Arifureta – Capítulo 115 – Mais uma vez, Gung-Ho


Kam foi resgatado, o grupo de Hajime atravessou o portal e foi teleportado para onde Tio e os outros Haulia estavam de guarda, na zona rochosa; quando eles apareceram, foram recebidos por boas-vindas entusiasmadas.

Todos os Haulia deram tapinhas nos ombros um do outro, bateram seus estômagos entre si, cruzaram seus braços e todos gritaram enquanto ficavam contentes com o retorno em segurança dos outros.

Nesse momento, os ouvidos de Hajime foram tomados por altos gritos de alegria que apagaram todos os sons ao redor.

Então, a mão do garoto se ergueu com movimentos extremamente naturais. Uma katana familiar com uma bainha negra estava sendo segurada.

— … o que você planeja fazer com isso Yaegashi?

A identidade da agressora que atacou Hajime com a katana negra enquanto ainda estava em sua bainha era Shizuku Yaegashi. A espada da garota foi pega pelas pontas dos dedos da mão do rapaz, ela estalou sua língua quando ele não foi afetado, apesar de ela aplicar toda sua força no ataque.

— … eu só estou contando com Nagumo-kun para aliviar um pouco do estresse. Está tudo bem, eu, acredito em você. Seu calibre é mais profundo do que a Fossa das Marianas1… então, seja obediente! Me permita! Atingir sua cabeça!

— Ahhhh, hmm, você não gostou muito do Rosa? Eu preparei aquilo com as melhores intenções em mente.

— Isso é definitivamente uma mentira! Eu sei quais eram suas intenções! Isso foi com certeza uma pegadinha! Por algum motivo, eu fui arrastada pela atmosfera! De certa forma, eu recebi o que merecia! Portanto, não posso fazer nada além de espancar você, com esses sentimentos! Se você é um homem, aceite-os!

— Nn, que irracional…

Ao que parecia, a Rosa sofreu mais dano do que foi imaginado no início.

Com certeza, estaria tudo bem se ela recusasse, essas eram as consequências naturais de ser pega pelo clima e aceitar a máscara. Mas, mesmo que ela entendesse isso, era óbvio que o discurso e comportamento de Hajime a enganaram para que ela fosse verbalmente abusada pelos Soldados do Império; Shizuku não poderia fazer nada além de ficar irritada.

Sobretudo, a diferença nas habilidades entre o Sinergista e a Espadachim estava clara, na realidade, não havia sinais da bainha negra, que estava fazendo um som, superar essa diferença. Assim, com relutância, Shizuku decidiu usar a habilidade de sua katana negra. Literalmente, até Hajime sentiria alguma dor se ele fosse atingido com um golpe direto; torcendo por isso, ela depositou sua confiança neste ataque.

— Vocêêêê! “Corra feroz, Flor do Trovão”!

— Ó? Óóóó.

Contudo, enquanto segurava a espada negra que liberava eletricidade, ao invés de sentir dor, a aparência de Hajime era a de alguém que estava sentindo admiração. Shizuku sem querer berrou um protesto.

— Espere um segundo Nagumo-kun. Por que você está bem mesmo com eletricidade sendo liberada?

— Não, isso não é nada demais, você já deve ter me visto disparando canhões eletromagnéticos inúmeras vezes. Eu uso o trovão com minha própria carne, não há como este nível de eletricidade ser suficiente, não é? Ao invés disso, você se saiu bem ao ser capaz de ativar essa função.

— Ku, não há o que fazer então… eu vou me retirar desta vez. Entretanto, eu vou atingir essa sua cara calma algum dia. E aliás, isto foi graças ao resultado do trabalho de todos os Sinergistas do Reino.

Shizuku se retirou relutantemente e deu uma resposta razoável. Kouki e os outros alunos estavam com olhos arregalados. Parecia que eles tinham acabado de voltar. As ações inesperadas de Shizuku os deixou surpresos.

Kaori e Yue só ficaram encarando Shizuku de longe. Então sussurraram: — … para Shizuku-chan estar rosnando… —, — … nós confiamos demais nela. —, foi o que elas disseram; parecia que as duas estavam apenas tendo uma discussão jocosa.

— Chefe, este seria um bom momento?

Por fim, parecia que o grupo de Kam tinha terminado de celebrar, eles seguiram na direção de Hajime. Com suas expressões sérias, assim como o garoto, não parecia que seria mais uma reunião de felicitação.

Hajime rapidamente transmutou cadeiras em um círculo e, com um olhar, pediu que todos se sentassem.

— Primeiro, apesar de muito ter acontecido, para simplificar, parece que exageramos um pouco…

Quando o resumo da história de Kam começou, ele só poderia começar dessa forma.

Com o objetivo de adquirir mais escravos Demi-Humanos, os Soldados foram até o Mar de Árvores devastado, o grupo dos Haulia tinha ganhado números substanciais e derrotaram os invasores. Os Soldados Imperiais pareciam estar extremamente cautelosos com seus arredores. Seus companheiros continuavam desaparecendo no exterior das zonas de combate, e quando eles eram encontrados, seus pescoços mostravam sinais de assassinatos profissionais.

O grupo especializado em assassinato era um mistério, o Império não tinha como confirmar suas reais identidades. Então eles pensaram em um plano. Era um cerco na Capital Imperial. Em resumo, eles estavam convidando seus inimigos.

O grupo de Kam agiu sem pensar e caiu na armadilha, porém, podia se dizer que isso só aconteceu porque não havia como saber quando o Império colocaria os pés no Mar de Árvores.

Ou talvez, como muitos Demi-Humanos foram capturados e o sangue ferveu dentro deles, os Haulia não poderiam ignorar isso, eles teriam que correr depressa quando viram uma oportunidade. O ataque ao Império queimou a orla do Mar de Árvores e enquanto atravessavam a neblina, os Homens-Coelho viram os invasores torturando escravos Demi-Humanos; os métodos injustos também podiam ser um motivo.

Caso Faea Belgaen estivesse em seu estado normal, eles poderiam ser capazes de lutar enquanto se moviam de forma organizada, mas o país dos Demi-Humanos também foi atacado pelos Demônios. Tempo era essencial.

Era impensável, que nesse estado miserável, o grupo de Kam estivesse calmo.

E os Soldados do Império estavam na mesma. Afinal, o grupo misterioso realizando os assassinatos pego na armadilha não eram ninguém menos do que os gentis Homens-Coelho, que nunca tentaram lutar. Além disso, mesmo fora do Mar de Árvores, eles fizeram uso total da cooperação para cercar os Soldados Imperiais e lutaram em pé de igualdade. Naturalmente, a falta de senso comum atraiu o interesse dos superiores.

Como resultado…

— Fomos capturados com vida e interrogados dia após dia. O outro lado estava muito interessado em como a tribo Haulia mudou tão de repente e onde conseguimos nossos equipamentos, e eles pretendiam ir até Faea Belgaen. Parece que eles se equivocaram e acharam que nós fôssemos a força secreta dos Demi-Humanos… na verdade, o clã inteiro esteve perto da extinção, se nossa relação fosse descoberta, isso não acabaria apenas com o exílio.

Os interrogadores perguntaram sobre a relação entre Faea Belgaen e os Homens-Coelho, apesar de ser dito várias vezes que eles tinham um relacionamento hostil, isso foi considerado uma ação de autossacrifício para proteger o país dos Demi-Humanos. Especialmente por eles terem sorrisos destemidos mesmo quando Sua Majestade, o Imperador, foi assistir aos interrogatórios; os olhos dele brilhavam como uma criança que encontrou um novo brinquedo.

— E? Qual é a sua desculpa por ser capturado? Só se apresse e fale do assunto principal.

— Me perdoe chefe. Então, o assunto principal, nós reunimos muito mais membros da nova família para os Haulia com o objetivo de criar uma nova tribo… com isso, nós começamos uma guerra contra o Império.

Kam declarou com um olhar sagaz, o tempo para todos ao redor parou.

Sob essa ilusão, excluindo Hajime e todos da tribo Haulia de Kam, todos os movimentos pararam e os outros ficaram tensos. Se foi por eles entenderem ou apenas pela surpresa na ideia, não podia se dizer. Silêncio preencheu o local, os sons de insetos podiam ser ouvidos na zona rochosa durante a noite.

Foi Shia quem quebrou o silêncio.

— O que-que você está dizendo pai? Eu escutei errado? Agora mesmo, eu deveria ter ouvido sobre o motivo para minha família estar lutando contra o Império…

— Shia, você não entendeu errado. Nós, a tribo Haulia, começamos uma guerra contra o Império. Eu com certeza disse isso.

— Não-não-não diga coisas tão insensatas! O que você estava pensando!? Vocês ficaram mais fortes, mas vocês não têm apenas cem pessoas? Mesmo assim, tentando enfrentar o Império? Você ficou louco! Por causa do ressentimento de ver sua própria raça sendo sequestrada, você ficou incapaz de analisar a situação!?

— Shia, não é isso. Nós estamos sãos. Escute…

— Eu não tenho que usar minhas orelhas de coelho para te ouvir! Se não é vingança, então você só está superconfiante? Nesse caso, pegue suas armas agora mesmo! Eu vou ser sua oponente antes que vocês lutem com o Império. Permita-me acabar com essa sua soberba!

Em um estado animado, Shia pegou Doryukken da Caixa do Tesouro e fez uma forte rotação usando sua força sobre-humana! Shia apontou a arma para o rosto de Kam. Sua expressão tinha há muito deixado a imprudência, ela agora não era nada além de pura raiva com o pensamento de Kam e os outros decidindo um ataque suicida.

O Poder Mágico ao redor do corpo de Shia tinha uma cor azul-clara com a pressão física que os arrebatava, isso até excedia o Herói de um mundo diferente que contava com suas trapaças.

Na verdade, esta raiva de poder inimaginável não era algo que você esperaria de Shia, que sempre estava rindo energeticamente, o grupo de Kouki estava prendendo o fôlego. Entretanto, Kam, que tinha Doryukken apontada contra ele com poder o bastante para fazer até o Herói vacilar, só a encarou com calma.

Eles se encararam, e enquanto todos prendiam o fôlego vendo a cena, um homem se moveu; era Hajime. Antes que qualquer um percebesse, o Sinergista já tinha se aproximado de Shia por trás, e como se ela fosse um animal selvagem, ele agarrou a cauda de coelho felpuda dela para acalma-la; esfregar este ponto tão de repente foi muito estranho.

— Hiyaannnn!? Nãoooo, esse lugar não é boooom! Hajime-shan, phare con izzoooo.

Na realidade, de uma forma diferente, isso parecia melhor do que ter suas orelhas de coelho acariciadas, quando a cauda de coelho dela foi esfregada por Hajime, ela começou a “se sentir bem”.

Shia caiu de quatro, começando a soltar suspiros sensuais: — Haa, haa. —, e encarou o garoto com reprovação. Contudo, os olhos dela estavam úmidos e febris; ela só estava enfatizando sua figura cativante nesta situação.

Na situação intimidadora, todos estavam de olhos arregalados pela atmosfera ficar rosa em um instante. Também havia um pequeno grupo que estava relaxando com a cena.

Ignorando o ambiente, desta vez, Hajime acariciou as orelhas de coelho de Shia. Embora não fosse da forma erótica de antes, ele foi gentil como se estivesse aliviando a dor. Apesar da garota encarar Hajime com reprovação por ele começar um assédio sexual contra ela no meio de uma conversa séria, logo, seus olhos ficaram amáveis.

— E então, você se acalmou um pouco? A história de Kam ainda não terminou. Não será tarde demais para lança-los para longe após escutar tudo, não é?

— Uuuu… tem razão… eu sinto muito. Sangue demais subiu na minha cabeça por um momento. Eu estou bem agora. Me desculpe pai.

— Qual o problema em se preocupar com sua família? Não há necessidade para desculpas. Da mesma forma, eu deveria escutar suas palavras também. Graças a tudo o que aconteceu recentemente, eu tendo a esquecer essas preocupações. Ainda assim, kukuku.

— O qu-que foi pai, rindo dessa maneira…

— Não, eu só desejo a sua felicidade acima de tudo. Você parece ser bastante amada pelo chefe, não? Un? Quando eu serei capaz de ver meus netinhos?

— Na, neti-netinho… o que você está dizendo pai!? Nós-nós nem mesmo… eu…

Kam estava a provocando, e Shia encarou Hajime algumas vezes enquanto seu rosto ficava vermelho brilhante. Todos os Haulia que viram isso sorriram. De fato, todos eles mostraram suas boas personalidades. Hajime, enquanto pensava nisso, ignorou a conversa e perguntou a Kam:

— Kam, embora eu não acredite nisso, sobre essa conversa, você não está esperando que eu participe, está?

— Hahahahaha, de forma alguma eu estaria. A única razão para chegarmos a esta decisão foi graças ao treinamento do chefe. Dessa forma, nossa decisão é apenas nossa, pelo menos é o que eu acredito.

Kam negou a pergunta de Hajime enquanto ria. Parecia que eles planejavam mesmo fazer tudo por conta própria.

Entretanto, se isso acontecesse, a decisão não passaria de imprudência, então o grupo do estudante começou a se preocupar sobre o motivo que levou a essa escolha. Shia também, vendo sua família ficando tão cheia de si com seus poderes, ela percebeu que eles estavam sérios sobre não fazer isso apenas por vingança; uma expressão triste apareceu em seu rosto.

— Qual o motivo?

— Isso é inesperado, você quer ouvir sobre isso? Eu pensei que você não estivesse interessado…

— Se sua decisão foi graças ao meu treinamento, então quando vocês fazem algo tão descuidado, isso também reflete em mim. Se for só isto, eu também devo ouvir sobre seus motivos…

Dizendo isso, Hajime encarou Shia por um instante. Kam imaginou qual era a intenção do garoto, seus olhos relaxaram e, com alegria: — Entendo. —, ele assentiu e começou a falar sobre sua razão.

— Como eu disse há pouco, os Homens-Coelho atraíram o interesse do Imperador. E esse é um interesse bem forte. O Império é um país onde as pessoas que acreditam no princípio de que as habilidades reinam supremas, e o Imperador não está livre dessa noção. E o senso de valores deles sobre pessoas mais fraca é natural de acordo com esses princípios que foram arraigados em suas personalidades.

— Em outras palavras, você está dizendo que o Imperador começará a caçar Homens-Coelho para te atrair? Ao invés de matar vocês, ele quer torná-los propriedade dele?

— Afirmativo. Enquanto eu ainda estava sendo interrogado, o próprio Imperador apareceu e disse: “Você vai ser meu”. É claro que eu cuspi nele na mesma hora…

Com o fato de Kam cuspir no rosto do Imperador e então abusar verbalmente dele, os Haulia disseram: — Como esperado do líder! —, enquanto se animavam; o grupo de Kouki falou: — Você fez o que com o Imperador!? —, enquanto mostravam surpresa.

No entanto, ninguém o criticou. Na história, Kam deve ter sido a primeira pessoa entre todas as raças a cuspir no rosto do Imperador. Até Hajime soltou uma voz de admiração sem querer: — Hooooo.

— Entretanto, parece que isso teve o efeito oposto. Ele disse que ia capturar todos os Homens-Coelho e então os treinaria porque isso parecia interessante, e riu ruidosamente com uma cara muito gananciosa. Quando ele declarou isso, seu rosto estava bem sério. Mais uma vez, ele iria avançar pelo Mar de Árvores, mais Homens-Coelho seriam atacados desta vez. Aliás, Faea Belgaen não terminou sua reconstrução, eles não serão capazes de suportar outro ataque. Portanto, seria muito provável que o Império exigiria que todos os Homens-Coelho fossem entregues para que eles cessassem o ataque…

— Agora eu entendi. Se isso fosse feito de forma passiva, eles iriam literalmente roubar toda a sua família…

— Afirmativo. Se nosso objetivo fosse fazer apenas os Haulia sobreviverem, isso não seria difícil. Contudo, por nossa culpa, todos os outros Homens-Coelho seriam privados de seus futuros… isso é demais.

Parecia que o problema era ainda maior do que eles pensaram no início; o grupo de Kam estava encurralado.

Era como o líder disse; fazer apenas os Haulia sobreviverem não seria muito difícil se eles se concentrassem em escapar e em guerrilhar enquanto faziam uso do Mar de Árvores, mas todos os outros Homens-Coelho vivenciariam o inferno. Se eles não pudessem responder ao desejo do Imperador por “Homens-Coelho poderosos”, mulheres e crianças seriam mortas ao invés de transformados em escravos domésticos.

— Mas você não está acreditando que um exército de pouco mais de cem será o suficiente para enfrentar o Império, está?

— É claro. Uma colisão de frente enquanto gritamos com coragem está fora de questão. Somos Homens-Coelho, não perdemos para nenhuma raça em termos de operações furtivas.

Kam disse enquanto sorria de orelha a orelha. Hajime também imaginou as intenções dele.

— Em outras palavras, assassinato?

— Afirmativo. Se eles vão mostrar suas presas para nós, no primeiro momento que eles relaxarem, suas cabeças vão rolar com uma lâmina na escuridão… na prática, medo e senso de crise serão plantados nessas pessoas. Sem saber de onde os ataques vêm, os Homens-Coelho vão mostrar o poder que apenas sua raça possui. Não somos nem fracos nem de menor nível, eles vão perceber que somos uma ameaça que exige determinação absoluta para matar.

— E quanto a família do Imperador, você não acha que eles já prepararam medidas contra assassinatos?

— É claro que eles devem ter feito isso. Entretanto, não estamos mirando a família do Imperador, mas sim os humanos que estão a seu redor. Como esperado, nenhum deles conta com defesas rigorosas. Os humanos serão intimidados, uma pessoa e então outra irá desaparecer. O que podemos fazer no momento é isto, eu acho que será bem eficiente. Então, por fim, será perfeito se eles criarem uma política de não-interferência para nós.

Esse era um plano indescritível e pouco sofisticado. Contudo, ao invés de falar que eles assassinariam a família do Imperador, eles pensaram em uma ideia muito mais realista.

No entanto, como não havia tempo suficiente para fazer o Império sentir qualquer tipo de ameaça, é mais provável que isso causasse uma retaliação em grande escala; se o Império decidiria aniquilar por completo os Homens-Coelho, ou se eles se sentiriam ameaçados e decidissem negociar, era óbvio qual decisão eles tomariam. Eles estavam fazendo uma aposta muito ruim.

Porém, isso ainda precisava ser feito, senão, os Homens-Coelho teriam um futuro sombrio. Todos tinham uma expressão que mostrava que eles já tinham se preparado.

— … pai… todos vocês…

Os ombros de Shia encolheram de forma abatida. Tornando os Soldados Imperiais em inimigos, os Homens-Coelho que acabaram de escapar da masmorra no castelo imperial aumentaram a tensão; se o Imperador não ignorasse seus próprios interesses em nome de seus deverem com o público, ela já podia imaginar o que aconteceria.

As escolhas restantes para os Homens-Coelho eram: abandonar suas outras famílias para garantir que os Haulia sobrevivessem; aceitar que todos eles se tornariam brinquedos do Império; ou arriscar suas vidas e lutar; para eles, só uma dessas escolhas serviria.

— Shia, não faça essa cara. Não vamos fugir como antes enquanto olhamos para baixo, vamos eventualmente superar eles; nos entregar a eles com relutância seria algo deselegante… agora, nós iremos lutar, por sermos capazes de ter este desejo, estamos extremamente felizes.

— Mas!

— Shia, para conquistar o direito de viver, nós lutaremos. Contudo, nosso propósito não é apenas viver. Nosso propósito é viver com honra como Haulia. Contra qualquer tipo de poder, se recuarmos agora, no fim, seremos os mesmos perdedores que fomos no passado. Isso é algo que não posso permitir.

— Pai…

— Olhe para frente Shia. Não olhe mais para trás. Você já deve ter se decidido. Quando você seguiu o chefe, você queria seguir em frente. Com essa determinação, continue avançando.

Kam, não como o líder e não como o comandante do grupo de combate, mas como um pai, empurrou as costas de sua filha. Eles não poderiam mais atrapalhá-los, os outros também desejavam que o grupo de Hajime continuasse seguindo em frente.

Após ser observada por expressões gentis, Shia abaixou sua cabeça e parecia a ponto de chorar; Kam voltou seu olhar para Hajime e assentiu com a cabeça. Ele estava dizendo para o garoto tomar conta de sua filha.

Ao invés de Hajime, Kouki estava com um rosto sem expressão, e: — Eu vou fazer algo sobre isso! —, ele disse assim que se levantou, apesar do clima; Shizuku atingiu a cabeça do Herói com sua katana negra. Parecia que o estresse da Espadachim ainda estava alto; a forma de ela deter seu colega foi extremamente diferente do usual.

Quando Hajime não mostrou nenhuma reação, Shia olhou para ele. Contudo, antes que ela pudesse abrir a boca, Kam a chamou com um tom forte para impedi-la ao perceber as intenções da filha.

— Shia!

Foi chocante! Tanto que o corpo de Shia estava tremendo.

Desde o início, Kam e os outros não tinham intenções de pedir ajuda a Hajime. A situação foi consequência de eles caírem na armadilha do Imperador. Aqui, confiar nos poderes do Sinergista e confiar a ele a solução significaria que nada mudou. Como Kam disse, esta era uma luta em que o orgulho dos Homens-Coelho estava em jogo.

E Shia também entendia isso. Ela também só podia fugir no passado, então ela entendia, agora, havia o orgulho de ser a companheira de Hajime e Yue. Porém, ela se sentia triste por sua família fazer uma aposta com tantos riscos.

No fim, Shia ficou em silêncio por não ser capaz de dizer nada.

Hajime encarou Yue por um instante e coçou sua cabeça antes de suspirar. E, como você poderia esperar, os olhos de Yue suavizaram e ela concordou como se entendesse o que ele queria transmitir. O garoto sorriu um pouco e chamou Shia, que estava olhando para baixo.

— Shia.

— Hajime-san…

Os olhos da garota mostraram um pouco de expectativa.

— Desta vez, não há como eu poder lutar.

— Eu… entendo. Tem razão.

Mas as palavras ditas por Hajime a fizeram olhar para baixo mais uma vez. Atrás dele, Kouki estava gritando algo, apesar da corrente elétrica da katana negra que o fez desmaiar quando ele foi atingido, o Sinergista segurou as bochechas de Shia, que estavam afundadas por ela ter chegado a uma conclusão precipitada.

— Oi, você, não vá tirando conclusões precipitadas. Apesar de dizer que não lutarei, eu não falei nada sobre não ajudar, falei?

— Ee?

Com as palavras de Hajime, uma resposta estúpida foi dada enquanto suas bochechas eram esticadas. O grupo de Kam também se entreolhou com expressões perplexas tentando interpretar o significado das palavras do aluno.

— Neste problema, a família Haulia deve mostrar sua força. Vocês têm que fazer o outro lado entender que a tribo Haulia não é um oponente fácil. A discriminação dos Demi-Humanos é senso comum neste mundo, se eu lutar para protegê-los, a mesma coisa irá acontecer de novo quando partirmos. Acima de tudo, há a vontade de Kam e os outros. Por isso, eu não entrarei nesta batalha.

Assim, Hajime acariciou as bochechas de Shia e voltou seu olhar para Kam.

— Contudo, nossa companheira energética está fazendo este tipo de cara, se você pensou que eu obedientemente iria ficar fora disso, você se enganou.

— Con-contudo, chefe… então, o que é…

Para Kam, que mostrou uma perplexidade profunda, Hajime, com um sorriso destemido, declarou:

— Kam e a tribo Haulia. Todas essas estratégias covardes estão pelo presente proibidas. Todos vocês apontarão suas lâminas diretamente para o pescoço do Imperador. Agarrem o cabelo dele e o arrastem pelo chão, seus familiares, seus amigos, prendam todos os seus subordinados diante dele. Contenham o castelo imperial, se a ajuda não vier, o Império estará acabado no fim da noite! Gravem em nos ossos deles que a tribo Haulia pode acabar com todos quando vocês quiserem! Não importa em que parte do mundo, não há local seguro, se você desafiar a tribo Haulia, as decapitações irão começar, forcem eles a escreverem isso na história do Império!

Silêncio preencheu a área. Todos ficaram bêbados e rígidos com o espírito de Hajime. Gulp. O som de saliva sendo engolida podia ser ouvido com clareza.

Enquanto encarava o ambiente, o garoto gritou com uma voz irritada que podia ser confundida com um trovão que deixou todos sem fôlego.

— Qual é a sua resposta! Seus ****!

— !? Sen-senhor, sim, senhor!!

— Não posso ouvir vocês! Seus vermes, vocês planejam ir para a guerra assim!? No fim, vocês são só um grupo de ****!?

— Senhor, não senhor!

— Se não são, então provem! Ao invés de ir atrás dos peixes pequenos, vão atrás do Rei!!

Gung-ho2! Gungho! Gungho!

— Com a lâmina da vingança e a coragem que vocês afiaram, cortem todos que tentarem obstrui-los!

— Decapitar! Decapitar! Decapitar!

— Eu vou minuciosamente preparar vocês, o papel principal pertence a vocês! Eu não permitirei indecisão! Vocês entenderam!?

— Sim, sim senhor!!!

— Muito bem! Se animem! A nova tribo Haulia, com 122 pessoas…

— …

— Vocês vão derrubar o castelo imperial!

— YAHAAAAAAAAAAAAAA!!!!

“O que você planeja fazer quanto a preparação?”, “Não é impossível derrubar o castelo imperial?”, tais pensamentos e dúvidas voaram pelas cabeças dos Haulia que estavam completamente animados.

A pessoa que se chamava de chefe estava dizendo que ele os daria a chave que abriria a porta para eles. Assim, se eles não esperassem e cortassem os obstáculos que os aguardavam, seria uma vergonha para a nova tribo Haulia. Eles não seriam capazes de mostrar seus rostos em público ou para Hajime, quem os treinou. Portanto, os corações e mentes dos Haulia se tornaram um, eles estavam queimando com espírito de luta e ansiavam pela derrocada do castelo imperial.

Na zona rochosa afastada da capital do Império, os gritos repletos de espírito de luta e intenção assassina ressoaram.

— Uuuuu, Shizu, Shizu, essas pessoas são assustadoraaaas.

— Você vai ficar bem Suzu. Eu também estou com medo… quer dizer, em primeiro lugar, a ideia de Nagumo-kun já é assustadora por si só.

— Nagumo-kun, esse cara… hehe, quem imaginaria que ele assumiria o papel de Hartman-sensei. Nada mau.

— Ryutaro!? Por que, eu sinto um pouco de intimidade!? Não importa como você olhe para isso, é um clima muito anormal!?

Shizuku e os outros alunos só podiam encarar com uma expressão perplexa os Haulia, que estavam envoltos em um ardor estranho. Um sorriso apareceu em uma pessoa que estava em admiração e aumentou seu respeito por Hajime.

— Uuuumu, isto é incríveeeel. Para os Homens-Coelho mudarem tanto. Como esperado do Mestre. Para fazer do fim do Império seu objetivo principal. Esta não consegue se cansar distoooo. Esta quer ser abusada com tal espírito.

— … calada, Dragão pervertido.

— !?!?!? Haha.

— Un, Tio-san, reconheça a situação. Ao invés disso, Yue, olhe para a expressão de Shia. Ela derreteu.

— … nn, fofo. Impedir Shia de chorar… é óbvio que estou feliz.

— Isso mesmo. Isso é bom, eu também quero esse tipo de coisa dita para miiiim.

Yue sabia que isto ia acontecer desde o início? A escuridão nos olhos de Shia foi eliminada e eles gradualmente suavizaram, apesar de Kaori se sentir aliviada por ver isso, ela também sentiu inveja da Garota-Coelho.

Depois disso, Hajime deu os detalhes do ataque ao castelo imperial; foi decidido então que eles descansariam para se prepararem para esse momento.

Shia, por um tempo, não queria se separar do lado de Hajime. Sua forma energética de sempre estava silenciosa, contudo, ela não estava deprimida, ela se aninhou enquanto corava e segurava a bainha das roupas do Sinergista em silêncio.

Quando suas orelhas de coelho tocavam o garoto, elas se afastavam para toca-lo de novo mais tarde. Isso não era nada além de uma demonstração de seus sentimentos de querer ficar ao lado de Hajime.


No fim da madrugada, pouco antes do céu do Leste começar a brilhar, havia duas sombras sentadas em uma pedra. Eram Hajime e Yue que acordaram cedo. A propósito, apenas o garoto estava sentado na pedra, a Vampira estava embalada no colo dele.

Além dos vigias, todos estavam dormindo, o lugar que eles estavam também era um ponto cego, e as duas pessoas estavam se apreciando pela primeira vez juntos em muito tempo. E, nesse momento, Yue, que descansava sua cabeça no ombro de Hajime, olhou para ele lentamente, sem qualquer indicação, ela beijou o pescoço dele. Um som de “smack” soou, o silêncio da manhã foi abalado.

— … o que houve tão de repente?

— Nn … eu acabei de lembrar de algo da última noite.

A coisa que aconteceu na noite anterior que ela estava falando era sobre a conversa de derrubar o castelo imperial. Entretanto, a conexão disso com o beijo não pôde ser entendida; enquanto devolvia um olhar gentil para Yue, Hajime parecia confuso.

— … ao invés do Calabouço, você deu prioridade para Shia, que é “importante”. Estou feliz por você valorizar ela. Estou feliz por as pessoas que são “importantes” para Hajime estarem aumentando. Tão cheia de felicidade que… eu quis te beijar.

Quando Yue disse isso, desta vez, ela beijou a bochecha do garoto.

— … Shia vai ser tornar “especial” também?

— … veja. A número um deste mundo já está decidida, apesar de a número dois ser uma luta difícil… a “especial” é apenas Yue.

— … muuuuu, vai estar tudo bem se for Shia… mas não sei explicar porque estou feliz.

A expressão de Yue era uma mistura complicada de felicidade e apreensão.

Shia era a primeira amiga que ela fez após deixar o Abismo, ela era sua companheira, e sua existência era a mesma de uma irmã mais nova, o que parecia torná-la uma exceção. Por esse motivo, ela não permitiria que o assento de “especial” pertencesse a qualquer outra mulher. Assim, apesar de estar feliz com as palavras determinadas de Hajime, ela ficou preocupada com a obstinação do rapaz.

Com o semblante de Yue, Hajime ficou um pouco ofendido. Para ficar preocupada em não permitir que outras mulheres se tornassem especiais, de uma forma ou de outra, isso o ofendeu. Dessa forma, para que ela não pensasse mais nessa situação, ele decidiu atacar os lábios de Yue sem responder as perguntas.

— Nnnn… nnnn, ah, muuuuu… Hajiiii… nnnn.

O céu do Leste por fim começou a brilhar mais e mais, começando a criar uma sombra atrás das duas pessoas. A sombra perfeitamente sobreposta se separava às vezes, mas logo se sobrepunha mais uma vez, com isso, sons vívidos ressoaram em todas as vezes.

Os olhos de Yue umedeceram com o fervor, suas bochechas ficaram rosas e seus lábios brilharam. Do jeito que Hajime planejava. Assim, os movimentos das duas pessoas, como se fosse natural, continuaram… mas, eles começaram a ouvir a voz de outra pessoa do outro lado da pedra onde o Sinergista tentava fazer aquilo.

— Ooooi, Nagumo. Você está aí?

Ao que parecia, era Kouki, que veio procurar por Hajime, que não estava em sua cama. Como ele estava de pé, todos logo iriam acordar logo.

— Chi, justo quando estava ficando bom, aquele desgraçado. Apesar de conseguir entender que ele quer aprender algumas Magias da Era dos Deuses no caso de outras Nointo aparecerem… de várias maneiras, isto se tornou problemático.

Enquanto praguejava, não havia o que fazer, Hajime tentou se levantar enquanto segurava Yue, mas isso não aconteceu.

Porque…

— Hajime, não vou te deixar fugir. Nn.

— Hey, ahhhh.

Foi porque Yue empurrou Hajime contra o chão. Enquanto montava na cintura do rapaz, ela se levantou um pouco e se abaixou contra a cintura dele mais uma vez; Yue atacou Hajime desta vez.

— Kouki, Nagumo-kun está aí?

— Ahh, a presença dele parece estar em algum lugar por aqui!

Shizuku e Suzu apareceram atrás de Kouki, Ryutaro também. O Herói pegou um pequeno desvio ao redor da pedra enquanto respondia a Espadachim, mas ele inconscientemente congelou quando testemunhou o espetáculo. Enquanto olhavam para o suspeito Kouki, que parou do outro lado da pedra, Shizuku e os outros também espiaram… e eles congelaram.

Além disso, atrás deles, Shia, Kaori e Tio estavam chegando. E enquanto estranhavam o grupo congelado, deram a volta ao redor da pedra…

— Heyyyyyyy! O que vocês dois estão fazendo tão cedo pela manhã!

— … mu, Shia também quer participar?

— Eh? Está tudo bem? Então…

— Não tem como isso estar bem! Se apressem e se separem! Atacando um ao outro pela manhã, que inve… quer dizer, que irracional!

— Muuuuu, esta não é boa o bastante? Só bater um pouco nesta estaria bom…

Enquanto sentia o cansaço com o estado de caos que se manifestava na manhã, desta vez, Hajime ergueu Yue com uma mão e afastou Shia, que estava aplicando reforço físico em seu corpo para aceitar a oferta anterior, — Uuuuu, uuuuu. —, Kaori se lamentou, e assim como a pervertida queria, um tapa atingiu seu rosto, — Ahaaaan. —, enquanto o garoto controlava a situação, ele aumentou sua força.

Em um local um pouco afastado, o grupo de Kouki, que ainda estava rígido, começou a recobrar seu sentido. Suzu disse: — Eles são adultos, eles são adultoooos. —, apesar de seu rosto ainda estar rígido e completamente vermelho; Shizuku estava a guiando a seu lado. Entretanto, as orelhas da Espadachim também estavam vermelhas.

O Sol do Leste que aparecia no céu, embora também fosse o sinal que levaria os Haulia para a luta por uma nova vida… indicou o começo muito estúpido de um dia.


Tradutor: Zé   |   Revisor: SrDrumond



Notas

[1] A Fossa das Marianas é o local mais profundo dos oceanos, atingindo uma profundidade de 11.034 metros. Localiza-se no oceano Pacífico, a leste das ilhas Marianas, na fronteira convergente entre as placas tectônicas do Pacífico e das Filipinas.

[2] Gung-ho é um termo inglês que significa “entusiasmado” ou “excessivamente zeloso”. É uma pronuncia anglicizada de “gōng hé” (工合), que às vezes também é anglicizada como “kung-ho“. “Gōng hé” é uma versão encurtada do termo “gōngyè hézuòshè” (工業合作社), a Cooperativa Industrial Chinesa. Os caracteres chineses “gōng” e “” significam respectivamente “trabalho” e “juntos”. Foi um termo utilizado por algumas tropas da marinha americana durante a Segunda Guerra Mundial com o sentido de “trabalhar juntos em harmonia”.



Fontes
Cores