ISSTH – Capítulo 520: Não Sei Quantos Anos Estive no Frio Infinito


40 anos se passaram. Ainda havia pessoas que se lembravam de Meng Hao, mas a maioria delas lembrava apenas uma cena em que alguém trouxe oitocentos mil neo-demônios pelo Forte dos Portões Negros.

Quanto ao aspecto de Meng Hao, a maioria das pessoas mal se lembrava.

Com o passar do tempo, Meng Hao foi lentamente sendo esquecido.

Na verdade, foi o mesmo com ele. Nem mesmo sua sombra foi vista no Mar Violeta do Deserto Ocidental. Estava submerso no fundo do mar há anos.

Sentou-se de pernas cruzadas no que outrora fora a terra do Deserto Ocidental. Desta vez a meditação durou muito tempo.

Ele não se mexeu nem respirou. Parecia não haver sinais de vida vindo dele. Sentou-se na escuridão do fundo do mar, isolado em meditação.

A vontade de extermínio circundante foi cada vez mais fraca. Mesmo que se procurasse de perto, era difícil detectar sua existência. Ao mesmo tempo, a escassa força vital que restava no corpo de Meng Hao diminuiu lentamente.

Havia apenas um pequeno fio que impedia que sua vida fosse apagada.

Foi exatamente dessa maneira que mais vinte anos se passaram.

A partir do momento em que Meng Hao iniciou sua tentativa de entender o Mar Violeta, um ciclo de sessenta anos passou. Mais e mais pessoas no mundo exterior estavam esquecendo-se dele. Mesmo no Clã do Corvo Dourado e Dragão Negro, muitas pessoas que se juntaram ao Clã ou nasceram durante esse tempo levaram as histórias de Meng Hao para serem nada além de lendas exageradas. A exceção foram as pessoas que realmente se associaram a Meng Hao anos atrás.

Lentamente, o atrito começou a se desenvolver entre os membros da Tribo dos Dragões Negros e da Tribo do Corvo Divindade. No entanto, Xu Bai foi capaz de suprimir com força essa tendência e suavizar os conflitos.

Era compreensível, considerando que as duas tribos não tinham uma origem comum. Eles foram forçados a se unirem por causa das pressões do mundo exterior. A Tribo do Corvo Divindade ocupou uma posição de liderança acima da Tribo do Dragão Negro. Embora as coisas parecessem tão pacíficas quanto as águas de um mar sem vento, na realidade, os corações selvagens da Tribo do Dragão Negro estavam despertando.

Muitos anos se passaram. Um dia, Meng Hao sentou-se de pernas cruzadas e imóvel nas profundezas dos mares. De repente, seus olhos se abriram.

Assim que o fizeram, começaram a brilhar com uma luz forte. Depois de muito tempo, sua expressão começou a enfraquecer.

— Tantos anos… — ele murmurou baixinho para si mesmo, olhando em volta para o mundo no fundo do mar.

— Infelizmente eu… ainda não entendi completamente o significado da morte no Mar Violeta. A vontade de extermínio é fraca, mas ainda está lá. Até que desapareça completamente, eu serei separado do Mar Violeta, incapaz de me fundir com ele.

— Embora haja apenas um pouquinho de força vital em mim, ainda está lá. Como tal, o poder de extermínio não desaparecerá.

— Não me diga, que realmente… tenho que morrer? — Balançou a cabeça enquanto olhava pensativo para a escuridão ao seu redor. Ocasionalmente, os espectros apareceriam. Durante os mais de sessenta anos que se passaram, mais e mais espectros começaram a despertar e vagar pela água do mar.

Eles passariam flutuando por Meng Hao sem fazer a mínima sugestão de um ataque contra ele. Era como se não pudessem vê-lo, ou talvez, em seu julgamento, Meng Hao fosse como eles, completamente sem qualquer força vital.

Quando Meng Hao olhou para a água do mar negro, uma imagem se fundiu em sua mente. Foi a imagem vaga de seu pai e mãe de quando era criança. Ele se viu como um garoto, lendo livros na frente da janela. Sentiu a decepção de falhar de novo e de novo nas rodadas preliminares dos exames imperiais. E então houve o ponto no Monte Daqing, onde toda a sua vida mudou.

A seita da confiança, o Legado Imortal do Sangue, a seita Destino Violeta. As Terras Negras… Até as grandes terras do Deserto Ocidental. Todas essas coisas passaram pela mente de Meng Hao. Foi interminável. Memórias inesquecíveis e sem fim. Já passavam quase cem anos desde que ele havia encontrado Xu Qing no Monte Daqing.

Cem anos haviam passado. Passou tão rápido que Meng Hao mal teve tempo de recordar todas as lembranças. Assim, a vida inteira de um mortal passou.

Gradualmente, a vida de Meng Hao pareceu se unir a ele. Viu muitas figuras. Não importava se eles eram inimigos ou amigos, os fios de Carma que o conectavam invisivelmente a todas essas pessoas começaram a se tornar visíveis.

Depois de um tempo, Meng Hao sorriu. Dentro daquele sorriso, a determinação brilhou de repente.

Ele havia escolhido esse caminho e continuaria, inflexivelmente, até o fim. Quando os riscos são tomados, os resultados podem ser a morte ou recompensas incríveis!

Meng Hao fechou os olhos. Naquele instante, sem hesitar, esmagou aquele último pequeno fio de força vital.

Não pode haver crescimento sem destruição! Sem morte, como pode haver nova vida?

Quando o fio de força vital desapareceu, o corpo de Meng Hao pareceu se encher com um rugido silencioso. Sua força vital desapareceu completamente. A chama da vida dentro dele havia sido apagada. A partir de agora, estava completamente… morto!

Esta foi a verdadeira morte, um estado de existência sem qualquer força vital, sem consciência alguma, sem qualquer aura ou capacidade de perceber qualquer coisa. Era como se estivesse enterrado no fundo do Mar Violeta.

No instante em que a morte ocorreu, a vontade de extermínio que o estava impedindo de se fundir com o Mar Violeta, desapareceu de repente. Ela desapareceu completamente sem deixar vestígios.

A remoção desse bloqueio parecia indicar que havia recebido aprovação. Ele era como o Mar Violeta, uma vontade da morte.

Sem o extermínio que o impediu, o corpo de Meng Hao foi envolvido pela densa aura da morte do Mar Violeta do Deserto Ocidental. Ela se derramou nele, girando em torno de si, arrebatando-o. Começou a circular, movendo-se de maneira cíclica.

Meng Hao não possuía consciência. Era como se ele tivesse sido claramente separado do mundo, como se não tivesse mais nada a ver com o mundo. Ele esqueceu o mundo; e foi esquecido por ele.

A única coisa que lembrava Meng Hao era a densa morte do Mar Violeta. Continuou a congelar em torno dele, a derramar em seu corpo. Finalmente, um dia, sua pele pálida ficou completamente cinza e cheia de uma aura de morte. Ele era agora… ligado ao Mar Violeta.

Seus órgãos internos, partes de seu corpo, tudo isso estava fundido com o Mar Violeta.

Ele se tornou o Mar Violeta.

No entanto, o Mar Violeta ainda não se tornou ele.

Tempo passou.

Um ano. Cinco anos. Dez anos… Eventualmente trinta anos se passaram. A partir de agora, muitos anos passaram desde que Meng Hao começou a buscar a iluminação da chuva violeta.

Recentemente, nos céus acima do Deserto Ocidental, a chuva violeta que havia caído incessantemente por quase cem anos parecia estar a beira de cessar. Os sinais ficaram cada vez mais aparentes. Um ano se passou e a Chuva Violeta… finalmente parou.

O céu ainda estava nublado, mas a água da chuva deixou de cair. Não foi um fim completo; ocasionalmente alguma chuva cairia aqui e ali. De um modo geral, porém, as chuvas violetas haviam acabado.

Quando a chuva violeta parou de cair, havia algo diferente no Mar Violeta do Deserto Ocidental. Naquele momento, todos os espectros que estavam flutuando acima e abaixo do mar pararam de repente. Tudo ficou em silêncio. Seus rostos ficaram ainda mais vazios do que antes, como se estivessem ouvindo respeitosamente alguma coisa.

Esse período durou três meses.

Após os três meses, tudo voltou ao normal. No entanto, havia algo… diferente neste Mar Violeta, algo que ninguém podia sentir.

Era como se dentro do mar, cada ondulação das ondas contivesse uma vontade.

Isso pertencia a Meng Hao!

Meng Hao, no entanto, não estava ciente disso. Ele não tinha certeza de quando exatamente havia acordado. Não se lembrava de quem era, nem possuía nenhuma de suas memórias. Tudo o que lembrava era que havia acordado e se tornado o Mar Violeta.

Ele era o mar violeta.

O Mar Violeta… também era ele.

Confuso, olhou em volta. Não se lembrava de quanto tempo havia passado.

Ele viu a chuva parar de cair, até que nem uma gota podia ser vista. Também viu um homem jovem, de manto preto, sentado de pernas cruzadas nas profundezas do mar.

No instante em que viu o jovem, o jovem também sentiu Meng Hao, e um olhar de descrença e espanto encheu seu rosto. Seu corpo começou a tremer como se tivesse frio. Embora Meng Hao não entendesse por que, o jovem de repente se transformou em um morcego de cor preta e então começou a fugir aterrorizado.

Toda vez que Meng Hao voltava sua atenção para ele, ele tremia de terror indescritível e fugia em alta velocidade.

Meng Hao realmente não entendia. Desviou o olhar e começou a examinar o mundo ao seu redor novamente, um pouco atordoado. Logo, os cultivadores começaram a aparecer acima do mar, chegaram para caçar os espectros.

Meng Hao viu tudo isso com muita clareza. Também viu alguns dos Cultivadores caírem no mar e perderem suas vidas.

Meng Hao assistiu tudo com confusão. Mais e mais Cultivadores chegavam.

Eles tinham o cuidado de não tocar na água do mar. Usando suas habilidades divinas e técnicas mágicas, conseguiram encontrar algumas das ilhas montanhosas que não estavam completamente submersas. Começaram a construir cidades ao redor dos picos, acima da água do mar.

Chamavam de cidades, mas na verdade eram mais como postos avançados.

Logo, um total de dez desses postos avançados foi construído acima do Mar Violeta do Deserto Ocidental.

Meng Hao observou-os. A certa altura, um fio de vontade se elevou e enormes ondas rolaram pela superfície do mar, subitamente submergindo um dos postos avançados que estavam sendo construídos.

A ascensão dos postos avançados levou ainda mais cultivadores a virem ao grande Mar do Deserto Ocidental para caçar cuidadosamente espectros…

Após a observação, Meng Hao gradualmente se sentiu entediado. Ficou em silêncio, e o tempo mais uma vez começou a passar… embora não soubesse o quanto.

Com ninguém o perturbando, e sem imprevistos, Meng Hao poderia existir assim por dez mil anos. Então o Mar Violeta desapareceria e sua consciência retornaria ao seu corpo. Finalmente renasceria.

Meng Hao não sabia o que estava experimentando, embora parecesse que era iluminação, era na verdade algo que nos tempos antigos era chamado… Transformação demoníaca!

O corpo carnal foi abandonado, assim como a Base de Cultivo. A consciência foi destruída e depois despertada numa nova forma de vida. Tudo seria esquecido quando se tornasse um Grande Demônio.

Tudo sobre o passado foi completamente desfeito.

Dentro do mar, o tempo é esquecido. O frio sem fim não conhece o tempo.

Meng Hao viu muitas pessoas. Um deles era um homem velho usando um longo manto branco. Seu corpo emanava um aroma medicinal com o porte de um transcendente. Em um dia, num ano em particular, ele apareceu acima do Mar Violeta.

Ele olhou fixamente para as águas, e Meng Hao olhou fixamente para ele. Havia algo familiar sobre esse homem…

Ele flutuou lá silenciosamente no ar, olhando para o mar. Três meses se passaram. Finalmente, o homem soltou um suspiro suave.

— Aprendiz, você… está no meio da Transformação Demoníaca! — Ele balançou a cabeça, depois se virou e saiu, claramente cheio de emoções complexas.

O cadáver de Meng Hao estava no fundo do mar, de pernas cruzadas. Nesse momento, tremeu um pouco. Ele agora se sentia ainda mais confuso.


Tradutor: Drago | Revisores: Danielle, Delongas e Bravo



Fontes
Cores