Arifureta – Capítulo 107 – Mais tarde no Reino


Depois que Hajime deixou a praça, Shizuku fez Kouki beber a Água Sagrada e o Herói se recuperou em pouco tempo.

Os Soldados-Marionetes que Eri tinha, somavam um total de 500 pessoas, e dentro desse número, parecia que 300 se tornaram carne moída na praça por culpa do ataque de Hajime. Era provável que os Soldados restantes seguiram Freed pelo portal para o território dos Demônios.

Mais tarde descobriu se, através de investigações, que formações mágicas foram criadas com enormes Pedras Mágicas enterradas na terra na periferia do Reino, parecia que esse era o segredo por trás da forma como Freed foi capaz de transferir suas forças armadas.

Aliás, parecia que o Rei e outros líderes influentes foram mortos pelos Soldados-Marionetes de Eri, neste momento, o assento de Rei do Reino Haihiri estava vago. Até que a confusão atenuasse, Liliana e a rainha, Luluaria, assumiriam a liderança na reconstrução do Reino. Muito provavelmente, assim que tudo se acalmasse, o Príncipe Randell, que também estava seguro, subiria ao trono.

A principal razão da confusão era a falta de comunicação com a Igreja.

Mesmo com o Reino ficando em um estado tão impressionante, inquietação se generalizou e desconfiança se espalhou por seus seguidores, já que a Igreja não apareceu durante ou depois da batalha. A verdade era que todos relacionados a Igreja já tinham sido eliminados com a explosão no templo central! Se os cidadãos ouvissem sobre isso, o que eles pensariam? Um garoto com cabelo branco em algum lugar tinha um certo interesse nessa questão.

A propósito, o pilar de luz que aniquilou o enorme exército dos Demônios era a luz da condenação de Ehito-sama, que a liberou com o objetivo de salvar o Reino! Era esse o rumor que estava circulando, era uma história incrivelmente dolorosa saber que a fé deles foi ainda mais fortalecida. Hajime estava se perguntando se deveria espalhar rumores dizendo que isso aconteceu graças a Deusa da Fertilidade mais uma vez, contudo, se Aiko ouvisse sobre isso, ela ficaria se atormentando em sua mente.

As pessoas começaram a ponderar sobre o motivo para a Igreja não descer a Montanha de Deus, e, naturalmente, eles queriam subi-la para descobrir isso. No entanto, havia muito a se fazer a respeito da reconstrução do Reino, então não havia ninguém disponível para subir oito mil metros acima do solo. Aliás, como Hajime destruiu o elevador em sua luta, a única forma de chegar ao templo central era escalando a montanha.

Além disso, os restos de Hiyama foram encontrados um pouco afastados da praça. Seu corpo foi devorado e destruído em vários pontos, depois de ser espancado por Hajime e lançado para longe da praça, sem ser nenhuma surpresa, ele foi atacado por Feras Mágicas.

Acreditava-se que ele ainda estava vivo quando foi devorado porque parecia que havia traços de intensa resistência. Em especial, seu braço esquerdo estava desaparecido; julgando pelos traços de sangue, com seu braço esquerdo sendo devorado primeiro, ele correu desesperadamente por sua vida e então a lateral de seu corpo foi comida, o que causou sua morte. Se você tentasse imaginar a cena, essa devia ser uma das piores formas para se morrer.

Com isso, várias coisas aconteceram e cinco dias se passaram desde a traição e morte de seus amigos com a invasão dos Demônios.

Não era preciso dizer nada sobre Suzu, que era a melhor amiga de Eri, mas os colegas de classe que foram capturados pela obsessão e insanidade dela sofreram profundas feridas mentais. Depois das mortes de Hiyama e Kondo, Nakano e Saito, que sempre estavam juntos como os dois1, se tornaram hikikomori2.

Além daqueles que ficaram com profundas feridas mentais, Kouki e os outros receberam um pedido de Liliana para emprestarem suas forças na reconstrução do Reino com o objetivo de se recuperarem e se curarem. Desde aquele dia, Hajime e seu grupo não apareceram, então eles esperavam pelo retorno deles.

Todos os integrantes das linhas de frente e os guarda-costas de Ai-chan já conheciam os poderes de Hajime, mas eles ainda não conheciam o poder esmagador do pilar de luz que aniquilou o grande exército, mais uma vez, eles foram forçados a sentir a diferença entre seus poderes.

Como Kouki e seu grupo sabiam disso, o choque que eles receberam foi menor do que o grupo que ficou para trás. Embora eles tivessem escutado sobre o poder de Hajime dos outros que retornaram do Calabouço, eles agora sabiam que tinham entendido apenas 1/10.000 do verdadeiro terror do rapaz. Eles não podiam fazer nada além de se preocuparem com Hajime, suas companheiras e Kaori, quem ele levou consigo.

E a mais notável era Shizuku. Embora ela estivesse fazendo exatamente o que precisava ser feito, de vez em quando, ela encararia ao longe com olhos que parecia estar procurando por algo em seu coração. Estava claro para todos que ela estava pensando em Kaori, os colegas que testemunharam a morte de Kaori estavam inseguros sobre o que ele disse

Pela conversa que Hajime teve com Shizuku, parecia que havia algo sobre Kaori retornar, porém, eles estavam céticos já que a tarefa de reviver uma pessoa morta devia ser impossível, e assim, eles não foram capazes de ficar aliviados.

Eles suspeitavam que algo como o que Eri fez seria utilizado; Kaori seria trazida de volta como uma boneca, nesse caso, era fácil imaginar que Shizuku ficaria ainda mais abalada, especialmente Kouki, que sempre se advertiu enquanto observava Hajime e seu grupo.

O próprio Kouki estava muito abatido por, mais uma vez, ter sido incapaz de fazer qualquer coisa e ser salvo pela segunda vez por Hajime, o fato de que Kaori o deixou pelo Sinergista (o Herói reconhecia isso) também estava incluído, ele não foi capaz de ter nenhum sentimento bom pelo outro garoto.

Era o famoso “ciúme”, contudo, o estudante não estava consciente disso. Não seria fácil para ele admitir, mesmo se ele tivesse notado isso. Se o rapaz reconhecesse a situação, seguir em frente ou ignorar isso por conveniência… tudo dependia dele.

Ambos Kouki e Shizuku não estavam em seus estados mais animados, como Ryutaro era um cérebro de músculos, ele não era confiável, e todos os outros colegas estavam deprimidos.

Em momentos como esse, seria a hora de Suzu mostrar suas habilidades como a animadora e alegrar as coisas, porém, a pessoa em questão estava deprimida, os sorrisos que ela mostrava de vez em quando eram dolorosos. Parecia ser em grande parte pelo que Eri disse a ela. Era compreensível. Por muitos anos, a pessoa que ela pensava ser sua melhor amiga a via apenas no nível de uma ferramenta conveniente.

Mesmo assim, a classe não caiu por completo, a única pessoa se movendo para reconstruir o Reino determinadamente era Aiko.

A professora também estava preocupada com Kaori, se pudesse, ela faria qualquer coisa, porém, quando pensava no que Hajime e seu grupo estavam tentando fazer, com Yue e Tio lá, Aiko entendia que não teria utilidade. Por esse motivo, ela não poderia negligenciar os estudantes que restavam e estavam machucados, assim, ela decidiu ficar.

Como Aiko teve conversas individuais com todos os seus estudantes e os encorajou a trabalhar seus potenciais, eles foram capazes de seguir em frente.

A propósito, Aiko tinha conhecimento do que aconteceu com a Igreja, embora ela soubesse mais sobre isso do que qualquer um, a professora selou seus lábios.

Isso foi feito para não obstruir Hajime e suas companheiras, e, ao mesmo tempo, todas as vezes que ela se lembrava do que tinha feito, sua boca ficava mais pesada. Mesmo que fosse um resultado inesperado, sua resolução para seguir com isso era real. Dessa forma, quando Hajime e as outras voltassem, ela planejava dizer a Liliana e aos outros a verdade, “… oficial, fui eu”.

Apesar de Aiko parecer se comportar com alegria, por dentro, ela estava tremendo de medo. Ela própria ajudou Tio a obliterar a Igreja, se os estudantes soubessem que sua professora estava envolvida na explosão que matou Ishtar, os Sacerdotes e os Cavaleiros da Igreja, o que eles iriam pensar dela?

Ela lutou porque estava determinada a não permitir que seus estudantes se tornassem brinquedos de guerra, apesar de não se arrepender sobre essa questão, um assassinato era um assassinato. Ela com certeza já estava preparada para que seus estudantes não mais a chamassem de Sensei.

Devia se notar que David e seus colegas, os Cavaleiros Templários que atuavam como guarda-costas de Aiko, ainda estavam vivos e bem. Isso aconteceu porque depois que Aiko desapareceu, eles protestaram com os superiores, — Nos deixem vê-la! —, muitas vezes, e depois que foi confirmado que isso nunca seria realizado, eles decidiram procurá-la por conta própria, os superiores, que ficaram irritados, decidiram rebaixá-lo e os impediram de ir até o templo central. E foi assim que eles conseguiram escapar por pouco da morte no templo central. No momento, eles estavam escutando as palavras de Aiko e trabalhavam duro para ajudar no que pudessem na reconstrução.

Com esses tipos de sentimentos, Aiko e os estudantes estavam lidando com seus próprios problemas em suas mentes e ajudavam Liliana a reconstruir o Reino.

A agenda do dia era a reformulação dos Cavaleiros do Reino e a escolha dos Comandantes de cada esquadrão no campo de treinamento. A propósito, o nome da nova líder dos Cavaleiros era Kuzeri Rail. Ela era uma Cavaleira e outrora a guarda de Liliana. O nome do Vice-Comandante era Neat Komorudo. Anteriormente Comandante da 3ª unidade de Cavaleiros.

— Obrigada por seu trabalho duro. Kouki-san.

Durante os duelos de teste de seleção, Kouki atuou como um parceiro para os Cavaleiros, assim ele estava limpando seu suor no canto do campo de treinamento e essas palavras de apreciação ressoaram. Quando Kouki voltou seu olhar nessa direção, Liliana estava se aproximando com um sorriso.

— Não, isto não é nada demais. E quanto a você Lili, você mal tem dormindo nos últimos dias, huh? De verdade, obrigado por seu trabalho duro.

Quando Kouki mostrou um sorriso sem graça em resposta, Liliana também respondeu com um sorriso amarelo. Ambos mal tiveram tempo para dormir nos últimos dias. Em primeiro lugar, o motivo para seu tempo de sono ser cortado era por razões completamente diferentes.

— É porque agora não é o momento para descansar. Casualidades, lidar com a perda de pessoas amadas, disposição dos prédios que caíram, confirmação de pessoas desaparecidas, reparar a grande barreira e a muralha externa, relatórios e comunicações com cada distrito, enviar Soldados para investigar os arredores, reorganização… isto é sério, são todas coisas que precisam ser feitas. Mesmo que eu me queixe sobre isso, não há outro jeito. Minha mãe também compartilha o fardo, então eu posso continuar avançando. As pessoas que estão sofrendo de verdade são aquelas que perderam pessoas importantes e suas propriedades…

— Se você está dizendo isso, então até você que perdeu…

Pelo que Liliana disse, Kouki tentou apontar que ela perdeu o Rei, que também era seu pai, porém, mesmo que ele dissesse isso, nada mudaria, então ele calou sua boca. Lili simpatizou com os sentimentos de Kouki e disse, — Estou bem. —, com outro sorriso, então mudou de assunto.

— Como está Shizuku?

— … ela não mudou. Normalmente, ela é a mesma Shizuku de sempre, mas, sem nem notar, ela fica olhando para cima por muito tempo.

Assim que Kouki estava dizendo isso, ele encarou na direção de Shizuku que estava conversando com Kuzeri no meio do campo de treinamento.

As duas ficaram amigas por intermédio de Liliana; elas pareciam estar discutindo algo com bastante intimidade. Contudo, de repente, a conversa foi interrompida, e os olhos da Espadachim estavam encarando o alto, em outras palavras, você poderia dizer que ela estava olhando a vizinhança do topo da Montanha de Deus.

— Ela está… esperando por eles, huh.

— Isso mesmo. Para ser sincero, o que Nagumo disse é muito… indigno de confiança… apesar de eu preferir que Shizuku se encontre com eles…

Liliana tinha uma expressão um pouco surpresa assim que ela voltou seu olhar de Shizuku para Kouki. A expressão de Kouki era complicada; estava claro que o que o estudante disse não estava de acordo com o que ele pensava. Ciúme, suspeita, medo, orgulho, gratidão, antipatia, vários sentimentos estavam misturados, a expressão do rapaz era difícil de ser definida.

Liliana não podia encontrar as palavras corretas para dizer a Kouki, ela olhou para cima, para o topo da Montanha de Deus, onde Hajime e suas companheiras deviam estar.

O céu estava limpo, era como se a crise de extinção de alguns dias atrás nunca tivesse acontecido. Esse céu parecia estar com um humor despreocupado, Liliana possuía sentimentos um pouco amargos sobre isso e continuou olhando para o céu.

Então, nesse momento, ela começou a ver alguns pontos escuros no céu. Com um olhar desconfiado, Liliana apertou seus olhos e notou que esses pontos escuros estavam ficando cada vez maiores, ela notou que algo estava caindo e, em pânico, chamou Kouki a seu lado.

— Ko-Kouki-san! Ali! Não tem algo caindo!?

— Eh? O que você está… todos! Cuidado! Alguma coisa está vindo do alto!

A atitude de Liliana surpreendeu Kouki, mas assim que ele olhou para cima, ele confirmou que algo estava mesmo caindo, — Se abaixem, é um ataque inimigo! —, ele avisou em voz alta com uma expressão impaciente.

Shizuku e os outros entraram em pânico e rapidamente evacuaram o campo de treinamento e seguiram para o lado de Kouki, ao mesmo tempo, algo aterrissou.

Zudoooooon!!

A terra tremeu quando o que estava caindo atingiu o solo, enquanto nuvens de poeira dançavam, o que apareceu de dentro dela foi… Hajime, Yue, Shia e Tio; eram quatro pessoas.

— Nagumo-kun!

A primeira a avançar foi Shizuku. Assim como Hajime disse, ela acreditou neles e aguardou. Ficar excessivamente preocupada era inevitável. Contudo, no grupo de Hajime, a figura de Kaori não podia ser encontrada, a expressão da Espadachim começou a ficar desconfortável e escureceu.

— Yooooo, Yaegashi. Você está se cuidando?

— Nagumo-kun… onde está Kaori? Por que Kaori não está aqui?

Shizuku relaxou um pouco depois da piada de Hajime, contudo, era verdade que Kaori não estava diante dela, como esperado, deve ter sido difícil demais desfazer a morte de Kaori, a garota já era incapaz de esconder sua inquietação e perguntou com uma voz trêmula.

Por outro lado, Hajime tinha uma expressão vaga.

— Ahhhh, ela logo vai chegar aqui. É só que… sua aparência pode ter mudado um pouquinho… por causa disso, entenda, será complicado se você botar a culpa em mim, un, não foi minha culpa, então não fique zangada.

— Eh? Espere um pouco. Quê? O que aconteceu? Isso está me deixando extremamente preocupada! O que você quer dizer? O que você fez com Kaori? Dependendo das circunstâncias, com a katana negra que você me deu…

Para as palavras de Hajime, que apenas atiçaram as chamas de sua inquietação, a luz nos olhos de Shizuku desapareceram e ela começou a esticar sua mão na direção de sua katana negra em sua cintura. — Dudu —, Hajime estava segurando Shizuku, de repente, eles começaram a ouvir um grito no céu.

— Kyaaaa!! Hajime-kuuuun! Me pegueeee!!

Quando Shizuku e os outros estavam se perguntando o que estava acontecendo e olharam para cima, eles viram algo parecido com uma sombra de prata caindo com velocidade alucinante.

Com a excelente visão cinética de Shizuku, ela viu uma mulher com cabelo prateado e olhos azuis, que tinha uma beleza que poderia competir com um lindo trabalho de arte produzido por artista renomado, e contra sua bela aparência, a mulher estava caindo enquanto batia seus braços e pernas com lágrimas em seus olhos e uma expressão miserável.

A mulher de cabelo prateado e olhos azuis caiu mergulhando na direção de Hajime. Em seus olhos, você poderia ver que ela confiava que seria pega.

Porém, trair esse tipo de sentimento era a especialidade de Hajime. No lugar onde ele deveria supostamente pegá-la, no momento antes de eles colidirem, o garoto pulou para trás de repente, — Eh? —, o olhar dele desviou do da mulher e ela se esmagou contra o chão como se fosse consumida pela terra enquanto seus olhos viravam pontos escuros.

Todos tinham expressões de tremor enquanto olhavam para Hajime, que não tinha intenções de pegar a mulher, — Ela está morta, não está? — Entretanto, depois que a nuvem de areia se dispersou de novo, a linda mulher com cabelo prateado e olhos azuis apareceu, Aiko e Liliana soltaram gritos de aviso.

— Quê!? Por que, você está…

— Todos! Se afastem! Ela é uma pessoa perigosa que sequestrou Aiko e ajudou Eri!

Com essas palavras, Kouki e os outros colegas de classe no local, Kuzeri e os Cavaleiros, todos pegaram suas armas ao mesmo tempo. Especialmente Shizuku, que estava perto de Hajime e seu grupo, que logo se preparou para realizar um saque rápido; ela tinha olhos penetrantes cheios de intenção assassina contra a pessoa que ajudou a causar a morte de Kaori. Se uma abertura surgisse, ela iria na mesma hora a abater.

Para o grupo que a encarava, Nointo, que tinha um lindo rosto e cabelo prateado com olhos azuis, como se não tivesse sofrido nenhum dano com a queda, se moveu com agilidade e se levantou com facilidade. Assim, por um momento, ela encarou Hajime com olhos reprovadores, e, de forma inacreditável, ela, que não tinha emoções ou expressões como uma máquina, agora as possuía, e falou com Shizuku em pânico.

— Es-espere! Shizuku-chan! Sou eu, eu!

— ???

Shizuku estava com uma expressão de suspeita com a mulher que a chamou por seu nome em seu primeiro encontro.

Hajime, que estava ao lado dela, murmurou, — Você parece uma impostora suspeita. —, a mulher gritou com ele e então desviou o olhar. Era impossível para Aiko e os outros não pensarem nela como uma inimiga. Apesar da aparência e voz serem diferentes, os gestos casuais da mulher estranha e a atmosfera quando ela se identificou eram como uma sombra da melhor amiga de Shizuku.

Enquanto gentilmente relaxava sua posição de saque rápido, a Espadachim ficou perplexa e murmurou o nome de sua melhor amiga.

— … Kao-ri? Você é… Kaori?

Ela ficou extremamente feliz por Shizuku notar que era ela. A mulher com cabelo prateado e olhos azuis ficou com o rosto iluminado! E ela respondeu com uma voz animada.

— Un! Eu sou Kaori! A melhor amiga de Shizuku-chan, Kaori Shirasaki. Embora minha aparência tenha mudado, eu estou mesmo viva!

— … Kaori… Kaoriiiii!

Shizuku ficou espantada. Apesar de ela não fazer ideia de como as coisas terminaram dessa forma, mesmo assim, com o fato de que sua melhor amiga ainda estava viva e na frente dela, por fim aceitando a situação, a Espadachim abraçou Kaori, que obteve um novo corpo de uma mulher com cabelo prateado e olhos azuis, com todas as suas forças e chorou.

Kaori também estava soluçando como um bebê e, como Shizuku, ela abraçou sua amiga com força e sussurrou de forma gentil.

— Eu sinto muito por te deixar preocupada. Eu estou bem agora, eu estou bem.

Higu, gusu, eu estou contente, tão contenteeee.

Ambas enterraram seus rostos no pescoço uma da outra, e Shizuku e Kaori confirmaram a existência da outra pessoa.

Todos que viram isso ficaram completamente aturdidos, por um tempo os choros de carinho e ternura ressoaram pelo campo de treinamento.


— Então, o que exatamente isto significa?

Com olhos vermelhos e inchados pelas lágrimas, as bochechas de Shizuku também estavam coradas com a mesma quantidade de vergonha, e determinada a esconder seu embaraço, ela exigiu uma explicação da situação.

A atual localização foi alterada do campo de treinamento para o grande salão onde Kouki e os outros alunos comiam. A respeito de Shizuku, foi explicado que quanto ao coração, ela era Kaori, mas seu corpo pertencia a alguém chamada Nointo, por enquanto, Liliana os incentivou a se moverem para um local mais calmo. Contudo, não era apenas Shizuku quem seguiu para lá, todos os estudantes, assim como Aiko e Liliana, estavam participando da reunião.

— Bom, vejamos… indo direto ao assunto. Usando magia, a alma de Kaori foi protegida, no corpo de Nointo? Em seus restos? Maa, nós o restauramos e o usamos.

— Entendo… na verdade, eu não entendi nada!

Shizuku apenas encarou Hajime enquanto ele dava uma explicação extremamente simples. Pelo olhar, estava claro que ela dizia, — Isso é tudo que há para explicar? Ahh? —, com um olhar inseguro. No lugar de Hajime, que tinha uma expressão que dizia que sua motivação para explicar isso era inexistente, Kaori decidiu explicar com uma expressão impressionada.

— Então, Shizuku-chan. Você sabe que a magia que usamos agora é uma versão degradada da magia esquecida do passado chamada de Magia da Era dos Deuses, correto?

— … sim. Eu estudei um pouco da história deste mundo. Essa é a magia que aparece nos mitos sobre como este mundo foi criado? Ao invés da magia atual baseada em atributos, elas eram mais fundamentais em seus usos… espere. Você quer dizer que é esse tipo de situação? A Magia da Era dos Deuses que Nagumo e vocês têm é do tipo espiritual… um poder que permite interferir com a alma de uma pessoa? Com isso, o espírito de Kaori, que morreu, foi protegido e armazenado em um corpo diferente, foi isso?

— Correto! Como esperado de Shizuku-chan.

Por alguma razão, Kaori estava estufando seu peito com orgulho. Na verdade, a velocidade com que o cérebro de Shizuku era capaz de processar as coisas era rápida. Hajime também sabia disto, porém, ele mais uma vez ficou impressionado.

— Mas por que esse corpo? O corpo de Kaori não servia mais? Eu pensei que vocês poderiam dar um jeito de curar o ferimento que foi infligido em seu coração com a Magia de Cura…

— Ahh, a verdade é que o corpo de Kaori foi restaurado e seria possível devolver sua alma para ele.

Magia Espiritual era uma Magia da Era dos Deuses estonteante onde você poderia literalmente se tornar imortal através a fixação contínua de sua própria alma.

“Fixar” significava que a magia preservaria o espírito do morto afetado com o objetivo de não permitir que ele deteriorasse nem desaparecesse, a princípio, isto foi o que Tio realizou em Kaori. Contudo, foi sorte Tio conseguir fazer isso a tempo porque a magia seria ineficaz se muito tempo se passasse desde a morte do alvo.

Ao “estabilizar”, assim como o termo dizia, independentemente do espírito fixado, ele se estabeleceria, não importava se fosse um meio orgânico ou inorgânico. Corpos que começaram a apodrecer ainda fariam a pessoa morrer mais uma vez, mesmo se eles se estabelecessem eles mesmos, porque esse tipo de corpo não seria adequado para a sobrevivência, entretanto, seria possível com um corpo saudável, também era possível abandonar a roda do tempo e se tornar imortal como Miledi Raisen, que se estabeleceu em um Golem.

Obviamente, esta magia não era tão simples que podia ser utilizada sem testes e treinamento adequados. Eles só tiveram sucesso porque Yue e Tio tinham talento natural com magia. Ainda assim, levou cinco dias inteiros para estabilizar a alma de forma correta.

— Então, por que… o que aconteceu com o corpo original de Kaori? Deve ter acontecido algum tipo de problema, não é?

— Shizuku-chan, se acalme. Eu vou explicar tudo.

Enquanto acalmava Shizuku, Kaori continuou a explicar.

No início, Hajime tentou devolveu o espírito da garota para seu corpo original, que eles restauraram com a Magia de Regeneração.

Contudo, aquela que o disse para esperar foi Kaori. Mesmo estando presa em seu estado espiritual, Orientação Espiritual poderia ser utilizada para se comunicar com a alma. Kaori, que ainda era apenas um espírito, ouviu sobre Miledi Raisen e pediu para ser colocada em algo parecido com um Golem, como fez a Libertadora. Se fosse Hajime, então ele seria capaz de criar um poderoso Golem.

Nas Ruínas Submersas Merujiine, Kaori percebeu sua própria impotência, ela não tinha intenções de continuar da forma que estava3. A Curandeira também não tinha intenções de desistir de ficar ao lado de Hajime. Nesse momento, ela sabia que seria morta com facilidade. Covardia, miséria e agonia … se fosse assim, ela pensou: “E se eu descartasse meu corpo humano?”.

Assim que Kaori se determinava com algo, ela se tornava muito teimosa. Apesar de Hajime e as outras tentarem falar com a garota, ela não escutaria. Essa determinação era tão forte que fez Hajime erguer suas mãos em rendição.

Sem outra escolha, o garoto decidiu criar o mais forte Golem que pudesse, contudo, uma lâmpada se acendeu dentro de sua cabeça! “Eu posso usar aquilo, não posso?”. Isso mesmo, ele estava pensando em Nointo, a quem ele perfurou o coração.

Depois de Hajime recuperar os restos da Apóstola, Yue usou Magia de Regeneração para recuperar todas as feridas dela. O poderoso corpo da Apóstola de Deus se tornou o novo hospedeiro do espírito de Kaori; foi um grande sucesso “estabelecer” a alma da garota nele.

Infelizmente, apesar do “órgão” em forma de Pedra Mágica que fornecia Poder Mágico infinito ser regenerado, ele não estava funcionando, contudo, a magia inerente de Nointo, Decomposição, suas espadas gêmeas e habilidades, asas de prata e penas, eram todas utilizáveis.

Parecia que o corpo de Nointo se lembrava de todas as suas experiências de combate anteriores e sabia como usar suas habilidades, embora a Curandeira fosse incapaz de voar agora porque o corpo ainda era novo, assim que ela se acostumasse, ela seria capaz de utilizar as verdadeiras habilidades da Apóstola de Deus. Agora que ela podia manipular magia diretamente, ela estava mais que qualificada para ficar lado a lado com Hajime e seu grupo.

Kaori, que estava feliz por seu espírito ser estabilizado com sucesso neste corpo, estava mesmo animada. Afinal, ela tinha a aparição de uma incrível beldade e estava comemorando com um grande sorriso. A oponente que Hajime enfrentou há pouco tempo estava fazendo uma cara muito feliz e, além disso, ela estava se agarrando a ele, como esperado, até o garoto não sabia que isto aconteceria e suas sobrancelhas formaram um “八”.

A propósito, o corpo real de Kaori estava sendo guardado na Caixa do Tesouro enquanto era congelado pela magia de Yue. Uma linda garota congelada no gelo criava uma sensação muito misteriosa. Como células seriam destruídas no processo de descongelamento, era possível as restaurar com a Magia de Regeneração se ela quisesse voltar a seu corpo; a possibilidade de tudo correr bem era muito alta.

— … entendo. Haa, Kaori, você sempre foi um pouco espontânea, mas desta vez, você se superou.

Depois de ouvir a explicação de Hajime, Shizuku colocou uma mão em sua cabeça para suprimir sua dor de cabeça. Essa dor foi pior na vez em que ela perguntou sobre o jogo favorito de Hajime e teve que visitar uma loja de jogos, apenas para entrar por engano na seção de jogos adultos.

— Ehehe, desculpe por te preocupar Shizuku-chan.

— … está tudo bem. Contanto que você ainda esteja viva, então…

Shizuku disse enquanto sorria para Kaori, que tinha uma expressão de culpa, então ela endireitou sua postura e mudou sua expressão para uma mais séria, a Espadachim se virou para Hajime e as outras e curvou sua cabeça.

— Nagumo-kun, Yue-san, Shia-san, Tio-san. Muito obrigada por salvarem minha melhor amiga. Apesar de meus débitos continuarem aumentando e eu não ter feito nada em troca… eu nunca esquecerei este favor por toda a minha vida. Se há algo que eu puder fazer, sinta-se livre para me pedir. Eu farei o meu melhor para corresponder.

— … você é honesta como sempre. Maa, não ligue tanto para isso. Nós apenas ajudamos nossa própria companheira.

Shizuku mostrou um sorriso irônico para a resposta de Hajime. Não foi apenas Kaori, os estudantes foram todos salvos também. Havia vidas que foram salvas duas vezes com isso. Mesmo após salvá-los de suas crises, o resultado da batalha foi conveniente para as próprias circunstâncias de Hajime, seu estado de espírito já era algo que só poderia ser considerado piada por sua forma tão diferente.

E, de alguma forma, o clima calmo também tinha um traço de maldade, Shizuku atentamente apontou isso.

— … considerando tudo isso, embora você também estivesse preocupado comigo, você me deu o remédio pelo bem de Kouki, não é?

— Se você se quebrasse, então Kaori ficaria perturbada…

— Per-perturbada você diz… isso é horrível Hajime-san

Respondendo a frase sarcástica de Shizuku, a correção de Kaori também surgiu, — Além disso… —, Hajime continuou.

— Assim como uma certa Sensei disse, eu não devo seguir uma “vida solitária”. Embora eu não possa prestar atenção a tudo, se for apenas isto…

— !!! Nagumo-kun…

Aiko, que se manteve em silêncio enquanto Shizuku, Hajime e Kaori tinham sua conversa, olhou para o rapaz com olhos marejados que estavam tomados pela emoção devido as palavras de seu aluno.

Os outros estudantes estavam estranhando que os ensinamentos de Ai-chan tivessem alcançado Hajime, que ficou exageradamente arrogante, parecia que a professora era mais impressionante do que eles imaginaram; Shizuku, Yue e as outras garotas sentiram que algum outro tipo de sentimento também estava incluído nos olhos de Aiko.

A aparência de Kaori parecia dizer, — Não pode ser! —, pedindo por confirmação, ela alinhou seu olhar com Shizuku, Yue e as outras; o grupo de mulheres concordou com um olhar feroz enquanto Shizuku desviava seus olhos e encarava o céu.

A Espadachim sentiu que um clima delicado estava começando a se formar e decidiu continuar falando para fazer as coisas voltarem ao normal. Havia uma montanha de coisas que ela ainda queria perguntar.

— Naquele dia, o dia em que a Sensei foi sequestrada, podemos ouvir o que você planejava nos dizer? Essa conversa com certeza tem algum tipo de relação com Nagumo-kun e os outros que adquiriram a Magia da Era dos Deuses, não tem?

Hajime ouviu as palavras de Shizuku e voltou seu olhar para Aiko. Pressão silenciosa caiu sobre a professora para que ela explicasse a situação. Enquanto limpava sua garganta, — Kohon —, Aiko começou a explicar o propósito de Hajime com suas viagens, e ela começou a explicar tudo desde os eventos quando ela foi presa no templo central até o Reino ser invadido.

Após terminar de explicar tudo, a primeira pessoa e erguer sua voz foi Kouki.

— O que isso significa? Então, você está dizendo que estamos apenas dançando na palma da mão de Deus? Por que você não nos disse isso antes!? Você poderia ter nos contado quando nos reencontramos em Orcus!

Apesar do olhar e voz crítica do Herói, Hajime apenas encarou Kouki como se ele fosse um inconveniente e não disse nada. Ele foi ignorado. Com essa atitude, Kouki se levantou de seu assento fazendo barulho e estava cheio de hostilidade contra Hajime.

— Que tal fazer alguma coisa!? Você poderia ter me dito isso mais cedo!

— Espere um pouco Kouki!

O apelo de Shizuku não foi ouvido, Hajime franziu o cenho irritado com Kouki, que perdeu sua paciência; após suspirar profundamente, o garoto olhou para o Herói como se ele fosse um incômodo.

— Se eu tivesse dito, você teria acreditado em mim?

— O que foi?

— De qualquer forma, você é uma pessoa que ama acreditar em suas interpretações convenientes. A maioria das pessoas acreditaria que Deus “enlouqueceu” se ouvisse isso? Eu sabia que não faria sentido falar sobre isso, longe de acreditar em mim, você iria apenas me criticar, não é? Esse tipo de cena surgiu em minha mente.

— Ma-mas se você tivesse explicado isso com clareza, então…

— Você é idiota? Por que eu teria que me esforçar tanto por vocês? Tenho certeza que você não está pensando que seria minha obrigação apenas porque somos colegas, assim eu naturalmente emprestaria meu poder, é isso? Pensar em algo tão tolo quanto isso… você é parente do Hiyama?

Com o olhar de Hajime, que era tão frio quanto o zero absoluto, todos os colegas de classe desviaram seus olhos.

Porém, parecia que Kouki não estava convencido e continuou a encarar Hajime com severidade. Kouki não notou que Yue, que estava ao lado do Sinergista, estava olhando o Herói com olhos irritados, declarando, “Você já foi salvo duas vezes, então por que você continua agindo assim?”.

— Mas, se vamos lutar contra Deus juntos a partir de agora…

— Espere, espere Herói (Risos). Quando eu disse que iria enfrentar Deus? Não vá decidindo isso sozinho. Sem dúvidas, eu vou mata-lo se ele vier para esse lado, porém, eu não tenho intenções de sair por aí procurando por ele. Porque eu só quero completar todos os Grandes Calabouços e voltar para casa logo, para o Japão.

Os olhos de Kouki se arregalaram quando essas palavras foram ditas.

— Naa, você não pode estar dizendo que, independentemente do que aconteça com as pessoas deste mundo, estará tudo bem para você!? Se não fizermos algo sobre esse Deus, pessoas vão continuar sendo seus brinquedos para sempre! Você vai abandonar eles!?

— Eu não estou disposto a usar meus poderes por alguém cujo rosto eu nem mesmo conheço…

— Por quê… mas por quê!? Você não é mais forte do que nós!? Se você tem tanto poder, então você deve ser capaz de fazer alguma coisa! Se você tem poder, você não deveria usá-lo para fazer o certo!?

Kouki estava uivando. Como sempre, suas palavras estavam transbordando com justiça. Entretanto, tais “palavras” eram contrárias ao desejo da outra pessoa, assim, elas não alcançaram Hajime. O rapaz olhou para Kouki como se ele fosse apenas uma pedra que você encontra ao lado da estrada.

— … se “você tem poder”, huh. É exatamente por isso que você sempre está humilhando-se no chão. Eu acredito que poder deve ser usado com intenções definidas. Você não faz algo porque você tem poder. Porque você deseja algo, você usa seu poder. Se você está dizendo que apenas porque “você tem poder” você tem que fazer algo, não importa o seu desejo, então isso não é nada mais do que uma “maldição”. Essa vontade é frágil demais. Ou melhor, eu não tenho intenções de argumentar sobre que caminho você e eu tomaremos. Qualquer coisa além disto será irritante, então eu vou mesmo te fazer voar.

Depois que Hajime disse isso, seus olhos voltaram ao normal como se ele não tivesse interesse em Kouki e nos outros.

Por sua atitude, o Sinergista falava sério sobre sua relação com esse mundo, o Herói percebeu que isso não era rancor nem ódio, ele simplesmente não tinha interesse. Depois que a razão para ele perder foi dita, Kouki ficou em silêncio enquanto tremia com violência. “Eu tenho uma vontade forte!”, o Herói queria contestar, mas, por algum motivo, essas palavras não saíram.

Os outros estudantes também, por algum motivo, entendiam que Hajime voltando e se juntando a eles mais uma vez não passava de um sonho, e os estudantes tremiam muito quando pensavam que poderiam mesmo acabar como Hiyama se dissessem algo sem pensar.

Afinal, mesmo que eles fossem apenas marionetes, o oponente era alguém que não tinha hesitação e transformou todos os Cavaleiros, incluindo Meld, em pedaços de carne. Quanto ao grupo que ficou para trás, eles não poderiam nem mesmo olhar Hajime nos olhos após verem o inferno.

— … como imaginado, você não vai ficar por aqui? Eu queria que você ao menos ficasse até que o sistema de defesa do Reino fosse consertado…

A pessoa que pediu isso foi Liliana.

Neste momento, confusão ainda existia dentro do Reino, apesar da formação mágica que permitiu a transferência de larga escala ser removida, eles ainda estavam em um estado onde não se sabia quando os Demônios atacariam, assim, Hajime e seu grupo eram existências que o Reino não queria perder. Freed, que parecia ser o General do exército inimigo, só recuou porque Hajime estava presente. Com apenas Hajime e seu grupo estando ali, o Reino já tinha um tipo de repelente.

— Como as coisas já foram resolvidas com a Apóstola de Deus, eu quero me apressar e seguir em frente. Ressuscitar Kaori nos custou cinco dias. Eu planejo partir amanhã.

Apesar dos ombros de Liliana encolherem, depois que Hajime e seu grupo partissem, não havia forma de deter Freed e seu exército, assim, como ela era uma Princesa, ela precisava ter uma arma contra eles.

— Há alguma coisa… pelo menos, aquele pilar de luz… aquilo também é um dos Artefatos de Nagumo-san, não é? Você pode nos permitir usá-lo para a proteção do Reino? Eu farei qualquer coisa que puder para recompensa-lo por isso, então…

— … ah, Hyperion4, huh. É impossível. Aquela coisa quebrou depois do primeiro golpe… ela era um protótipo afinal. Se eu não realizar nenhuma melhoria…

A arma de aniquilação de Hajime, Hyperion, que apagou o enorme exército de Feras Mágicas e Demônios era, em resumo, um laser de convergência da luz do Sol. Antes de descer a Montanha de Deus, ele voou para o alto para recuperar a arma.

Hyperion era uma enorme fuselagem de lentes que convergia a luz do Sol; a arma também podia se carregar dentro da Caixa do Tesouro, que possuía capacidade de gerar calor instalada. Um enorme calor, que transbordava da Caixa do Tesouro, seria descarregado através da entrada de lançamento onde a Magia da Gravidade foi adicionada para fazer essa descarga seguir em direção ao chão.

E a melhor característica de Hyperion era o fato de ela poder convergir a luz do Sol mesmo quando era noite. Era um segredo que contava com o Sol falso de Oscar Orcus, um item que acendia as salas em seu Calabouço. A luz do Sol desse item foi criada com o uso da Magia de Regeneração junto da Magia Espacial; foi graças à colaboração dos Libertadores, que combinaram suas Magias da Era dos Deuses, que o item foi criado, algo que Hajime não conseguiu entender a princípio.

Até para o Hajime de agora era impossível criar um Sol falso. Aliás, Hyperion ainda estava em seu estágio experimental, a arma não era capaz de suportar seu próprio calor e se quebrou, então ela não poderia mais disparar. Em primeiro lugar, Hyperion não era a única arma de aniquilação que o garoto criou, porém…

— É… mesmo…

Após escutar as palavras de Hajime, mais uma vez, os ombros de Liliana encolheram. Então, Kaori, Shizuku e Aiko perfuraram o garoto com seus olhares. As três pessoas já sabiam da postura de Hajime. Embora ele dissesse que iria considerar as pessoas a seu redor até certo ponto, de forma simples, o fato de que ele era indiferente com este mundo não mudou. Ajudar seus arredores era uma forma de impedir que a tristeza atingisse indiretamente Yue e as garotas. Foi por isso que as três pessoas não falaram nada. Elas não falaram, mas a persuasão delas foi exibida em seus olhos.

Apesar de Hajime ignorá-las enquanto bebia seu chá, ele murmurou porque elas foram muito persistentes.

— … antes de partirmos, eu ao menos vou consertar a Grande Barreira.

— Nagumo-san! Muitíssimo obrigada!

Hajime ignorou a expressão alegre de Liliana, que estava brilhando, e com um, — Isso é o suficiente? —, ele encarou Kaori e as outras duas. As três pessoas, assim como Liliana, devolveram sorrisos alegres a ele.

“De alguma forma, as coisas ficaram mesmo agradáveis agora”, ele pensou, até Yue e Shia ao lado do garoto estavam sorrindo, — Maa, eu acho que isto não é tão ruim —, Hajime mostrou um sorriso sem graça enquanto encolhia seus ombros.

— E para onde vocês estão planejando ir Nagumo-kun? Se você está desejando a Magia da Era dos Deuses, então vocês estão indo para os Grandes Calabouços, não é? Se vocês vieram do Oeste, então… é o Mar de Árvores?

— Ahh, essa é nossa intenção. Eu planejei seguir via Fhuren, porém, seguir em parte na direção do Sul seria uma chateação, assim, eu pensei eu irmos direto para o Leste.

Após ouvir o que Hajime tinha planejado, a expressão de Liliana era a de alguém que pensava em algo.

— Portanto, vocês vão passar pelo território do Império?

— Isso provavelmente irá acontecer…

— Nesse caso, estaria tudo bem se eu me juntasse a vocês?

— Nn? Para quê?

— Há muitas coisas a se falar com o Império sobre o Reino sendo invadido. O mensageiro e o Embaixador já tinham partido para o Império, porém, seria melhor falar sobre a situação o mais cedo possível. Com o Artefato de transporte de Nagumo-san, chegar ao Império será muito rápido, correto? Por isso, eu estava me perguntando se poderia acompanhá-lo e ter uma conversa direta com eles.

Hajime estava impressionado com o plano ousado de Liliana e como ela planejou seguir até o Império, se ele pensasse sobre isso, ela era a Princesa que, com o objetivo de obter ajuda, fugiu do Reino e viajou com uma caravana. Pensando nisso, ele ficou estranhamente convencido que era natural que ela pensasse em uma ideia dessas.

E como não seria um problema muito grande apenas deixá-la em algum lugar pelo caminho, sua mente consentiu dizendo que estava tudo bem. Contudo, ele não se esqueceu de dar um aviso a ela.

— Deixá-la por perto está bem, mas não iremos entrar no Império. Não iremos te acompanhar para um encontro com o Imperador.

— Fufu, não diga coisas tão imprudentes. Apenas me levar até lá será mais do que o suficiente.

Liliana sem querer mostrou um sorriso irônico depois do aviso de Hajime, então, Kouki, que estava em silêncio por culpa do outro rapaz, começou a falar de novo.

— Se for assim, nós também vamos acompanhá-lo. Lili não pode ser deixada com alguém que não pensa neste mundo. Nós seremos os Guardas pelo caminho. Além disso, se Nagumo não planeja fazer nada, então eu vou salvar este mundo! Para esse propósito, poder é necessário! O poder da Magia da Era dos Deuses! Se nos juntarmos com vocês, seremos capazes de obter a Magia da Era dos Deuses!

— Não, eu vou dizer a localização delas, então não venha sem receber permissão. Se você me acompanhar, vai ser sempre problemático.

“Por que você está ficando tão empolgado de repente?”, Hajime estava com uma expressão impressionada. Parece que a crítica sobre não confiar nos outros não foi entendida. Então, Aiko timidamente declarou algo antes que Hajime pudesse continuar.

— Mas, Nagumo-kun, você disse que mesmo se desafiarmos um Grande Calabouço agora, seremos mortos.

— … não, isso foi, foi outra coisa. Veja, mesmo eu que era “incapaz” consegui fazer algo, então vocês devem ficar bem. Vocês podem fazer isso, vocês podem. Em suma, vocês precisam de espírito de luta.

— Isso não é impossível?

Hajime desviou seus olhos de Aiko, que se lembrou da declaração do garoto de antes.

Quanto a Hajime, o dia em que eles superassem os limites do mundo era algo que ele não se incomodava em permitir a seus colegas de classe. Porém, ajudá-los a obter a Magia da Era dos Deuses desde o início era algo que ele absolutamente não queria fazer. Não havia outra razão além de ser uma grande perda de tempo.

— Nagumo-kun, eu poderia te pedir um favor? Apenas uma vez é o suficiente. Mesmo com apenas uma Magia da Era dos Deuses, isso fará uma diferença decisiva para completarmos os outros Grandes Calabouços. Você não nos permitiria acompanhá-lo apenas uma vez?

— Se você planeja se aproveitar de nós, a magia não vai ser obtida. É preciso agir para ser aceito pelo Calabouço.

— Tenho certeza que sim. Deixando de lado o caso de Deus, nós também queremos voltar para casa. Nós vamos desesperadamente desafiá-lo com determinação. É por esse motivo que eu estou te pedindo isso. Fomos salvos várias vezes e só pudemos dizer nossos agradecimentos para recompensar sua gentileza, mas agora, não podemos fazer além de depender de você. Por favor, nos empreste sua força mais uma vez.

— Suzu também está pedindo Nagumo-kun. Eu quero ficar mais forte e ter uma conversa com Eri de novo. Assim, eu te peço! Este favor será com certeza pago se você levar Suzu e os outros com vocês.

Até agora Aiko esteve escutando suas palavras injustificadas, apenas Shizuku queria ajudar a obter a Magia da Era dos Deuses com sinceridade. A expressão da garota estava rígida e desconfortável por ela se sentir culpada por ter que depender de Hajime e seu grupo sem ser capaz de recompensar a gentileza deles.

Suzu, que se manteve em silêncio por muito tempo, também foi influenciada por Shizuku e abaixou sua cabeça. Parecia que ela esteve pensando muito sobre Eri. Sua voz e expressão carregavam desespero. As sobrancelhas de Kouki saltaram em reação ao espetáculo que ele viu, mas, no fim, ele não disse nada.

Hajime estava hesitante. Normalmente, levar Kouki e os outros para completar o Mar de Árvores Haltina seria complicado e impensável. Ele queria recusar a proposta deles e dizer para eles irem para qualquer lugar que desejassem, desde que não fosse o Grande Calabouço Orcus ou o Grande Calabouço Raisen.

Contudo, desta vez, após sua batalha com Nointo, seu julgamento estava hesitante.

Ele pensou que eliminar Nointo, assim como os homens influentes que estavam sendo manipulados na cena do passado que eles viram nas Ruínas Submersas Merujiine5, seria um grande transtorno; a Apóstola era uma boneca que era a personificação do desejo de Deus e, literalmente, as mãos e pés de Deus que se moviam em segredo por trás das cenas.

Dessa forma, se a Apóstola de Deus, Nointo, foi criada, com toda certeza, poderíamos dizer que não haveria mais nenhuma? Seria otimista demais pensar dessa forma.

Nointo disse antes. Hajime era um irregular e o desejo de Deus era vê-lo morrer enquanto sofria. Se fosse assim, com absoluta certeza, seria lógico pensar que ele enviaria mais existências como Nointo. Assumindo isso, pelo bem da economia de tempo, “Seria uma boa ideia dar a Kouki e aos outros algum poder?”, Hajime pensou.

Apesar de ser muito maléfico jogar os outros para os inimigos que estavam o perseguindo, — Maa, o Herói está com sua mente voltada para enfrentar Deus, então não devemos ter nenhum problema, não é? —, ele pensou sem se preocupar, e, no fim, decidiu aceitar a companhia dos outros estudantes e seguiram na direção do Mar de Árvores Haltina. Por ora, ele encarou Yue e as garotas para confirmar e não parecia que elas tinham qualquer objeção.

Shizuku e os estudantes sorriram aliviados; Hajime estava pensando sobre os dois Grandes Calabouços restantes que viriam no futuro.

Independentemente do que os aguardava, o fim dessas viagens estava chegando à vista. Não importava a existência que bloquearia seu caminho, não importava a situação em que ele se encontrassem, Hajime iria destruir tudo e voltar para casa. Junto com as “pessoas importantes” que ele obteve neste mundo.

Essa promessa renovou seu desejo e incluía novos laços que surgiram e se tornaram ainda mais fortes. Enquanto sentia a chama da determinação crescendo dentro de seu coração, Hajime sorriu em silêncio.


Tradutor: Zé   |   Revisor: SrDrumond



Notas

[1] Esses quatro formavam o grupo de delinquentes que atormentava Hajime.

[2] Hikikomori (literalmente “isolado em casa”) é um termo de origem japonesa que designa um comportamento de extremo isolamento doméstico. Os hikikomori são pessoas geralmente jovens, entre 15 a 39 anos, que se retiram completamente da sociedade, de modo a evitar o contato com outras pessoas. Esse tipo de comportamento é atualmente tido como problema de saúde pública no Japão onde milhares de jovens se encontram nesta situação devido ao alto grau de perfeição exigido das pessoas em tarefas diárias e à pressão acarretada por tal exigência, o que acaba levando muitas pessoas a problemas psicológicos de baixa autoestima e, em alguns casos extremos, tendências psiquiátricas graves. Há casos extremos onde filhos chegam aos 40 anos ainda dependentes dos pais e sem experiência profissional.

[3] Kaori e Hajime tiveram uma conversa séria sobre a falta de capacidade da Curandeira (em comparação com o resto do grupo de Hajime) no capítulo 93, enquanto exploravam as Ruínas Submersas Merujiine.

[4] Hiperião, Hiperíon ou Hipérion, na mitologia grega, é um dos titãs, filhos de Urano e Gaia. Da sua união com sua irmã Teia nasceram Eos (deusa grega do amanhecer), Hélio (deus grego do Sol) e Selene (deusa grega da Lua).

[5] Hajime está se lembrando da cena do passado que viu nas Ruínas Submersas Merujiine, onde o Rei dos humanos da época massacrou os Demônios durante uma reunião para discutir a paz, no capítulo 94.



Fontes
Cores