VM – Capítulo 150 – Drible mortal!


 

— 40 segundos! EEEEH!!! — Nº1 gritava enquanto exibia um cronômetro aos que estavam próximos a ela.

Tyler achou engraçado, mas não podia se dar ao luxo de prestar atenção, ele tinha problemas maiores agora.

Enquanto um lado vibrava com a recente vitória, o outro amargava uma derrota inesperada e decepcionante. Logo que os soldados entraram no ringue para recolher o cadáver, Tyler foi para sua tenda ver como as coisas iam.

— E então? — perguntou para Deme que estava cuidando das câmeras instaladas na tenda inimiga.

— Eles estão atordoados com a batalha, ainda estão discutindo se foi um golpe de sorte ou habilidade. — Deme respondeu.

— Que bom, vamos esperar os próximos passos deles. — Tyler se sentou em uma cadeira e ficou olhando para uma tela enquanto a cena se desenrolava.

 

***

— Seu inútil de merda! — Verdus esbravejou em cima de Zert.

Zert fez uma expressão dura e levou sua mão até o cabo da espada. — Acho melhor o senhor manter o tom de voz baixo, eu também não estou com o humor muito bom.

Verdus retrocedeu dois passos e reavaliou o que ia dizer, talvez não fosse a melhor solução provocar um homem que vivia em uma fina e tênue linha entre a humanidade e a bestialidade. — Certo, certo… — Ele levantou as mãos para apaziguar a discussão. — Mas o que vamos fazer agora? Ele era o nosso homem mais forte.

— Nem tudo está perdido. — Zert sentou-se e começou a bater os dedos na mesa. — Não há dúvidas que o príncipe é alguém de talento, mas derrotar Mamun de forma tão fácil? Ele o pegou desprevenido!

— Sim, também acho. — Verdus concordou, apesar da derrota esmagadora, ele tinha quase certeza que ela se devia a uma soma de fatores como sorte e descuido. — O que faremos agora?

— Mamun era o mais forte em termos físicos, talvez devamos ir para o outro extremo, vou chamar Hathor, ele é um guerreiro que luta com adagas duplas. Apesar de ser o mais baixo de nós, ele é o mais rápido e ágil. — Zert explicou. — Com certeza ele não será pego de surpresa.

— Tomara, o conselheiro Dokas chega hoje, eu quero que esse príncipe esteja morto antes disso, não quero aquele sanguessuga roubando meus feitos.

— Não se preocupe, aquilo não foi nada mais que um contratempo. — Zert não lamentou o companheiro morto, ele apenas ficou irritado porque um plano que tinha sido elaborado por ele, não deu certo.

 

***

— Parece que o seu oponente será um lutador de adagas duplas, está confortável Majestade? — Deme perguntou.

— Acha que devo estar? — Tyler sorriu.

— Esses bastardos não sabem no que estão se metendo, o senhor é um lutador excepcional. Contudo, a luta com adagas é uma arte de emboscada e assassinatos. O senhor não treinou lutas com facas até esse nível

— Você está certo, mas se lembre que nem sempre as coisas são lineares. Em um combate, cada detalhe faz a diferença, assista com atenção, eu tenho certeza que vai aprender muito.

— Vou estar bem atento. — Deme assentiu.

— Certo, agora vamos receber o nosso novo convidado.

 

***

— Outro? — Tyler fingiu ignorância quando falou com os homens novamente.

— Você teve seu golpe de sorte, não espere que isso aconteça mais uma vez. — Verdus parecia que estava mastigando abelhas de tão irritado que estava.

— Por que será que os perdedores sempre arranjam desculpas?

— Ora seu!!! — Verdus estava perto de explodir.

— Só estamos perdendo tempo com provocações sem futuro, que tal deixarmos nossas facas falarem? — Zert perguntou.

— Um duelo com facas, adorei a ideia. — Tyler zombou. — Vou lutar com você? Por favor me diga que será com você.

É claro que não seria contra Zert, afinal ainda havia um terceiro membro no grupo, ele tinha ficado calado todo esse tempo, mas seu papel era claro para qualquer um.

Humph! — Zert fez o possível para não se distrair com as provocações de Tyler. — Esse é Hathor, ele será seu duelista.

— Hathor? — Tyler zombou. — Que tal Fidel? É um bom nome.

— Você tem uma língua afiada, mas eu só vi sorte e força bruta vindo de você. Sabe, você será o segundo príncipe que eu ajudo a matar. — Hathor falou.

— É mesmo? — Tyler fechou o cenho, que príncipe era esse? — Quer saber, vamos lutar.

Os dois, Verdus e Zert, saíram da arena enquanto os dois homens se preparavam.

Vrurrr!!

Uma adaga assoviou a centímetros do lugar onde o pescoço de Tyler estava. Se não fosse por seus instintos assumindo o comando ele teria morrido no primeiro golpe.

Hathor era da altura de Tyler, era um homem alto para o padrão humano comum, mas pequeno para o padrão monstro dos cavaleiros negros. Logo nos poucos segundos de luta, Tyler já soube o estilo de luta que Hathor escolhera, era uma arte marcial rápida, ágil e agressiva.

Ele tinha tirado tudo da sua pseudo fraqueza e transformado em sua força.

Ting!! Ting!!

“Merda.” Tyler recuou.

Essa já era a terceira vez que ele era forçado a recuar, era fato que uma luta com facas seria a mais complicada para si, contudo mesmo estando em clara desvantagem, qualquer descuido de um milissegundo seria mais que fatal, a maré poderia ser mudada com um único golpe bem encaixado.

Clang! Ting!

Quanto mais as lâminas se encontravam, mais Tyler aprendia. Porém o mesmo servia para o seu adversário, Hathor também começou a aprender seu estilo e com isso a diferença de habilidades aumentava pouco a pouco.

“Eu tenho que dar um jeito nisso…” Tyler pensou. “Não tenho muito tempo, eu tenho que distraí-lo. Mas como?

Depois de alguns segundos uma ideia louca surgiu, ele não sabia se iria funcionar, mas seria bastante original se desse certo. Bom, ao menos original aqui.

— O que é aquilo, é um avião? — Tyler fez sua melhor cara de espanto e apontou para trás de Hathor.

— Um o q… — Hathor nunca teve tempo para terminar a sua frase, Tyler aproveitou aquele pequeno descuido e atirou sua faca.

A brecha de milissegundos foi o suficiente para que o ombro de seu adversário fosse esmagado e perfurado.

Sem perder tempo, Tyler correu diminuindo a distância e pulou para executar um golpe, não era uma crua e feroz joelhada como a que ele tinha dado antes, dessa vez ele usou um golpe bastante teatral e complicado. Em lutas de verdade ele quase nunca é usado mas em lutas livres da TV ele está sempre presente; mais recentemente uma heroína ruiva de um filme bastante famoso usou. Era o Flying Hadscissors!

No meio do salto, Tyler prendeu a cabeça de Hathor entre suas pernas e então girou seu próprio corpo, consequentemente Hathor também foi girado, a queda o deixou totalmente desorientado.

Tyler nunca que perderia essa chance, andando para sua presa ele simplesmente usou sua força bruta e pisou em sua garganta.

O “pisão” de Tyler esmagou completamente a traqueia de Hathor, agonizando com um misto de dor extrema e falta de ar, Hathor teve tempo suficiente para ver sua vida passar diante dos seus olhos.

Em seu último suspiro de lucidez ele se amaldiçoou por ser um tolo e aceitar este duelo.

— Quem mais?! — Tyler gritou em desafio.

Como se um botão tivesse sido acionado, a plateia entrou em êxtase, bom… ao menos metade dela.

O lado de Tyler vibrava e comemorava mais uma vitória sua, já o lado adversário lamentou amargamente sua segunda derrota.

— Quem mais? — Tyler provocou novamente. — Onde está o Reino Central que tanto zombava dos outros?

Em meio a toda provocação um som alto de cavalos surgiu no horizonte, pouco depois centenas de cavaleiros blindados chegaram na clareia, eram as tropas do conselheiro Dokas.

— Merda! — Verdus cuspiu.

— Isso acaba de ficar mais interessante. — Tyler sorriu.


Autor: Lion | Editor: Bczeulli | Revisor: Ma-Chan | QC: Delongas



Fontes
Cores