SE – Capítulo 245 – Sem manchas


Sem reação, de novo.

Salon não soube processar bem o que Baijian falou, então simplesmente ficou parado, olhando para o tempo, sem qualquer tipo de reação.

Quanto a Baijian, que teve que tomar coragem para dizer um de seus maiores segredos, ver a reação de seu pai lhe trouxe uma informação muito útil:

‘Ver almas com meu atual cultivo deve ser impossível, e algo chocante, no mínimo.’

Vendo que seu pai continuava em silêncio de forma tola, Baijian se deitou no chão para esperar ele voltar ao normal.

Honestamente, isso é tudo atuação. Mesmo a coisa mais chocante do universo não conseguiria chocar um cultivador mental tão poderoso quanto Salon a esse nível.

Ele está atuando dessa forma, porque é como está se sentindo nesse momento. O choque foi grande, e para representar seu choque, ele começou a atuar dessa forma.

Essa parte ridícula da personalidade de Salon realmente irritava Baijian às vezes.

Salon parou de atuar depois de alguns minutos, e permaneceu em silêncio, pensando no que tinha acabado de escutar, e no quanto ele devia acreditar.

Depois de um tempo pensando, ele aproximou o ouvido, mas Baijian o cortou:

“Pai, chega de palhaçada, você escutou muito bem, podemos ser sérios agora? Eu tive que tomar muita coragem para te contar isso.”

Botando a mão no queixo, Salon olhou para Baijian e falou:

“Você não confia em mim? Sou seu pai, pode me contar qualquer coisa. Em todo o universo, eu e sua mãe somos seus maiores aliados, os únicos que você pode ter certeza absoluta que nunca irão te trair.”

Ouvindo isso, e escutando a sinceridade nas palavras de Salon, Baijian assentiu seriamente e respondeu:

“Não é que eu não confie em vocês, vocês são meus pais afinal. Mas é que eu não tenho como ter certeza que você é meu pai.”

Salon fez uma expressão de exagerado espanto, e ao ver que Baijian parecia irritado, ele finalmente parou de brincadeiras:

“Tá bom, tá bom, vou parar. Mas me diz, por que você não tem certeza que sou seu pai? Você mesmo disse que a minha atual aparência é a mesma que você viu no Labirinto das Aflições.”

Dando de ombros, Baijian explicou de forma simples:

“É o que eu falei antes: Eu consigo ver a alma das pessoas. E, atualmente, não vejo nenhuma alma em você.”

Se segurando para não continuar com suas palhaçadas, Salon segurou suas têmporas e respondeu:

“Tá bom, primeiro me fale, o que você vê exatamente?”

Olhando para Xue’er ao seu lado, Baijian respondeu:

“O que eu vejo varia de pessoa pra pessoa. Algumas pessoas, eu vejo uma mistura de luz e névoa branca em forma humana. Outras pessoas, eu vejo uma névoa cinza, outras pessoas eu simplesmente vejo uma névoa completamente negra.”

Assentindo lentamente com a cabeça, Salon pensou por um momento, e então falou:

“Ainda não acreditei, mas vamos dizer que eu acredito… O quão longe você vê?”

Em relação a essa pergunta, Baijian cruzou os braços, e pensou silenciosamente por um momento. Essa pergunta era muito vaga, mas ele sabia mais ou menos o que Salon queria dizer com ela.

“Eu vejo o exterior, apenas. De vez em quando, eu consigo ver mais fundo, mas na maior parte do tempo, só consigo ver a casca… É assim que eu chamo.”

Salon soltou um suspiro de alívio ao escutar isso.

“Bom, se é só isso, talvez não seja tão surpreendente.”

Levantando as sobrancelhas, Baijian perguntou:

“O que você quer dizer?”

Com a mão no queixo, parecendo acariciar uma barba invisível, Salon respondeu:

“Filho, a alma é muito complexa. Quando você falou que consegue ver a alma, eu pensei que você conseguia vê-la em toda a sua extensão. Mas se tudo que consegue ver é o exterior, então tudo bem.”

Baijian fez uma cara de dúvida, e Salon explicou mais um pouco:

“A alma é dividida em múltiplas camadas. A camada mais exterior é a primeira camada: Vert. É a camada que representa a atual vida da alma, e toda a sua existência.”

“Se você é uma boa, ou uma má pessoa. Toda a sua vida está nessa camada. Cultivadores poderosos, que têm um bom conhecimento da alma, conseguem, através do Vert, saber toda a trajetória de vida de alguém.”

Baijian assentiu lentamente com a cabeça ao escutar isso, parecia muito místico para ele.

“Ver o Vert é algo incrível no seu atual nível de cultivo, mas não é como se fosse realmente chocante. Se você pudesse ver o Intra, eu não saberia o que fazer com você.”

Baijian novamente fez a cara de dúvida. Salon se perguntou se devia aprofundar o assunto, mas lembrando que, em sua idade, Baijian já podia ver o Vert, ele falou mais:

“O Intra é a parte interna da alma, e é dividida em milhões de camadas diferentes. Se, um dia, você puder ver o Intra, tome cuidado com o que vê.”

“O Vert não tem problema, é a camada mais exterior da alma, e não muito importante. Quando se chega em Espírito Santo, o Vert se funde com o Intra, e se torna uma de suas camadas.”

“Ou seja, o Vert só existe até esse nível de cultivo, e por isso que conseguir ver apenas o Vert não é tão incrível.”

“Mas o Intra é diferente. Primeiro que, ao observar o Intra de alguém, até mesmo o de um humano normal, isso pode causar inúmeros efeitos diferentes. Se for um humano normal, você pode literalmente matá-lo diretamente.”

“Se for um poderoso cultivador, ele vai sentir você observando seu Intra, e se tiver um controle básico de sua alma, ele pode lhe dar um contra-ataque que pode te ferir gravemente.”

“Mesmo que você consiga, de alguma forma, ver o Intra de um poderoso cultivador sem ele saber, tome cuidado. O Intra tem inúmeros segredos. Já houve casos de inúmeros cultivadores poderosos que, durante o estudo do Intra, ficaram loucos, ou acabaram mortos, em carne e alma.”

“É muito perigoso estudar a alma. O Vert não tem problema, mas o Intra… Você atualmente não consegue ver o Intra, mas se um dia conseguir, tome muito cuidado.”

Baijian lentamente assentiu com a cabeça, e gravou todas essas palavras em sua mente.

“Mas enfim, acho que mudamos um pouco de assunto aqui. Você queria antes me provar que as meninas são especiais. Isso está relacionado de alguma forma à sua habilidade de ver almas?”

Colocando a mão no queixo, Baijian pensou brevemente sobre como explicar, e então falou:

“O Vert… Você disse que é a representação da vida de uma pessoa. Eu tenho essa habilidade de ver almas desde que nasci, e por isso entendo um pouco do que é o Vert. Em algumas pessoas, é branca, em outras, é cinza, algumas pessoas chegam a ser um cinza bem escuro, quase preto.”

“E depois de anos, eu entendi que, quanto mais clara a cor, menos coisas ruins a pessoa fez/pensou. Quanto mais escura, pior a pessoa é. Estupradores e assassinos geralmente têm o Vert num cinza bem escuro.”

Salon assentiu com a cabeça e complementou:

“Uma alma por si só é apenas o Intra. Quando alguém morre, o Vert é destruído, deixando apenas o Intra, que entra no ciclo de reencarnação.”

“Durante a reencarnação, um novo Vert é produzido pelo Intra.”

“O Vert está ligado diretamente à existência da pessoa. Se ela é uma boa, ou uma má pessoa, tudo isso reflete diretamente no Vert.”

“Agora, o motivo de ser assim, ninguém sabe.”

Esfregando o queixo, Baijian perguntou:

“Bem ou mal é muito vago. Como que o Vert define isso?”

Salon pensou por um momento, e então disse:

“Eu já tive muita experiência com isso, então posso dizer a minha experiência.”

“A meu ver, as pessoas são naturalmente puras. Mas não pense que pureza e bondade são a mesma coisa. Pureza é algo que está acima de conceitos como bondade e maldade.”

“Esses conceitos de bondade e maldade só passam a valer para as almas quando elas ganham consciência, ou seja, quando nos tornamos inteligentes.”

“Por causa da inteligência, podemos ser bons, ou podemos ser maus.”

“Então, respondendo a sua pergunta: Como o Vert define o que é o bem e o que é o mal?”

“O Vert está ligado diretamente à sua consciência e inconsciência. Se o que você fez afeta, de forma negativa, mesmo que um pouco, a sua consciência ou inconsciência, o Vert julga como um ato maldoso.”

“No final, o mal é tudo aquilo que você não quer que façam com você. Por seres inteligentes como nós termos a empatia, nós entendemos o que os outros sentem, e assim julgamos o que é bom ou ruim para nós.”

“Se julgarmos, consciente ou inconscientemente, que a ação que fizemos é algo que não queríamos que fizesse conosco, o Vert vai julgar como maldade, e refletir de acordo.”

“É por isso que nunca devemos nos arrepender de nossas ações. Não devemos ter a mente suja, nublada por culpa, ódio, raiva…”

Baijian caiu em profundo pensamento ao escutar essa explicação de Salon. Se o Vert está ligado diretamente à nossa consciência e inconsciência, constantemente julgando nossas ações e pensamentos, então por que a alma dele não mudou mesmo depois de matar tantas pessoas?

Salon viu Baijian em silêncio pensando, mas não interrompeu. Depois de um longo tempo, Baijian perguntou:

“É possível uma alma permanecer sempre branca?”

Levantando as sobrancelhas em relação a essa pergunta, Salon olhou para Baijian estranhamente. Lembrando-se de repente de uma coisa, ele percebeu em choque:

“Você também consegue ver sua alma?”

Baijian assentiu com a cabeça, e Salon então percebeu.

Se ele podia ver a alma dos outros, é logico pensar que ele também poderia ver a própria alma.

O problema é que a alma de Baijian era diferente, ela era completamente branca, sem nenhuma mancha, permanecendo completamente inalterada, não importando suas ações ou pensamentos.

Salon se esqueceu desse detalhe.

Depois de algum pensamento, ele perguntou:

“Você está curioso sobre por que sua alma não pode ser manchada?”

Baijian assentiu com a cabeça e perguntou:

“É por causa da minha linhagem? Essa é uma das vantagens de ter a Linhagem do Primórdio das Almas?”

Salon sorriu de forma sarcástica e respondeu:

“Se uma coisa tão rara como a Alma em Branco fosse uma linhagem, não existiria mais nenhuma força em todo o universo capaz de fazer frente ao Clã Anima.”

“Não, isso não tem nada a ver com sua linhagem… Provavelmente.”

Ele não tinha certeza, já que a própria linhagem de Baijian era estranha.

“Você não tem certeza?”

A Alma em Branco já apareceu várias vezes no universo, e em todas essas vezes, só uma única vez no Clã Anima.

Então, pela lógica, a Alma em Branco não tem nada a ver com o Clã Anima.

Mas a linhagem de Baijian era estranha, e se a linhagem extremamente concentrada e poderosa dele tiver simulado uma Alma em Branco? Não é totalmente impossível.

‘Não… Acho que Lua teria percebido, sendo alguém do Clã Anima com um alto cultivo, ela obviamente perceberia.’

Ele ainda não tinha 100% de certeza, mas não explicou para Baijian, não era hora dele saber esse tipo de coisa.

Baijian novamente caiu em silêncio ao ver que Salon não planejava explicar, e então perguntou repentinamente:

“A Alma em Branco… É um talento poderoso?”

Ouvindo isso, Salon não sabia se ria ou chorava. Do pouco que ele sabia sobre a Alma em Branco, chamar de talento poderoso seria eufemismo.

Alguém com uma Alma em Branco têm uma vantagem absoluta em cultivar a Alma. Em altos níveis de cultivo, ter talento em cultivar a Alma é praticamente uma trapaça.

Para uma pessoa com uma Alma em Branco, cultivar a alma é a mesma coisa que respirar.

Então, obviamente, isso era um talento absurdo, no nível de trapaça, sendo ainda mais absurdo que um Corpo Divino raro.

Em relação à pergunta de Baijian, Salon não sabia como responder. Ele não queria explicar o quão bençoado Baijian era ao nascer com um talento desse nível. O medo de Salon era que esse tipo de coisa poderia acabar subindo à cabeça.

Por isso, Salon só assentiu com a cabeça, sem explicar muito, e Baijian soltou uma bomba:

“Isso é bom. Você antes falou que as meninas são normais, fracas, sem talento… Pois saiba que, essas mesmas meninas, tem a alma igual a minha: sem nem uma única mancha.”


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.
🉐


Autor: ReaderBecameWriter  |  Editor: Delongas



Fontes
Cores