Arifureta – Capítulo 111 – Esses caras de novo?


As imensas nuvens embaixo deles passavam depressa. As planícies de grama e as árvores estavam se sobrepondo com as nuvens, ocasionalmente, uma pequena vila podia ser vista, mas, como esperado, ela logo era deixada para trás. A viagem deveria estar acontecendo em uma quantidade considerável de velocidade, porém, algum tipo de barreira foi colocado, o que tornava a brisa agradável.

O rabo de cavalo de uma certa pessoa estava flutuando na confortável brisa, era Shizuku, que estava observando o cenário diante de seus olhos, e ela voltou seu olhar para a direção do Sol, que brilhava com força no alto.

“As bênçãos da luz vêm das nuvens, se as alcançarmos, seremos capazes de agarrá-las?”, eles estavam tão perto que poderiam pensar assim. Shizuku estava apoiando suas costas no corrimão enquanto bloqueava a luz do Sol com sua mão, como se olhasse para longe, ela de repente murmurou algo como se estivesse cansada apenas por pensar sobre isso.

— … quem imaginaria que ele construiria um dirigível. Ele já pode fazer tudo, huh.

Correto, o local onde a Espadachim estava no momento era a popa do dirigível Ferner1, que Hajime criou.

Este dirigível era feito em grande parte com Pedras de Gravidade e Minérios de Indução, junto a outras várias funções instaladas, esse era o novo meio de transporte do rapaz. A razão para eles nunca terem o usado era somente por Hajime pensar que era cedo demais.

Embora fosse difícil mover algo através das Pedras de Gravidade, quanto maior a massa, mais experiência seria necessária com a Magia da Criação. Quanto as Brocas de Cruz, elas tinham um limite de suportarem apenas uma pessoa.

Contudo, embora os resultados de acumular treinamento entre vários intervalos de tempo, ele por fim se tornou habilidoso o suficiente para operar com facilidade uma enorme massa flutuante, as informações compiladas foram então usadas para criar o dirigível, Ferner. Como eles deixaram o Reino, todos estavam duvidando de Hajime enquanto se reuniam na planície nas imediações do Reino sem uma carruagem nem um carro movido a magia, quando o garoto mostrou Ferner, ele estava com uma expressão triunfante em seu rosto.

“Faz parte do senso comum que transportes aéreos sejam obtidos perto do fim de uma jornada.”

Foi o que ele disse cheio de confiança.

Ferner tinha 120 metros de comprimento e tinha o formato de um peixe diabo2, em seu interior contava com salões que levavam a uma ponte na direção da parte da frente e alojamentos no centro, além disso, havia também uma cozinha e uma sala para tomar banho. Embora eu tenha dito isso, como eles eram capazes de viajar até o Império em apenas um dia e meio (uma viagem que levava dois meses de carruagem), não poderia se dizer quantos destes serviços seriam usados. O simples ato de flutuar no céu consumia muito Poder Mágico. Se não fosse Hajime, usar o dirigível por longos períodos seria impossível.

— Então era aqui que você estava… Shizuku

— Kouki…

Enquanto Shizuku se lembrava das palavras de Hajime e fazia uma objeção em sua mente: “Mas como você pode chamar isto de senso comum?”, ela foi chamada.

Quando a garota olhou na direção da voz, o rosto de Kouki apareceu da escotilha que se abriu. O Herói foi direto para o lado de Shizuku e com ambos os braços no corrimão, ele começou a olhar na direção das nuvens que estavam ao longe.

E ele começou a murmurar algo.

— Isto é… incrível.

— Isso mesmo. Eu já estou cansada de ficar surpresa com tudo.

Naturalmente, o que Kouki estava falando era o dirigível Ferner. Entretanto, sua expressão não mostrava traços de admiração, era algo um pouco mais desanimado e, ao mesmo tempo, humilhado.

— Como estão todos?

— Ryutaro e os Guardas estão comendo o que Shia-san cozinhou para eles. Suzu está conversando com Lili. Nagumo está… flertando. Na ponte, deitado e relaxando…

O motivo para eles acompanharem Hajime era manter sua promessa de protegerem e escoltarem a Princesa Liliana e seus Guardas para o Império, mas havia apenas o grupo do Herói. Os estudantes restantes que não poderiam lutar foram deixados com Aiko, o grupo de Nagayama também, eles decidiram proteger o Reino enquanto Kouki e os outros não estivessem lá.

Em primeiro lugar, a transferência de longa distância que Freed realizou no Reino os deu uma dica; havia um Artefato que permitiria que os estudantes voltassem a qualquer hora; se Kouki e os outros pedissem, Hajime seria capaz de fazê-los retornar na mesma hora.

Shizuku encarou Kouki, que estava remoendo suas palavras. A garota podia simpatizar um pouco com o comportamento dele, ela coçou sua bochecha e mostrou um sorriso sem graça como se dissesse: “Qual o problema?”, e falou:

— O que foi, você parece muito insatisfeito? Não te agrada saber que Nagumo-kun ficou popular?

— … não é nada disso.

Shizuku falou enquanto provocava o rapaz, a expressão de Kouki parecia dizer que ele estava mal-humorado e ele respondeu bruscamente.

— … ser capaz de criar algo tão incrível… e ser tão forte… por que ele é capaz de agir com tanta indiferença? Por que é tão fácil para ele abandonar a todos…

— …

Parecia que Kouki ainda não estava contente com o julgamento de Hajime de não enfrentar Deus e abandonar este mundo. Se o Herói tivesse tanto poder, ele partiria para salvar o mundo de Deus ele mesmo… enquanto pensava nisso, Shizuku entendeu o que ele queria dizer.

— … ele já deve ter escolhido.

— Escolhido?

A resposta murmurada por Shizuku fez Kouki voltar seu olhar para ela mais uma vez. Enquanto a garota olhava para longe, ela levou algum tempo para escolher suas palavras.

— Ele não deve ser… tão livre quanto aparenta. Talvez, embora ele pareça calmo, eu acho que ele deve estar sempre “desesperado”. Ele está sempre “desesperadamente” tentando sobreviver com suas pessoas importantes.

— …

— Ele também já disse isso, não? Você não faz algo porque tem poder, porque você quer algo você usa seu poder. Neste momento, o que você está sentindo é a “diferença”, isso não é algo que ele tinha no início. “Incompetente”, “Imprestável”, enquanto era chamado desse tipo de coisa, ele rastejou do fundo do poço e obteve poder. De forma literal, o que ele obteve no fim foi determinação e resolução. Não para derrotar Deus, nem para salvar o mundo. É muito mais simples do que isso, é por aquelas que estão ao redor dele… é muito diferente de nós, que “porque podemos, devemos agir”. Por isso, mesmo que lhe digam que: “Se você pode, então você deve agir”, ele não irá concordar com facilidade. Porque ele não obteve poder para esse propósito, se ele seguir outro caminho e perder suas coisas mais importantes, então ele não obteve nada com isso…

— … eu não consigo entender.

— Uuuun. Apesar de isso ser um pouco diferente, escute isso. “Com o objetivo de me tornar o campeão mundial de boxe, eu trabalhei duro, como eu fiquei forte, preciso me livrar do mal na cidade!”, dizer algo como isso não parece correto, parece?

— Mu… quando você coloca as coisas dessa forma… porém, o que está em jogo são as vidas das pessoas deste mundo.

Durante a conversa, Kouki teimosamente refutou Shizuku enquanto suas sobrancelhas formavam um 八.

— Maaaa, não ser capaz de abandonar pessoas em necessidade é um dos seus pontos fortes, mas… esse é apenas o senso de valor de Kouki, então você não deveria força-lo em Nagumo-kun.

— … o que isso significa, você está defendendo ele nisto?

— Que coisa infantil para se dizer. Eu estou apenas falando sobre pessoas no geral. Além disso, tenho certeza que você não se esqueceu, de uma forma ou de outra, Nagumo-kun salvou inúmeras pessoas, incluindo nós. Foi o mesmo para a Cidade de Ur3; Kaori também disse que ele salvou o Ducado de Ankaji4. Parece que ele até se livrou de uma organização criminosa que praticava tráfico de pessoas em Fhuren e também resgatou Myuu5, que era uma garota da tribo dos Habitante do Mar e a devolveu para sua mãe6. Quanto a nós, eu não acho que fizemos muito para salvar as pessoas deste mundo, fizemos?

— Mas é que…

— Com certeza, para a pessoa em questão… ele apenas agiu por aquelas que lhe são importantes, como Yue e as outras garotas… fufu, pensando sobre isso, ele “terá a oportunidade” de fazer Deus voar para longe?

— O que você está dizendo, esse tipo patético de Deus…

Enquanto pensava nessas bobagens, Shizuku riu como se isso fosse possível se fosse Hajime. Kouki estava com uma expressão complicada, porém, ele não tinha força para negar as palavras da Espadachim, então ele parou com apenas uma fraca objeção. Por um tempo, o silêncio reinou. Shizuku imaginou que seu amigo estivesse pensando enquanto carregava sentimentos conflituosos em seu interior e decidiu não dizer mais nada.

Então, nesse momento, Ferner, que estava voando em linha reta e com uma velocidade fixa, subitamente saiu do curso. Kouki e Shizuku estavam se perguntando o que teria acontecido já que eles chegariam ao Império se apenas seguissem em linha reta.

— … aconteceu alguma coisa?

— Por enquanto, vamos voltar para dentro.

Os dois acenaram com a cabeça e rapidamente voltaram para dentro da aeronave.


Quando os dois estudantes entraram na ponte, todos já tinham se reunido ao redor do objeto em forma de cristal ao centro.

— O que aconteceu?

— Ah, Shizuku-chan. Un, por algum motivo, pessoas estão sendo perseguidas pelos Soldados do Império.

Kaori respondeu à pergunta de Shizuku. O que Kaori apontou na direção do cristal cúbico eram vários Homens-Coelho correndo pelo vale; atrás deles, Soldados do Império se aproximavam; parecia que eles estavam brincando de pega-pega.

Este cristal foi criado com a Pedra da Visão de Longo Alcance e a Pedra de Transmissão de Longo Alcance com o uso da Magia da Criação, era possível projetar a imagem do ambiente ao longe com o cristal instalado na ponte, em termos simples, isso era um telescópio capaz de projetar uma imagem.

Quando Shizuku olhou para a tela do cristal, com certeza, havia duas Mulheres-Coelho entre um vale estreito e seco, elas pareciam alarmadas enquanto fugiam dos Soldados do Império, que se aproximavam atrás delas. Os Soldados Imperiais contavam com várias carruagens enormes de transporte, ao invés de persegui-las desde o início, elas tinham escapado deles? Ou eles estavam tentando capturar Homens-Coelhos que encontraram por acaso?

Parecia que Hajime e as outras viram a situação e diminuíram a velocidade de Ferner. Normalmente, ele apenas ignoraria isso, mas como elas faziam parte da raça de Shia, o garoto decidiu investigar.

— Isso não é ruim!? Temos que ajudá-los logo!

Kouki berrou como era de se esperar. Parecia que ele queria pular a qualquer momento, mesmo estando no céu.

Contudo, Hajime não respondeu o agitado Herói, o Sinergista apertou suas sobrancelhas e encarou a tela de cristal com suspeita.

— Oi, Nagumo! Você com certeza não está planejando abandonar essas garotas, está!? Se você não vai ajudar, então eu irei! Se apresse e me deixe descer!

— Shia, essas duas são…

— Eh? Areeee? Essas duas…

Hajime ignorou o furioso Kouki e chamou Shia. A Garota-Coelho parecia ter notado algo agora que eles aproximaram a imagem.

— Por que vocês dois estão tão relaxados!? Elas são da mesma raça de Shia-san, não são!? Isso não importa para vocês!?

— Me desculpe, você está um pouco barulhento demais, você poderia ficar quieto por um momento? Hajime-san, não há dúvidas sobre isso. São Lana-san e Mina-san.

— Como imaginado, huh. Graças a súbita mudança em suas condições, eu tive dificuldade para lembrar delas. Os movimentos e as expressões dessas duas… fumu.

A opinião de Kouki foi completamente ignorada por Shia e o Herói ficou em silêncio. A propósito, a razão para Kouki se referir a Shia com “san” era devido ao resultado da garota se apresentando com seu primeiro nome com um sorriso revigorante, mas Shia tinha dito para a chamarem apenas por seu nome, sem a necessidade de honoríficos com mais um sorriso.

Enquanto isso, as duas Mulheres-Coelho pararam de se mover enquanto caíam no chão. A atual posição delas era um vale um pouco mais aberto.

Quando ele viu isso, Kouki recobrou seus sentidos e decidiu que ele deixaria a ponte e seguiria para o convés dianteiro. Apesar de ainda haver uma boa distância entre elas e os Soldados, por ora, o Herói pretendia disparar magia para atrair a atenção dos Soldados do Império.

Maa, espere. Amanogawa. Está tudo bem.

— O qu-que você está dizendo!? Essas mulheres frágeis vão ser atacadas a qualquer momento!

Kiiii! Kouki encarou Hajime com frustração, contudo, o Sinergista estava sorrindo de orelha a orelha e murmurou algo interessante enquanto olhava para a tela do cristal.

— Frágeis? Sem chances. Essas duas são… “Haulia”, você não sabia?

“O que você está dizendo?”, logo após Kouki mostrar sua expressão de dúvida, — Ah! —, a voz espantada de alguém surgiu. Quando Kouki olhou para a tela de cristal para ver o que tinha acontecido, o que estava lá era… uma montanha de corpos composta de Soldados Imperiais, que foram decapitados ou perfurados precisamente na cabeça por uma flecha.

— … eh?

Não apenas Kouki, mas todos que não conheciam a tribo Haulia ficaram em choque. Enquanto isso, sentindo suspeita por as forças que deixaram as carroças de transporte não voltarem após irem perseguir os Homens-Coelhos, os Soldados decidiram enviar vários batedores.

E, quando esses batedores encontraram a montanha feita com os corpos de seus companheiros, eles chamaram as duas Mulheres-Coelho que estavam se apoiando uma na outra, tremendo enquanto os Soldados se aproximavam com vozes ameaçadoras.

Eles seriam muito mais cuidadosos em suas ações após encontrarem uma montanha de cadáveres, no entanto, diante deles estavam escravos domésticos que não tinham nenhum poder de luta. Eles se aproximaram enquanto ficavam perturbados, mas sem nenhuma cautela. Eles se aproximaram ainda mais.

No momento em que um desses batedores estava a ponto de agarrar as orelhas de coelho de uma das garotas, uma flecha surgiu e perfurou a cabeça do homem. Quando outro batedor notou o som do homem caindo no chão em convulsão, ele olhou para trás.

Na sua frente, a Mulher-Coelho que deveria estar tremendo de medo se levantou sem fazer barulho, em algum momento, ela já estava empunhando uma espada curta em sua mão e o homem diante dela foi decapitado com facilidade.

E a outra Mulher-Coelho também manteve uma postura baixa enquanto rastejava pelo chão na direção do homem decapitado, que estava caindo de lado, ela facilmente ceifou a cabeça do último batedor, que estava chocado demais com a repentina situação para reagir.

A cabeça se separou de seu corpo como se fosse um brinquedo, Kouki e os outros estudantes, — Uuuu! —, ficaram pálidos e seguraram suas bocas. A Princesa Liliana e seus Guardas involuntariamente encararam Shia quando a cena impossível de Homens-Coelhos matando Soldados do Império foi mostrada. “A especial não era apenas você?”, com seus olhos arregalados em surpresa.

— Não, sem dúvidas, eu sou a única especial. Não há como existir mais pessoas como eu. Esse foi o resultado do treinamento deles. Hajime-san os colocou em um regime infernal e monstruoso, foi um treinamento que poderia ser chamado de remodelação demoníaca, algo desse tipo.

— …

Os olhos de todos se voltaram para Hajime. Esses olhos mostraram a mesma coisa. Em outras palavras, — Foi você de novo!? — Hajime desviou seus olhos abruptamente.

Enquanto isso, a situação estava chegando a seus estágios finais. Os Soldados Imperiais restantes e a carruagem de transporte finalmente chegaram ao local do massacre. Os Soldados a pé pararam quando notaram a imagem de seus companheiros espalhados pela estrada para bloqueá-los.

Eles não poderiam apenas avançar ao pisotear nos corpos como se não fosse nada demais, acima de tudo isso, eles ficaram muito agitados enquanto faziam um tumulto.

E os Haulia não deixaram essa chance escapar. Não, tudo deve ter sido feito para que essa oportunidade aparecesse. Os Soldados Imperiais restantes somavam doze. Os Haulia pularam de ambos os lados da encosta, de repentes, todos apareceram, mas mesmo contando as duas mulheres de antes, eles eram apenas cinco. Entretanto, os Haulia que apareceram estavam muito mais preparados para lutar contra os Soldados do Império; três cabeças saíram voando, e uma pessoa teve sua testa atravessada por uma flecha.

Os Haulia não abrandaram seus ataques ferozes. Assim como a água corrente, eles atacaram os Soldados do Império como um grupo.

No momento que um dos Soldados conseguiu agarrar sua espada, um Haulia pulou para seu lado e na mesma hora cortou sua cabeça.

Flechas voavam na direção dos Soldados Imperiais. A velocidade delas era diferente das anteriores, elas eram transparentes e no instante que os Soldados tentavam prever o caminho delas, um Homem-Coelho diferente apareceria de seu ponto cego e cortaria sua cabeça.

Enquanto os Soldados soltavam gritos corajosos, eles se aproximavam chutando as cabeças de seus companheiros decapitados. No momento que seus olhos se fixaram nos Haulia, que se tornaram imperdoáveis devido a fúria em seus corações, um Homem-Coelho diferente apareceria atrás dos Soldados e os degolaria.

Quando você pensava que seria da direita, eles vinham da esquerda; quando você pensava que eles viriam da frente, eles surgiriam de trás, não havia restrições, os Soldados Imperiais estavam à mercê dos ataques que mudavam constantemente. Não levou muito tempo… até que todas as cabeças voassem pelo ar.

— Es-este deveria ser o comportamento dos Homens-Coelhos…

— Sério…

— Coelhos são assustadores…

Murmúrios cheios de horror foram ouvidos na ponte de Ferner.

— Fuuuun, a proficiência deles não caiu nem um pouco. Não parece que eles relaxaram no treinamento. Porém, a finalização deles foi um pouco fraca.

Enquanto Kouki e os outros continuavam chocados e de boca aberta, Hajime sacou Schlagen e abriu uma parte do para-brisa para empurrar o cano para fora com uma postura para atirar de pé. Havia ainda cinco quilômetros até eles chegarem ao local. Todos, excluindo Yue e o resto do grupo do Sinergista, estavam de olhos arregalados, Hajime estava sorrindo e olhando para frente sem se mover. Então, ele puxou o gatilho com gentileza.

Dobaaaaan!!

O som de uma explosão foi ouvido e uma linha brilhou pelo céu a partir do rifle, que soltava faíscas vermelhas brilhantes.

A bala explodiu a cabeça do Soldado Imperial que pulou para fora da carruagem e estava a ponto de lançar uma magia nos Haulia. Também havia Soldados dentro da carruagem. Com a Visão de Longo Alcance no Olho Mágico de Hajime, ele foi capaz de detectar a onda de magia se acumulando, o garoto notou que o Soldado planejava um ataque surpresa, assim ele o alvejou de Ferner.

Na tela de cristal, foram exibidas as expressões de surpresa da tribo Haulia quando a cabeça do Soldado foi completamente destruída. Eles logo calcularam a linha da trajetória e notaram Ferner que voava no céu.

Normalmente, eles ficariam cautelosos com o ataque que veio de um objeto voador misterioso, porém… no instante seguinte, suas expressões ficaram alegres.

Um garoto com uma besta17 em seu ombro pulou das sombras das pedras e sorriu com audácia, decidindo prestar continência com violência. Eles pareciam ter notado quem era a pessoa que disparou aquele clarão. Era esperado deles. Um clarão vermelho brilhante era um símbolo clássico do chefe deles, a quem eles amavam e respeitavam…

Os Haulia saudaram o garoto que eles seguiam de bom grado. Suas aparências foram refletidas na tela de cristal e, mais uma vez, todos os olhares se voltaram para Hajime. Desta vez, os olhos continham muito espanto. “Que tipo de coisa ele teve que fazer para tornar os gentis Homens-Coelho nisso?”, Kouki e os outros alunos pareciam fazer essa pergunta.

— Hajime-san, Hajime-san. Vamos descer depressa. Para fazerem este tipo de coisa fora do Mar de Árvores… talvez eles tenham ficado fora de controle de novo…

Kouki e os outros observaram enquanto Shia se apressava na direção de Hajime. Pela estratégia dos Haulia, eles claramente estavam mirando a força de transporte do Império, parecia que eles se afastaram do Mar de Árvores com o objetivo de matar Soldados Imperiais, o que fez Shia ficar preocupada com a possibilidade de eles terem ficados viciados em batalhas mais uma vez e ficaram fora de controle.

Hajime pensou, após ver as aparências deles, que não havia como isso estar acontecendo, no entanto, como Shia estava preocupada, o garoto ficou um pouco interessado e decidiu pousar Ferner no vale.

Quando Hajime e os outros desceram, havia muitos Demi-Humanos ao lado dos Haulia. Parecia haver cerca de cem pessoas. Julgando pela cena, o conteúdo dos vagões de transporte eram Demi-Humanos. Além de Homens-Coelhos, havia Homens-Raposa, Homens-Cão, Homens-Gato, e muitas mulheres e crianças da tribo dos Elfos. Todos olharam para Hajime e os estudantes com olhares atentos, eles não foram capazes de esconder a surpresa com o veículo voador que nunca tinham visto nem ouvido antes. Era com certeza um encontro com o desconhecido.

E, entre 80% daqueles que estavam surpresos, o garoto com a besta em seu ombro correu, deixando para trás os outros 20% dos Demi-Humanos que estavam confusos e com medo, ele imediatamente apareceu diante de Hajime e prestou uma esplêndida continência com suas costas eretas.

— Faz muito tempo Chefe! Eu estive esperando pelo dia em que nos encontraríamos de novo! Eu nunca pensei que você apareceria assim, eu estou mais uma vez impressionado! Aliás, por nos ajudar há pouco, eu o agradeço!

— Yooooo, há quanto tempo. Maaaaa, não ligue para o que aconteceu mais cedo. Como são vocês, esse tipo de dano não teria sido suficiente para derrota-los. Vocês melhoraram bastante.

Quando Hajime ficou com um sorriso em seu rosto dizendo isso, duas mulheres e três homens com orelhas de coelho apareceram do meio dos Demi-Humanos pasmados e o saudaram da mesma forma que o Garoto-Coelho, seus olhos começavam a ficar marejados por causa de suas emoções transbordantes. E, enquanto harmonizavam suas vozes, o som de seus calcanhares se juntando foi ouvido.

— Nós somos gratos Senhor!!

As vozes dos Haulia tremeram e ecoaram pelo vale. Eles ficaram tão emocionados que lágrimas apareceram em seus olhos, mas eles não choraram, já que o chefe deles, quem eles tinham em alta estima, os elogiou por seus crescimentos. Todos olharam para o céu vazio e pareciam estar segurando as lágrimas que estavam a ponto de cair. Parecia que eles colocaram esforço demais para segurar suas lágrimas, considerando que seus olhos ficaram vermelhos e assustadores. Hajime, Yue, e Shia estavam calmos, mas Tio e Kaori atrás deles, Kouki e os outros estudantes, além de Liliana e seus Guardas, todos ficaram completamente espantados.

— Un, já faz muito tempo pessoal! É ótimo que vocês continuem energéticos. A propósito, onde está o pai e os outros? São apenas vocês Pal-kun? Aliás, por que vocês estão em um lugar desses, enfrentando os Soldados do Império…

— Por favor, se acalme, Shia-anego8. Se você não fizer uma pergunta de cada vez eu não poderei responder. Por enquanto, somos apenas nós seis aqui. Há várias circunstâncias no momento, vamos encontrar um local calmo para podermos conversar melhor. E, além disso, não é Pal-kun é “Baltoferd da Morte Certa”. Por favor, não repita esse engano.

— … eh? Você acabou de me retorquir? Ou melhor, você ainda está usando esse nome… Lana-san e os outros devem tomar cuidado.

Pal era o mesmo de sempre, o que fez Shia massagear sua têmpora enquanto ela suportava uma dor de cabeça. Entretanto, a opinião para seguir para um local diferente era razoável, por ora, ela não os pressionaria, Shia deu um aviso para a mulher chamada Lana assim como os outros Homens-Coelho para não seguirem o exemplo de Pal e mudarem seus nomes.

Porém, a realidade superou as expectativas da garota.

— … Shia. Não é Lana… é “Lanainferina, a Sombra Efêmera”.

— !?!?!? Lana-san!? O que você está dizendo…

Entre os Haulia, Lana tinha uma forte imagem de irmã mais velha, as bochechas de Shia começaram a se contrair ao ver que esse cenário, que ela nunca tinha imaginado, estava acontecendo. Entretanto, os ataques ferozes dos Haulia não pararam. Atacando em ondas, eles mostraram a força de sua cooperação.

— Eu sou “Minasteria, a Destruidora dos Céus”!

— !?!?!?

— Eu sou “Yaozelius, o Fantasma”!

— !?!?!?

— Eu sou “Yorgandr, a Lâmina Silenciosa”!

— !?!?!?

Fuuuu, eu sou “Riquidbriek, a Ventania”!

— !?!?!?

Todos estavam com aparências triunfantes enquanto assumiam poses que você veria em Jojo9, assim que eles falaram seus segundos nomes. A expressão de Shia foi tomada pelo desespero. Parecia que o florescimento dos Haulia com dois nomes (chuuni10) era real. Neste ritmo, a possibilidade de todos do clã terem dois nomes era alta. A propósito, eles usaram seus nomes reais como base para seus novos nomes.

A família que se reuniu após tanto tempo ficou em uma situação onde todos estavam com poses e olhares triunfantes enquanto declaravam seus segundos nomes, a figura de Shia era muito lamentável, já que ectoplasma11 saía de sua boca. Por esse motivo, Hajime ia avisá-los que, depois de vários anos, eles ficariam agonizando devido ao constrangimento sempre que eles se lembrassem dessas expressões.

Contudo, antes que ele pudesse, uma bala perdida foi disparada por Pal.

— A propósito, qual é melhor Chefe, “Rondó12 da Morte Vermelha” ou “Furacão da Presa Branca”?

— … quê?

— O segundo nome do Chefe. Foi uma discussão calorosa na reunião do clã durante dez dias, de alguma forma, conseguimos diminuir as opções para essas duas. Contudo, precisamos descobrir qual é a melhor, a decisão acabou em um empate após uma luta entre a tribo… como chegamos a isto, devemos confiar ao chefe o julgamento final após essa reunião. Aliás, eu prefiro “Rondó da Morte Vermelha”.

— Espere, desde quando é obrigatório ter dois nomes?

— Chefe, eu estou do lado do “Furacão da Presa Branca”.

— Não, escutem o que eu estou dizendo.

— …

— O que você está dizendo Lanainferina, a Sombra Efêmera. Não importa como você observe isso, “Rondó da Morte Vermelha” combina perfeitamente com o Chefe!

—Não, hey, chega disto…

— É verdade! Ele solta faíscas de Poder Mágico vermelho, é mestre de várias armas e é capaz de correr à vontade pelos céus, é exatamente o que “Rondó da Morte Vermelha” expressa! Esta é a melhor opção.

— Parem, mais desses comentários vergonhosos e eu…

— Oioi, Yorgandr, a Lâmina Silenciosa. Se você diz isso, então seu cabelo branco, que é sua marca registrada, balançando enquanto ele carrega poderosas armas com ambas as mãos, que podem ser chamadas de suas garras e presas, e realiza ondas de ataques que parecem uma tempestade, não há outra forma de expressar isso além de “Furacão da Presa Branca”, por que você não pode entender isso? Desde quando você ficou tão senil?

— …

Ectoplasma começou a escapar da boca de Hajime. Parecia que a surpresa presente nesses comentários constrangedores estava fazendo a mente do rapaz atingir seu limite. Enquanto eles estavam se compadecendo um com o outro, uma energia desconhecida estava fluindo das bocas de Hajime e Shia, Bufu! O som disso emanando ressoou.

— Shi-Shizushizu, não é educado rir, bufuuuu!

— Su-Suzu também está rindo… kufu… eu me pergunto… se eles foram infectados pela onda chuuni, fu-fufufufu.

Quando Hajime recobrou seus sentidos e olhou para trás, os ombros de Shizuku e Suzu estavam sacudindo enquanto elas tentavam desesperadamente controlar suas risadas. Embora elas fossem incapazes de fazer isso.

Por enquanto, Hajime decidiu atirar em Pal e os outros Homens-Coelho, que estavam no meio de sua discussão acalorada, com balas de borracha e então se virou na direção de Shizuku e Suzu com um olhar reprovador, e as duas começaram a tremer.

— Yaegashi, para a pessoa ponderada que é você, eu vou te forçar a usar marias-chiquinhas13 com fitas como um presente mais tarde. É claro que eu também vou guardar imagens disso.

— !!!

— Taniguchi, eu vou encurtar sua altura em mais cinco centímetros.

— !!!

As risadas de Shizuku e Suzu pararam na mesma hora e elas tremeram de medo. Mesmo que fosse raiva injustificada e mal direcionada, se Hajime ficasse sério, então as duas não seriam capazes de se opor a ele. E os olhos do Sinergista estavam completamente sérios.

— Hmm… este seria um bom momento?

Enquanto evitava os Haulia, que estavam debatendo-se no chão, Shizuku e os outros estudantes estavam protestando com o excesso de Hajime, a voz que o chamou vinha de uma linda garota, ela era uma beldade esguia que tinha longos cabelos louros e olhos azuis. Por suas orelhas pontiagudas, eles podiam dizer que ela era uma Elfa. Hajime sentiu que ela tinha uma aparência próxima da de um dos anciões de Faea Belgaen, Alfrerick.

— Você é mesmo Hajime Nagumo-dono?

— Nn? Com certeza sou eu, porém…

Quando Hajime concordou, a linda Elfa loura de olhos azuis suspirou aliviada enquanto apertava seu peito. Em primeiro lugar, ambas as finas mãos da garota estavam presas por algemas de metal; era um estado bem lamentável. Seus tornozelos também tinham grilhões com correntes presas, todas as vezes que ela caminhava, sua pele branca ficava vermelha pelo contato com o metal.

— Dessa forma, podemos acreditar que você não nos capturará e nos escravizará? Eu ouvi de meu avô que seu senso de valores por sua própria raça é, para o bem ou para o mal, igual para tudo. Você não iria maltratar a nós, Demi-Humanos…

— Avô? Você está falando de Alfrerick?

— Isso mesmo. Eu sinto muito pela demora, mas eu sou a única neta de Alfrerick, um dos anciões de Faea Belgaen, Arutena Hypist.

— A neta de um ancião foi capturada… parece que há mesmo algo sério acontecendo.

Falando sobre a neta do ancião, ela era praticamente a Princesa dos Elfos, naturalmente, eles também teriam métodos para escapar e guardas para casos de emergência. Sem ser capaz de usá-los, ou quem sabe eles nem mesmos tiveram chance de reagir quando foram capturados, isso só mostrava quão severa era a situação. Será que algo aconteceu com a árvore gigante? Hajime franziu o cenho enquanto ficava claro que seria necessário ouvir as histórias de Pal e os outros Demi-Humanos, assim o rapaz ficou de cara fechada.

Nesta situação, Hajime chamou Pal e os outros enquanto ignorava os contínuos olhares estranhos de Arutena.

— Oi, vocês aí. Tragam todos os Demi-Humanos. A propósito. Eu vou mandá-los para o Mar de Árvores.

— Sim senhor! Ah, eu sinto muito por isto por isto Chefe. Mas eu quero entrar em contato com um companheiro que está se escondendo na periferia do Império, posso descer no meio do caminho?

— Ahh, isso vai funcionar perfeitamente, temos algumas pessoas aqui que vamos levar para o Império, eu vou descer vocês um pouco longe de lá junto deles.

— Muito obrigado!

Atualmente, Hajime e os outros não estavam tão longe do Império. O fato de que Demi-Humanos estavam sendo transportados em carruagens mostrava isso, elas não estavam indo do Mar de Árvores para o Império, mas elas vieram do Império e estavam seguindo para outro lugar. Em outras palavras, Pal e sua equipe foram para o Império para reunir algum tipo de informação, ouvindo a história do transporte, eles os perseguiram.

Os Demi-Humanos começaram a caminhar com timidez e apreensão enquanto eram guiados por Pal e os Homens-Coelhos. Quando ele viu isso, Hajime e os estudantes também voltaram para Ferner. Então, nesse momento, perto do Sinergista, — Kyyyya! —, um grito fofo ressoou. Arutena parecia ter tropeçado por causa das correntes. Enquanto entrava em pânico com ambas as mãos no ar, na mesma hora, como ela estava perto… acabou se inclinando nas costas de Hajime.

Em um instante, os Demi-Humanos ficaram azuis e endureceram. Se o outro lado fosse um Soldado Imperial, no momento em que ela o usou para se apoiar, uma mão aparecia voando contra seu rosto. Enquanto gritava: — Por que você está me tocando sem permissão, sua fera imunda! — Por esse motivo, Arutena pensou que isso aconteceria. Ela deve ter tido uma ilusão de que estava a ponto de receber um golpe.

Contudo, Hajime não era capaz de fazer coisas tão vulgares.

— Ahh? Puxa.

Assim que Hajime olhou por sobre seu ombro, ele olhou para as mãos e os pés de Arutena enquanto a garota tremia de medo quando seus olhares se encontraram, — Bem, deve ser difícil caminhar com essas coisas. —, enquanto se convencia disso, o garoto coçou sua cabeça como se isso fosse um problema e se ajoelhou diante de Arutena, que estava de pé. Com isso, os Demi-Humanos começaram uma confusão como se eles estivessem perturbados.

—Ah, hmm…

— Está tudo bem, só fique parada.

De forma parecida, Arutena estava tremendo quando o rapaz decidiu se ajoelhar, logo após isso, as ações de Hajime a fizeram ficar ainda mais apreensiva. Isso aconteceu porque o garoto estava tocando o pé da Elfa. Para ser mais preciso, ele estava tocando os grilhões, Arutena estava chocada e tremia. Nunca antes um homem se ajoelhou e tocou seus pés antes, ela ficou congelada e inquieta enquanto seus olhos percorriam o ambiente. Então, no instante seguinte, seus olhos se arregalaram com a surpresa. Assim que ela notou que Poder Mágico vermelho estava surgindo, sem qualquer som, as correntes saíram.

Quando Hajime se levantou, desta vez, ele segurou ambas as mãos de Arutena. Nesse momento, ela entendeu o que Hajime estava fazendo e conseguiu recuperar um pouco de sua compostura. E mais uma vez, a fascinante luminosidade vermelha surgiu. Uma voz baixa ressoou: — que lindo… — Foi o murmúrio. Nos últimos tempos, o Poder Mágico de Hajime ficou mais forte? Ele parecia ter ficado muito mais brilhante do que antes.

Após remover as algemas, o garoto logo as jogou para longe e, por fim, tocou o pescoço da jovem Elfa. Foi devido ao colar de escravo preso nela. Com um olhar sério e com seu pescoço sendo tocado por Hajime, as bochechas de Arutena começaram a esquentar por algum motivo. Após o Sinergista remover o colar com facilidade, — Isto deve resolver tudo. —, ele se convenceu, e como se nada tivesse acontecido, se virou.

E ele notou que, por algum motivo, se tornou o centro das atenções. Os Demi-Humanos estavam o olhando como se ele fosse uma pessoa misteriosa, Pal e os outros Haulia pareciam orgulhosos, Kouki e os outros estudantes estavam com expressões complexas, e Yue e as garotas tinham olhos repletos de espanto e sagacidade. Enquanto recuava um pouco, Hajime perguntou: — O que foi?

Entretanto, contra isso, as garotas, que notaram as bochechas levemente coradas de Arutena, reagiram.

— … nada…

A resposta foi incrivelmente fria.


Tradutor: Zé   |   Revisor: SrDrumond



Notas

[1] Ferner significa “mais longe” em alemão.

[2] O peixe diabo, ou arraia diabo gigante, é uma espécie de arraia em risco de extinção da família Mobulidae. Ela está atualmente listada como ameaçada em grande parte pela mortalidade de capturas acidentais de espécies não relacionadas.

[3] Eventos do capítulo 62, quando Hajime, Yue, Shia e Tio destruíram o exército de Feras Mágicas de Shimizu.

[4] Hajime destruiu o monstro que estava contaminando o oásis de Ankaji no capítulo 85 e Kaori fez o oásis voltar ao normal com a Magia de Regeneração no capítulo 97.

[5] Hajime e Shia encontraram Myuu no capítulo 67, durante o encontro que Shia recebeu como prêmio por salvar Aiko em Ur.

[6] Myuu se reuniu com sua mãe Remia no capítulo 91.

[7] A besta, balestra ou balesta, é uma arma com aspecto semelhante ao de uma espingarda, com um arco de flechas adaptado a uma das extremidades de uma haste e acionado por um gatilho, o qual projeta virotes (dardos similares a flechas, porém mais curtos). O conceito de um arco de flechas com haste de disparo horizontal deu origem a duas armas de guerra, a besta e a balista (sendo esta fixa no) muito maior e mais pesada. Besteiro é o nome dado a um soldado armado com uma besta. Foi bastante usada no século XVI e chegou a coexistir com arcabuzes e mosquetes (as primeiras armas de fogo), sendo depois abandonada. Hoje, continua a ser fabricada para uso na caça esportiva. Alguns modelos sofisticados também são usados por forças especiais.

[8] Anego (姉御) é uma forma informal de se dizer “irmã”. Também é usado por pessoas mais jovens para mostrar respeito a uma mulher mais velha; em obras de ficção, é normalmente usado para se referir a uma líder de um grupo de delinquentes ou de uma integrante da Yakuza.

[9] JoJo’s Bizarre Adventure (JoJo no Kimyō na Bōken, literalmente “As Bizarras Aventuras de JoJo“) é um mangá japonês escrito e ilustrado por Hirohiko Araki. O mangá foi publicado pela Shueisha em sua revista Weekly Shōnen Jump entre 1987 e 2004, e a partir de 2004 pela revista seinen Ultra Jump. É atualmente o segundo mangá mais longo da Shonen Jump com 118 volumes e ainda em produção (apenas atrás de Kochi-Kame, concluído com 200 volumes). O que fez dele, por um tempo, o mangá mais longo sem uma adaptação para televisão. O mangá conta a história da família Joestar e suas lutas contra forças sobrenaturais. Ele é divido em 8 partes e em cada uma há o mais recente primogênito dos Joestar, por via de regra apelidado de JoJo, fadado a seguir as tradições de sua família, “cumprindo com o seu destino” ao participar ativamente em combate a tal presença mística e derivados que assombram a sua família há séculos.

[10] Síndrome do oitavo ano, ou chuunibyou, é um termo pejorativo para se referir a uma pessoa com comportamento delirante, especialmente pensando que tem poderes especiais. Originalmente esse termo era usado para referir-se a crianças que gostam de agir como adultos e menosprezar os demais. O termo evoluiu e é usado para descrever o comportamento delirante em geral.

[11] O termo ectoplasma foi introduzido na parapsicologia pelo fisiologista Charles Richet para designar uma espécie de substância esbranquiçada que pode exteriorizar-se para fora do corpo de determinados médiuns, mais frequentemente pela boca, mas que pode sair por qualquer parte do corpo. É também supostamente sensível a determinados impulsos, se exterioriza visível a partir do corpo de determinados indivíduos com características especiais (sensitivo), permitindo a materialização de formas de corpos humanos distintos daquele de onde saiu ou de formas de membros tais como mãos, rostos e bustos (ectocoloplasmia – formação de apenas partes ou membros do objeto ou coisa materializada). Apesar de existirem muitos registros de atividade ectoplásmica, incluindo vasto material fotográfico, sua existência, até o momento, não foi comprovada pelo método científico.

[12] O rondó é uma forma fixa de poesia, criada na França, e de composição musical seccionada, estruturada a partir de um tema principal e vários temas secundários (normalmente dois ou três), sempre intercalados pela repetição do tema principal.

[13] Esse penteado é extremamente popular no Japão. Tradicionalmente, é um corte de cabelo usados por garotas jovens, ele representa inocência e também é conhecido como twintail ou futatsu-yui (二つ結い, literalmente “dois laços”). Existe até a “Associação Japonesa do Twintail“, que promove e celebra o penteado, assim como divulga fotos de modelos usando as tranças gêmeas. Há também o “Dia do Twintail“, reconhecido pela Associação de Aniversários do Japão e celebrado no dia 2 de fevereiro, quando garotas postam imagens próprias utilizando o penteado no Twitter.



Fontes
Cores