SE – Capítulo 232 – Plano de Existência


Em um milésimo de segundo, milhões de pensamentos atravessaram a cabeça de Baijian, enquanto Tikr, que o observava de perto, continuou:

“Vamos falar sobre as técnicas ago…”

Mas Baijian rapidamente o interrompeu:

“Continue depois, fale mais sobre “plano de existência.”

Pego de surpresa, Tikr ficou ligeiramente infeliz com a interrupção de Baijian, mas vendo a óbvia curiosidade em seu rosto, que não havia expressado qualquer sentimento até agora, Tikr lentamente se acalmou e falou:

“Bom, não tem muito o que falar, é apenas uma teoria. Ao longo da história, o números de pessoas que alcançaram o nível 499 foi pequeno, mas todas essas pessoas morreram frustradas por não terem conseguido chegar no nível 500.”

“A maioria delas acreditava que havia algo as impedindo de subir de nível, como se o próprio mundo estivesse as segurando. Existe até uma analogia falada por um desses poderosos que é: ‘Correntes nas pernas, cadeado nas portas.’”

“Essa analogia é muito usada por essas pessoas que chegaram ao pico, mas não conseguiram ultrapassá-lo. A tradução mais aceita pra essas palavras é:”

“Eu quero voar, meu corpo está pronto para voar, mas o mundo segura meus pés e as portas dos céus estão fechadas.”

“De acordo com essas pessoas, o mundo está segurando-os, e os Céus não os deixam passar pela porta.”

“Esse é um sentimento muito vago, mas através disso, entendeu-se que o mundo está impedindo as pessoas de alcançarem o nível 500, e que só depois do mundo soltar seus pés, e as portas se abrirem, elas poderão então entrar em outro plano de existência.”

“Essa teoria não é muito aceita já que ninguém nunca viu uma pessoa no nível 500. Quer dizer, se eles alcançaram esse nível, e foram para outro plano de existência, eles não têm a capacidade de voltar?”

“Então não é muito bem aceito pelas pessoas em geral. Já esses poderosos que alcançaram o nível 499, embora não concordem, eles não discordam, simplesmente buscam formas de ir para outro plano de existência.”

“Por milhões de anos tentaram, e ninguém conseguiu, embora houvesse relatos de pessoas de nível 499 que ‘misteriosamente desapareceram’… Obviamente morreram.”

“Claro, de todos esses casos, houve um que virou um livro, se estiver tão curioso assim, toma.”

Tikr então acenou com a mão e um livro apareceu na frente de Baijian, que rapidamente o pegou e folheou em uma velocidade alarmante.

Em poucos segundos, Baijian olhou para Tikr e falou:

“Entendo… Houve um chefe de família que misteriosamente desapareceu, e depois, por três gerações consecutivas, seus descendentes também misteriosamente desapareceram ao alcançarem o nível 499…”

“Grandes famílias ficaram curiosas, e pressionaram a família a falar disso. A família obviamente sempre se manteve calada, e no final, foi exterminada, sem nunca descobrirem de fato o que acontecera com essas pessoas…”

Tikr lentamente assentiu com a cabeça de forma inconsciente, mas rapidamente sua expressão mudou. Ele havia acabado de entregar o livro para Baijian, e em poucos segundos, ele simplesmente leu e analisou todo o conteúdo?

Seu coração não poderia deixar de pular ao perceber isso.

Olhando para Baijian, Tikr ficou realmente assustado. Foi simplesmente muito rápido, isso é sequer possível?

Baijian, por outro lado, perguntou depois de falar:

“Você tem mais informações sobre isso?”

Se acalmando rapidamente, Tikr respirou fundo e tirou outros dois livros, ambos falavam sobre pessoas que alcançaram o nível 499 e suas jornadas em busca de quebrar o limiar do nível 500.

Obviamente, eles não conseguiram.

Depois de fechar o segundo livro, Baijian permaneceu em silêncio por alguns segundos, pensando sobre os inúmeros livros que leu na biblioteca, e tentando encaixar as informações que sabia com o que leu nesses livros e as informações contadas por Tikr.

Depois de alguns segundos, ele lentamente parou de pensar sobre isso e olhou para Tikr com seu rosto sem expressão novamente.

Vendo isso, Tikr sabia que a curiosidade de Baijian foi finalmente suprimida. Suspirando, ele continuou sua palestra sobre ferraria, que Baijian obviamente não tinha muito interesse.

Tikr estava um pouco irritado. Por que ele não estava interessado? Foi Baijian que veio até ele pedir para ensiná-lo, e agora não está interessado.

Vendo a expressão ligeiramente irritada de Tikr enquanto continuava a palestra, Baijian percebeu que não ia conseguir mais nada, então disse:

“Eu já li muitos livros técnicos de ferraria na Biblioteca de Verusa.”

Surpreso, Tikr olhou para Baijian, e finalmente lembrou-se de sua grande velocidade de leitura. Depois de suspirar, falou:

“Você está atrás das técnicas, certo?”

Baijian assentiu lentamente com a cabeça, e Tikr suspirou enquanto se sentava em seu banquinho e pegava seu martelo.

Antes, ele havia mostrado sua técnica de refinar metal, agora ele planejava mostrar outras técnicas.

Depois de preparar o metal, com uma única martelada, o metal estranhamente tomou forma em algo parecido com um punhal. Essa única martelada fez os olhos de Baijian brilharem mais do que tochas.

Para alcançar esse nível de habilidade, Baijian conseguia deduzir que Tikr tinha um controle absurdo de seu martelo.

Era como se não fosse de fato um martelo, mas inúmeros martelos pequeninos que eram exercidos usando diferentes forças e velocidades.

Isso porque, essa única martelada, tinha inúmeras variações diferentes, variações que até Baijian teve que levar alguns segundos para entender.

Com calma, Tikr passou a martelar o metal na bigorna. De vez em quando ele tirava o metal e colocava na fornalha, e depois pegava de novo e martelava mais um pouco.

A adaga passou de algo com uma forma de adaga, para uma bela adaga adornada em questão de três horas.

Depois de finalmente largar o martelo, Tikr pegou a adaga recém feita e a levou até uma pedra de amolar que estava em cima da mesa.

Vendo isso, Baijian se aproximou e perguntou curiosamente:

“Vai usar essa pedra por quê? É uma adaga, ela precisa ser bem afiada, não é melhor usar um rebolo não?”

Tikr sorriu friamente e respondeu de forma zombeteira:

“Não consegue nem imaginar o porquê disso?”

Ouvindo isso, um pequeno sorriso irônico apareceu no rosto de Baijian.

Ele conseguia pensar em no mínimo quinze motivos diferentes para ele estar usando a pedra de amolar ao invés de um rebolo, mas ele decidiu perguntar mesmo assim.

Baijian sempre esteve consciente que sua inteligência era muito maior que a das pessoas comuns. O problema é que, se ele fosse inteligente demais, sua relação com as pessoas poderia ser estranha.

Com pessoas próximas, ele não faz perguntas tão desnecessárias, mas com pessoas que não conhece direito, Baijian ainda tenta promover uma boa conversa.

Vendo o sorriso irônico de Baijian, Tikr não pensou muito e começou a afiar a adaga enquanto respondia:

“O rebolo é bom, mas justamente por ser uma adaga, eu quero fazer um trabalho mais polido. O rebolo serve para um trabalho mais pesado, quando a arma ainda não foi afiada.”

“Quando uma arma já foi afiada, deve-se usar ou uma pedra de amolar como essa, ou lixas.”

“Quanto à adaga, ela é uma arma pequena, muitas pessoas habilidosas conseguem afiá-las usando um rebolo, mas para fazer um trabalho tão delicado em um rebolo é preciso ter muita habilidade, habilidade essa que não tenho.”

“Claro, mesmo pessoas habilidosas só usam o rebolo para fazer o grosso, e depois a pedra de amolar e a lixa para os acabamentos.”

Enquanto respondia, Tikr passava a adaga de forma rápida e decisiva na pedra de amolar, e em menos de cinco minutos, ele parou e puxou uma lixa.

“Use a lixa para o acabamento final. Afiar é uma habilidade muito importante para um ferreiro, e eu recomendo que até mesmo quem não seja a aprenda.”

“Afinal, você não pode depender de ferreiros para um trabalho tão simples…”

“Claro, embora seja simples, só passar a lixa, precisa de um bom olho e uma boa habilidade.”

Observando calmamente a lâmina bem de perto, Tikr passou a lixa lentamente e depois de alguns segundos, entregou a adaga para Baijian, que observou de perto o acabamento feito por Tikr.

Depois de observar por um momento, ele assentiu lentamente e perguntou:

“Posso tentar?”

Com um rosto em branco, Tikr perguntou de volta:

“Tentar o quê?”

Sorrindo levemente, Baijian respondeu:

“Fazer uma adaga.”

Com uma expressão estranha, Tikr olhou para Baijian, se perguntando se ele devia deixá-lo fazer isso.

Depois de um momento de reflexão, ele lentamente assentiu com a cabeça e falou:

“Se você quiser… Mas você tem experiência prévia com ferraria?”

Com o consentimento de Tikr, Baijian não foi educado e imediatamente se sentou no banquinho ao lado da bigorna enquanto respondia:

“Não, tudo que sei aprendi de livros e te observando.”

Baijian então estendeu a mão, pensando em pegar o martelo, mas quando o tocou, ele nem tentou puxar, sabia que era pesado demais para o seu atual corpo levantar.

De acordo com o sentimento do seu toque, ele acreditava que esse martelo pesava quinhentos kg.

Seu corpo dentro do jogo ainda era fraco demais para sequer levantá-lo.

Com um sorriso irônico, ele olhou para Tikr e falou:

“Você tem um martelo mais leve?”

Ouvindo isso, a expressão de Tikr mostrou desdém. De toda a sua interação com Baijian, esse foi o seu momento preferido.

Quando viu Baijian tocar o seu martelo, Tikr pensou que ele ia tentar levantar, e pensava até em fazer um comentário desdenhoso quando ele percebesse que não conseguia.

Infelizmente, Baijian nem sequer tentou, ele simplesmente o tocou e sabia que era pesado demais para ele levantar.

Por causa disso, Tikr só podia dar um sorriso de escárnio e puxar um martelo diferente da parede.

Esse martelo pesava 100 kg, e Tikr o entregou com um sorriso no rosto, pensando no que aconteceria quando um rapaz com um nível tão baixo pegasse um martelo tão pesado.

Tikr sabia que Baijian tinha um nível muito baixo. Em tal nível, a menos que ele investisse todos os seus pontos em força, não conseguiria levantar esse martelo apropriadamente.

Para um martelo de 100 kg ser levantado usando uma mão só, é preciso que a força física da pessoa alcance no mínimo 220 kg.

Cada nível até o nível 100 dá dez pontos de atributos livres para se colocar em qualquer atributo, e alguns pontos em vitalidade. Quando se consegue uma classe no nível dez, a partir dali, você ganhará pontos de atributo dependendo da sua classe e de quão poderosa ela é.

Se for uma classe de arqueiro, que é o caso de Baijian, aumentará Vitalidade, Destreza, Agilidade e Defesa. Tendo um maior aumento nas estatísticas de Destreza, seguido por Agilidade, e então Vitalidade e Defesa.

Claro, a quantidade de estatísticas e suas prioridades dependem muito da força da classe, e é por isso que é muito importante ir atrás de classes mais poderosas.

Com sua habilidade, Tikr consegue dizer que Baijian está no nível 10, e tinha acabado de pegar sua classe normal de arqueiro. Por isso, ele só tinha 90 pontos de status para distribuir.

Ninguém em sã consciência colocaria todos os pontos de status em força. Somente se colocassem poderiam levantar o martelo em uma mão, e obviamente não por tempo suficiente para fazer uma adaga.

Por causa disso, Tikr acreditava que a força de Baijian era fraca, e que nem conseguiria levantar o martelo. Mesmo que levantasse, não conseguiria fazer a adaga.

Claro, ele não contava que Baijian realmente não tinha usado muitos pontos de atributos. Dos noventa pontos que ganhou até o nível 10, vinte ele gastou em sua agilidade, deixando os outros setenta pontos salvos para serem usados mais para frente.

Naquela época, ele já havia decidido se tornar um arqueiro, então queria colocar os pontos em destreza, um atributo que só é conseguido quando se ganha uma classe como Arqueiro e Assassino.

Sem hesitação, Baijian colocou os setenta pontos em força. Com os seus dez pontos que recebeu com o personagem, e mais os vintes pontos do Anel de Força do seu dedo, ele tinha cem pontos de atributo em força.

Cada dez pontos de atributo de força é igual a 30 kg de força física, o que significa que, atualmente, Baijian tinha 300 kg de força física, o que lhe deixava bem mais confortável com seu corpo.

Segurando o martelo, ele pegou uma pinça que tinha na mesa ao lado e a usou para pegar um pedaço de ferro na caixa no chão.

Jogando o ferro na fornalha, ele observou cuidadosamente enquanto o ferro lentamente se tornava amarelo e amolecia.

Ele havia ignorado completamente o choque de Tikr, que observava Baijian segurando o martelo com os olhos abertos.


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.
🉐


Autor: ReaderBecameWriter  |  Editor: Delongas



Fontes
Cores