa esta escória, da um “mortal” e cai em Suife, que passa rapidamente pela região para tirá-lo das 10 adagas que voaram, tendo alvo o corpo negro da Serpente Celeste.

Voltando para o lado de Mythro, eles encaram a nova onda de inimigos. Montando em Suife, o pequeno NOVA começa a canalizar sua energia em sua mais nova e poderosa arte. A Cauda de Lanças provaria sua primeira vítima hoje.

Juca se coloca na frente das meninas. Tobias incendeia sua espada e Sâmelo pega um pequeno saquinho do seu saco azul.

As três meninas ficam completamente paralisadas. Elas sabem muito bem o que significa serem capturadas aqui.

Elas seriam violentadas e mortas por essa massa de dezenas de garotos.

— Não temam. Lutem ao máximo. Engulam agora as pílulas, elas vão ajudar a lutar por mais tempo.

Lenlen é a primeira a voltar a si. Ela pega sua espada e concentra seu Qi de fogo. Uma aura vermelha a cobre, é a Aura de Fogo do clã Espada sob o Sol.

— Professor… podemos sobreviver a isso?

— Quem sabe? Mas se forem morrer, levem pelo menos 3 consigo. Se não matarem ninguém, arranque seus braços, olhos e orelhas. Cortem o pau deles e enfiem em suas gargantas.

Utilizando da Ordem de Cima, Mythro puxa uma ira desconhecida nas meninas e também nos meninos. Todos eles entram no mesmo estado que Lenlen, eles começam a sinergizar suas energias e artes.

Era uma formação para multiplicar a força do clã Espada sob o Sol.

“Essa formação é boa para o nível desse planeta. Descubra suas origens.”

— Gornn, eu estava pensando em matar alguns deles e depois “fugir”… — Mythro lança um pensamento ao leão rubro.

“Não te desencorajarei a fazer isso. Você já quis matar essas crianças várias vezes, elas se tornaram uma responsabilidade e um fardo desnecessário. Mas você deve se lembrar do que lhe disse antes. O norte possui diversas patas, você sozinho não destruirá todas.”

“Lute. Se eles morrerem, que seja. Se puder salvá-los, salve-os. Cobre suas vidas em ouro para o clã Espada sob o Sol.”

— Muito bem. — Mythro invoca uma Cauda Lança. — Este novo dia… É cheio de morte para os nossos inimigos.

Se colocando no ápice da Aura Primal Mortal, o pequeno NOVA guarda suas adagas e traz o Chomir e espada Samarina.

— Estas armas, iremos pegá-las também.

— Aquela menina gêmea, dê ela para mim e meu irmão gêmeo, tenho certeza que ela vai preferir a nossa feliz coincidência!

Eles riem do comentário de uma dupla de irmãos gêmeos. Sâmela e Sâmelo se colocam um ao lado do outro, convergindo de forma ainda mais rápida suas artes, aura e energia.

Maki pega seu saco azul e uma pílula verde, vermelha e azul saltam até sua mão. Sem delongas ela as engole.

Com outra pequena moção, mais 15 pílulas, voam para os outros cinco jovens do time de expedição.

— Não entendi porque eles estão ingerindo pílulas, eles acham que seremos treino para eles?

— Aquele tigre sem pelo é definitivamente um variante, eu o quero!

Uma voz autoritária ecoa.

— Pequeno príncipe, eu o darei não só o tigre sem pelo, mas também este cavalo e serpente!

— Ótimo, como combinado antes, a ruiva é minha também. As outras duas bonecas podem ser rasgadas sem preocupações. O corpo desses três meninos, levem ao altar de sangue que meu pai está preparando. Eles só precisam estar respirando, um ou dois braços a menos não os impedirá disso.

— Pequeno príncipe, e quanto a espada que ele segura? Sei que deveríamos dividir entre nós, mas que tal deixá-la para o primeiro que o ma— … O primeiro que o capturar?

— Façam como quiserem.

Mythro e os seis encaravam tudo com calma. Eles foram ensinados a matar as unidades corajosas antes de pular na multidão.

Havia 36 deles ali. Se eles pudessem matar seis deles antes de todos os atacarem juntos, já seria uma grande vantagem!

Numa batalha, ninguém sabe qual vai ser a unidade que vai lhe matar pelas costas, então diminuir números é sempre algo essencial.

— Vocês estão prontos?

— Sim! Conjunto de Fogo de seis pontas, porta de fogo! — Juca murmura e toma a dianteira dessa grande Formação-feitiço.

Acima deles, uma pequena porta aparece. Ela é a junção da compreensão dos seis do elemento fogo, ela os auxiliará dando mais poder de ataque a qualquer golpe que utilize do Qi de fogo.

2 Garotos saem do bando e puxam dois machados de arremesso. Ativando um feitiço, eles atiram os machados que, se dirigem ao pequeno NOVA com grande força e rotação alimentada por Qi de vento.

Com a espada Samarina em sua mão direita, Mythro levanta um dos machados ao ar e pega o outro com a mão esquerda.

Ativando sua Lei do Corpo e pegando a força do urso, ele devolve o machado na mesma direção da qual ele veio, só que utilizando sua runa de vento ele faz uma curvatura na trajetória.

O resultado? Duas cabeças voam e duas pessoas conhecem, por alguns efêmeros instantes, como seria ver suas próprias cabeças cortadas.

O machado que foi ao ar começa a descer, Mythro se aproveita novamente do armamento inimigo e o lança contra os garotos estacionados.

Um deles pega seu machado de duas mãos e bate no machado de arremesso. Seus braços, incapazes de lidar com a força que ele menosprezou, fazem apenas com que a trajetória do machado lançado por Mythro mude. Um colega ao seu lado tem seu ombro penetrado, o seu grito repentino assusta os demais.

— Tch, ele deve treinar alguma arte corporal poderosa. Eu estou no segundo nível da chuva cósmica e ele tem mais força física que eu! — O garoto com machado diz, empunhando o machado e olhado uma pequena dentição na lâmina.

— Ataquem juntos de uma vez. Viraram homens honrados do nada? — O pequeno príncipe diz, instigando a natureza vil de seus aliados.

— Venham, não percam tempo conversando entre si. Faz tempo que minha espada não corta carne dos Templários Caveira de Sangue. — Mythro joga algo ao ar, procurando respostas.

— Não somos do Templo Caveira de Sangue. Somos do Ritual Sangrento.

— Dois sectos malignos cruzando meu caminho, vocês devem estar cansados de viver… Na última vez que me encontrei com um de vocês, tive o prazer de ganhar uma bela mina.

— Você fala demais, pirralho do Clã Espada sob o Sol. Matar nós de secto maligno, é coisa que o oeste de fora não consegue.

— Oh? Estes três inúteis que acabei de mandar pro inferno, como fica?

O garoto segurando o machado se vira e vê que o ombro do garoto está com cheiro de queimado. Uma chama negra se levanta e começa a comer o braço do menino, ela continua pelo resto do seu corpo, consumindo sua carne como piranhas famintas.

— Fogo negro? Você é um integrante do secto Escuridão da Chuva Ácida?

— Não ouvi falar desses caras ainda. Mas um dia os visitarei. — Mythro aponta a Samarina para os garotos que estavam preocupados com o fogo negro rugindo do corpo morto do menino, eles não percebem a presença de chamas brancas descendo de uma das árvores.


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli   │   CQ: Heaven



Fontes
Cores