Arifureta – Capítulo 117 – O castelo imperial (fim)


Quando entraram na sala, viram um local bem simples com pouca decoração e havia uma mesa grande o bastante para 30 pessoas se sentarem. No assento elevado da mesa estava um homem, o Imperador do Império Hoelscher, Gaharudo D. Hoelscher, que estava com um sorriso destemido enquanto descansava seu queixo em sua mão. Havia duas pessoas atrás dele, eles tinham um ar intenso como se dissessem: — Somos capazes. —, enquanto esperavam de pé.

E, apesar dos alunos não poderem ver as figuras na sala, havia também mais duas pessoas do outro lado da parede, quatro pessoas no teto, e Hajime também sentiu duas pessoas silenciosas do lado de fora da porta fechada por onde eles entraram. Não eram apenas os dois atrás de Gaharudo, os outros homens escondidos pareciam ser consideravelmente habilidosos.

— Então, você é Hajime Nagumo?

Quando o grupo de Hajime entrou, Liliana também os apresentou, enquanto ignorava por completo os cumprimentos a Kouki, que era o Herói, Gaharudo liberou pressão enquanto olhava para o Sinergista com um olhar penetrante.

Era uma pressão do homem superpoderoso que reinava sobre várias centenas de milhares de pessoas que eram selvagens que acreditavam na natureza do poder. Não era algo para se menosprezar. Liliana, que também fazia parte da família real, soltou um pequeno gemido com a asfixiante pressão; o grupo de Kouki se afastou instintivamente.

Contudo, com a avassaladora pressão, cinco pessoas estavam calmas: Hajime, Yue, Shia, Tio e Kaori. Em primeiro lugar, até Kaori, que tinha pouca experiência, sobreviveu ao ataque do monstro imortal que vivia desde tempo antigos nas Ruínas Submersas Merujiine1.

Assim, embora o Imperador tivesse uma pressão arrebatadora, quando comparado aos monstros nos Grandes Calabouços, isso não era nada mais do que uma suave brisa.

A boca de Gaharudo se levantou mais e mais com interesse quando ele viu o grupo de Hajime não incomodado, então o garoto respondeu:

— Sim, eu sou Hajime Nagumo. É uma honra ser conhecido por você, Sua Majestade, o Imperador.

— !?!?!?

Enquanto colocava sua mão em seu peito e se curvava de modo suave, o grupo de Kouki olhou para Hajime com espanto ao ouvir essas palavras.

Os olhos deles se arregalaram e claramente diziam: — Quem é você!? — Especialmente Liliana, que estava tremendo com desconforto. Enquanto recebia a pressão esmagadora de Gaharudo e soltava um pequeno gemido, embora sua cara mal mudasse, ela não poderia esconder o fato de que estava encarando o Sinergista com uma expressão perplexa.

Hajime também sabia o significado de TLO2. Contudo, ele apenas costumava ignorar isso.

Porém, como ele tinha negócios no castelo imperial, desta vez, ele não queria ser jogado para fora porque desrespeitou o Imperador. Como ele já não acreditava mais em Deus, o título de “Apóstolos de Deus” não seria eficiente. A única forma de superar isso era com o título de Herói. Por esse motivo, ele julgou que precisava ao menos usar o mínimo de etiqueta. Apesar dessa pessoa ter mudado, ele ainda era Hajime.

— Kukuku… eu nunca cheguei a considerar isto. O que aconteceu com sua usual atitude arrogante? Hm? É bem diferente dos lamentos de uma certa Princesa.

No entanto, Gaharudo apenas fez piada dele enquanto ria.

Hajime encarou Liliana. — Princesaaaa, você, mas quanta coisa desnecessária você falou, ããããã? — Liliana, que recebeu o olhar de Hajime, olhou para outra direção. Quando Gaharudo perguntou que tipo de pessoa o garoto era, ela involuntariamente gritou e reclamou muito sobre o tratamento que recebeu.

— … haaaaa, é verdade. Hm, foi o de sempre.

— Kuku, então tudo bem.

Apesar de eles estarem surpresos com a súbita mudança de Hajime, os outros se sentaram em ordem.

Por fim, após Gaharudo remover seu olhar do Sinergista, ele notou Yue e as outras garotas que tomaram posições ao redor de Hajime e as observou com interesse, seus olhos pareciam ter particular interesse em Shia. Em seguida, ele voltou seu olhar para o grupo de Kouki… ele olhou para Shizuku, que se sentou ao lado do Herói e um sorriso apareceu em seus lábios e seus olhos.

— Shizuku, há quanto tempo. Você por fim decidiu se tornar minha esposa?

— O-oi! Shizuku já se recusou antes!

Kouki reagiu a Gaharudo antes que a Espadachim o fizesse. O olhar do Imperador passou por Kouki por um instante, então ele voltou para Shizuku e começou a rir histericamente. Kouki recebeu a atitude “Eu não me importo”, mas veias estavam aparecendo em sua testa.

Enquanto suspirava vendo as duas pessoas, Shizuku estava com um rosto esclarecido e respondeu:

— Eu não tenho intenções de mudar minha resposta anterior. Eu vou ter que recusar a oferta de Sua Majestade.

— Que insensível. Mas as coisas não seriam interessantes de outra forma. Acima de tudo, permita-me dizer que isso é bom. Eu aguardarei o dia em que esse rosto sério fique tingido de vermelho por me desejar.

— Esse dia nunca chegará por toda a eternidade. Ou melhor, você já não tem uma Imperatriz?

— E daí? Você está insatisfeita como uma concubina? Fumu, há uma variedade de problemas quando você se torna uma esposa legal…

— Eu não estou me referindo a isso! Você quer colocar suas mãos em outra mulher que não é a Imperatriz…

— Do que você está falando? Eu sou o Imperador! Dez ou 20 concubinas são normais.

— Guuuu… tem razão. De-de qualquer forma, eu não vou me tornar uma delas, Sua Majestade. Por favor, desista.

— Bem, como você não vai mais ser devolvida a seu mundo por Deus, você provavelmente ficará presa neste mundo por algum tempo, eu suponho que devo tomar meu tempo para te convencer. Kuku, se prepare Shizuku.

Parecia que Gaharudo gostava muito de Shizuku. Como esperado de um Imperador ganancioso, ele não desistiria mesmo quando era recusado. Seus olhos afiados estavam completamente presos na garota. Apesar da Espadachim olhar para longe com uma expressão que parecia odiá-lo do fundo de seu coração, ela também parecia não se importar.

Então, nesse momento, a direção para qual Shizuku olhou, por acaso, se alinhou com o olhar de Hajime. No olhar do Sinergista, — Como esperado da sábia. (Risos) —, um toque de divertimento e interesse estava incluído.

A furiosa Shizuku só usou seu dedo para brincar com os cubos de açúcar que estavam preparados para seu chá. Apesar de não serem tão fortes quanto os de Hajime, o cubo de açúcar voou com excelente poder, sua mira precisa estava apontada para a odiosa cara do garoto…

Contudo, não foi um golpe direto, o cubo voou para dentro da boca de Hajime e foi pego. Mastiga, mastiga. A boca de Hajime se moveu com um ar de orgulho extravagante, após a doçura do cubo de açúcar o satisfazer, ele o engoliu. O rosto de Shizuku estava agoniante, entretanto, o de Hajime estava tranquilo.

Quando Gaharudo viu a garota em tal estado, ele voltou seu olhar atento para o Sinergista. Isso parecia transmitir uma variedade de coisas.

— Fuuuun, esta é uma situação bem interessante. Hajime Nagumo. Embora eu tenha muitas perguntas que quero te fazer, primeiro, me responda isto.

— Ah? O que foi…

— Você, você já teve contato físico com minha Shizuku?

— Bufuuuuu!?

Para Gaharudo, que de repente perguntou algo tão inesperado com uma expressão séria, várias pessoas, incluindo Shizuku, reagiram soltando o ar de seus pulmões.

Até os guardas que esperavam atrás de Gaharudo perguntaram: — Sua Majestade… a primeira coisa que você queria saber, era isso? — com expressões aflitas. Eles também pareciam ser homens sábios.

— Espere, Sua Majestade! Mas o que é que você está dizendo tão de repente…

— Shizuku, você deve ficar em silêncio agora. Eu vou ouvir a resposta de Hajime Nagumo.

Naturalmente, apesar de Shizuku tentar interromper Gaharudo, o Imperador voltou seus olhos para Hajime, ignorando a garota. Por outro lado, o Sinergista estava com uma expressão impressionada.

— No que você pensou para chegar nessa conclusão?

— Parece que Shizuku tem disposição para te perdoar… julgando pela atitude dela, isso não seria impossível, então foi só por curiosidade.

— Hããããã, não há como isso acontecer.

— … fumu, isso não é mentira, é? Portanto, o que você pensa de Shizuku?

Para essa pergunta, todos os olhares na sala se reuniram em Hajime. Olhares que transmitiam vários significados do grupo de Yue e do de Kouki o perfuraram.

O garoto suspirou pensando no motivo para a primeira pergunta feita pelo Imperador após se reunirem com ele ser sobre seu relacionamento com Shizuku, de qualquer forma, o Sinergista se virou para a Espadachim. A expressão da garota estava extremamente engraçada. Hajime a olhou enquanto ela inclinava seu pescoço.

Parecia que as orelhas de Shizuku estavam começando a ficar vermelhas…

Por ora, a resposta (intenções reais) foi dada.

— … ela é como uma mãe.

— Ok, se é uma luta que você está querendo, uma luta você vai ter. Saia da mesa Nagumo-kun!

Uma jovem garota de 17 anos estava sendo segurada, de todas as coisas para se dizer, por que “Ela é como uma mãe” foi a escolha? Era isso o que Shizuku, que ainda estava em seu assento, pensou enquanto transmitiu ódio em seu olhar para Hajime. A atmosfera delicada de um pouco antes já tinha desaparecido. Suzu e Kouki, que estavam sentados ao lado da Espadachim, estavam em pânico e tentavam segurá-la.

— … eu não achei que você daria uma resposta tão sem graça… tá, tudo bem. Shizuku, não vá acidentalmente se apaixonar, entendido? Porque você é minha.

— Eu já disse isto antes, mas eu não tenho intenções de ser companheira de Sua Majestade e também não me apaixonei por Nagumo-kun! Só pare com essa besteira e volte logo para o assunto principal.

— Entendi, entendi. Não fique tão furiosa. Uma negação excessiva só poderá ser considerada como uma afirmação, não?

— Aaaargh…

Shizuku instintivamente tentou soltar um gemido para contestar o Imperador, mas decidiu se sentar fazendo barulho. Suzu a acalmou com um sorriso sem graça, contudo, por algum motivo, Kouki estava encarando Hajime.

— Hajime Nagumo. Você também, nem pense em colocar suas mãos em Shizuku.

— Fique tranquilo, eu não tenho o menor interesse em fazer isso. Ou melhor, se você vai ficar apenas de conversa fiada, eu prefiro me retirar.

— Nossa conversa foi desnecessária, huh? Essa é uma conversa sobre uma nova concubina… ou uma futura Imperatriz, você não percebeu? Isso até envolve o futuro do Império… bom, o que eu queria falar com certeza não era sobre Shizuku. Você já deve saber, não é? É sobre sua anormalidade.

Gaharudo conseguiu tempo ao começar a conversa com Shizuku para observa Hajime, o Imperador julgou que já era hora e, lentamente, a atmosfera mudou. Foi diferente do clima jocoso de antes, agora era algo cheio de ambição que transmitia o brilhod de uma lâmina afiada.

O Imperador foi direto ao assunto e fez a principal pergunta para seu encontro com o grupo de Hajime.

— Eu ouvi sobre isso até certo ponto da Princesa Liliana. Você é uma pessoa que completou Grandes Calabouços e obteve a habilidade de criar artefatos… repeliu por completo o exército dos Demônios e foi capaz de viajar a distância que costuma levar dois meses em menos de dois dias. Isso é verdade?

— Ahh.

— E você não tem intenção de compartilhar esses artefatos nem com o Reino nem com o Império?

— Ahh.

— Bem, uma pessoa monopolizando tanto poder… você acha que vamos permitir isso?

— Eu preciso pedir permissão para quem? Se eu não tenho autorização, o que você vai fazer sobre isso?

Gaharudo semicerrou seus olhos com a resposta de Hajime.

As ambições do Imperador aumentaram ainda mais, Liliana começou a apertar seus dentes e sua preocupação disparou. Os guarda-costas atrás do Imperador começaram a liberar sede de sangue antes que Gaharudo o fizesse. Em contrapartida, a presença das pessoas que estavam escondidas na sala começou a diminuir aos poucos. Era um estado de incerteza.

Com clima tenso, o grupo de Kouki ficou rígido e se preparou para uma batalha.

Contudo, o grupo de Hajime ignorou por completo a sede de sangue que parecia uma leve brisa com sua pesada sede de sangue que podia ser sentida se grudando na pele dos outros, então ele calmamente pegou sua xícara de chá. Nesse instante, ele encarou os locais onde as pessoas escondidas estavam. “Fomos descobertos?”, eles pensaram.

Eles notaram de forma apropriada, suas presenças podiam ser sentidas tremendo um pouco.

— Hahaha, pare, pare. Nós fomos desmascarados. Este cara é um genuíno monstro. Se lutarmos agora, vamos ser aniquilados!

Gaharudo estava rindo histericamente e escondeu suas ambições. As pessoas ao redor, que estavam com ares perigosos, também imitaram a atitude do Imperador.

— Por que parece que você está se divertindo tanto com isso?

— Oi, oi, eu sou o líder do “Império”, não sou? Quando você conhece uma pessoa forte, seria mentira dizer que seu coração não está acelerado, não concorda?

O grupo de Kouki, embora não pudesse entender o que estava acontecendo, suspirou aliviado porque o clima estava menos tenso, Hajime também retorquiu o contente Imperador. A resposta de Gaharudo era com certeza uma que indicava que ele acreditava que as habilidades reinavam supremas.

— Mesmo assim, essas mulheres que te acompanham são muito absurdas. Oi, onde foi que você as encontrou? Para existirem mulheres deste calibre, eu quero te pedir diretamente… me permita ficar com uma delas Hajime Nagumo.

— Não diga coisas tão tolas. Você está abusando do seu poder… ou melhor, estaria tudo bem se fosse Tio.

— !?!?!? O qu-que você… disse, Mestre, para querer vender esta para outro homem! Haaaaa, haaaaa, ser tratada assim… esta não se cansa disto. Haaaaa, haaaaa.

— Há um pequeno problema, apesar de ela ser uma ótima mulher se você considerar apenas a aparência.

— Me desculpe, até um Imperador tem seus limites. Como esperado, uma garota transbordando com perversão é demais.

— Es-este homem, para dizer isso na frente da pessoa a quem ele está se referindo! Kuuuuuuu, nnnn, nnnn, com certeza, depois desta ser tomada a força por Sua Majestade, ser abusada diante dos olhos do Mestre… haaaaa, haaaaa… nnnnnnn… eu preciso trocar minha roupa íntima.

Gaharudo e os outros só poderiam olhar perplexos para a expressão estranhamente revigorada de Tio. Então eles voltaram seus olhares para Hajime, que viajava com uma mulher tão pervertida. O Imperador mudou o clima ao limpar sua garganta.

— Quanto a mim, estou muito mais interessado nessa Mulher-Coelho. Eu nunca vi uma Mulher-Coelho com esse tipo de cabelo antes e ela ignorou por completo minha sede de sangue. Essa atitude mental me lembra dos brinquedos que eu encontrei há pouco, que tal ela?

Com a palavra de Gaharudo “Brinquedos”, os olhos de Shia se contraíram por um instante. Yue, que estava ao lado dela, segurou sua mão em silêncio debaixo da mesa.

— Mesmo que você me diga sobre seus brinquedos…

— Você não consegue pensar em nada, é isso o que você está dizendo? Você quer dar uma olhada neles mais tarde? Na verdade, eu ainda tenho mais animais, embora eles sejam uma mulher e uma criança, eles são bastante…

— Não estou interessado.

As palavras de Gaharudo eram um blefe. Através de Kam, foi confirmado que todas as pessoas capturadas já tinham sido resgatadas. Ele devia estar tentando fazer perguntas provocantes. Comparado a isso, a resposta de Hajime foi apenas uma frase.

Entretanto, o ataque do Imperador ainda não tinha terminado.

— Hooooo, esses camaradas tinham espadas curtas especiais e equipamentos cinco estrelas, você continua não interessado Sinergista?

— Não.

— … entendo. A propósito, ontem, houve algumas pessoas que conseguiram escapar da prisão na masmorra; o castelo imperial foi facilmente invadido e eles escaparam; esse tipo de coisa só poderia ser feito com um artefato mágico especial você sabe algo sobre isso?

— Eu não.

— … haaaaa… então está tudo bem. Esta é a última pergunta que quero fazer… o que você pensa de Deus?

— Não estou interessado.

— Ahhhh, já entendi. Puxa, você é um pirralho muito antissocial.

Gaharudo estava praguejando enquanto coçava sua cabeça. No entanto, ele ainda estava com uma expressão um pouco contente. Ele parecia favorecer a pessoa com que ele discutia. Pelo que ele compartilhou na discussão, o Imperador devia ter imaginado que Hajime estava conectado com a Tribo Haulia, ele notou que a fuga da prisão contou com a orientação do garoto.

E ele parecia entender a posição do Sinergista em relação aos problemas deste mundo com suas respostas curtas. No mínimo, parecia que eles não enfrentariam o aluno. Afinal, não ser expulso do castelo imperial já era uma grande evidência.

Então a hora chegou, um dos homens esperando nos fundos sussurrou no ouvido de Gaharudo, o Imperado deixou seu assento devagar.

— Bom, eu ouvi a quantidade mínima que queria ouvir… ou melhor, eu já entendi, então está tudo bem. Ah, é verdade. Hoje à noite vamos dar uma festa de boas-vindas para a Princesa Liliana. Por favor, participem. Isso também servirá como a festa de noivado do meu filho e da Princesa. Embora a verdade seja diferente, se vocês não sabiam disso, as bênçãos de um “Herói” ou “Apóstolo de Deus” seriam bem-vindas. Estou implorando para você. Herói apenas no nome.

Gaharudo ignorou os olhares aturdidos de Kouki e os outros quando eles ouviram as frases explosivas atingindo seus ouvidos, e provocadoramente encarou Hajime com um sorriso destemido, ele então deixou a sala de forma galante.

A porta ecoou com um estrondo. Como resultado, Kouki e os outros recobraram sua compostura e logo questionaram Liliana.

— Lili, que história é essa sobre um noivado!? O que foi que aconteceu!?

— É que… por exemplo, além dos Deuses Loucos, se os Demônios nos atacarem, não teremos outra escolha além de retalhar. O Rei do nosso país morreu, o sucessor ainda tem apenas dez anos de idade, isso não é o bastante para conduzir a nação, assim, é necessário fortalecer nossas relações com um aliado.

— É por isso que Lili está se tornando noiva do filho do Imperador?

— Sim. Meu parceiro é o Príncipe herdeiro. Sempre existiram muitas discussões sobre nosso noivado. Ele já era meu noivo, isso só vai ser formalizado nesta festa. Exatamente porque estamos abalados com a invasão dos Demônios, esse é o motivo para esse ato.

— E quanto ao Reino? Você não tem que se consultar com eles?

— Já há uma maioria que consentiu com isso antes, então não devemos ter nenhuma objeção. Em primeiro lugar, é esse tipo de história. Além disso, agora mesmo, a pessoa mais importante do Reino sou eu. Randell é apenas uma figura representativa, e nossa mãe não é uma pessoa que pode assumir a liderança. Dessa forma, não há problemas. Neste momento, decisões rápidas são necessárias.

Liliana falou com uma expressão decidida. O grupo de Kouki estava de boca aberta, então eles se recuperaram e ficaram com olhares amargos em seus rostos.

— … Lili gosta dessa pessoa?

— Não é sobre gostar ou desgostar. Isto é para construir uma conexão entre as nações. No entanto, o Príncipe herdeiro já tem muitas amantes, a quantidade de pessoas é tão grande que pode causar um buraco em seu estômago devido ao estresse. Deixando minha posição de lado, não podemos entrar em pé de igualdade se eu me casar com o Príncipe de outra nação, não há o que fazer…

— Por-por quê!? Como você pode estar bem com isso!? Mesmo que você não goste dele, se casar com esse tipo homem não é bom!

— Se você pensar assim, esse pode ser o caso, mas eu sou uma Princesa da família real. Desde meu nascimento, isto era natural.

— Natural, você diz… mas Lili é uma garota. Você não quer se casar com alguém que você goste de verdade?

Kouki não podia entender e gritou, Liliana só podia responder com um sorriso perturbado.

Liliana era certamente uma garota. Ela se tornou uma amiga íntima das garotas que vieram do outro mundo, se isso fosse uma conversa com Kaori, Shizuku e as outras, de modo natural, ela iria ansiar por um romance verdadeiro.

Para Liliana, que sorria sem graça, Shizuku deteve Kouki, que estava tentando argumentar com cada vez mais veemência. Dentro dessa delicada atmosfera, Hajime lentamente deixou seu assento. E tentou deixar a sala como se nada tivesse acontecido. Com isso, Kouki transmitiu seus sentimentos que estavam sem um alvo.

— Oi! Nagumo! Você não pensa nada sobre isto!?

— Hããããã? O que você acha que eu posso fazer sobre o noivado da Princesa? Aliás, isto é um ato político tomando forma em um casamento, não? Ou melhor, isto não é algo para um amador interferir.

— Guuuu, ma-mas…

— Mais importante, há coisas que nós temos que fazer. Se você fizer algo imprudente e nos obstruir, eu vou acabar com você, entendeu?

Após Hajime falar isso, Yue e as garotas também partiram. Enquanto acalmava o irritado Kouki, dependendo dos resultados do que aconteceria no futuro próximo, a conversa sobre o noivado poderia ser cancelada, Shizuku olhou para o teto sentindo um pouco de cansaço.


Hajime e seu grupo saíram, após o grupo de Shizuku conversar mais um pouco, eles seguiram para os quartos preparados para eles pelas camareiras porque Liliana tinha que se preparar para a festa à noite. Para tal ocasião, as escolhas principais eram vestidos.

— Nossa, isso é magnífico Liliana-sama!

— Verdade… você parece uma fada.

— Com toda certeza, Sua Alteza Real ficará encantado!

Um dos vestidos foi escolhido após tentarem dezenas de outros, enquanto Liliana se virava na frente de um enorme espelho, as camareiras coradas e encantadas a cercando compartilharam elogios. Apesar de ela ter apenas 14 anos de idade, a Princesa tinha um charme requintado como mulher, combinado com o vestido rosa-claro, isso só aumentou esse efeito ao máximo. Assim como uma das camareiras disse, ela tinha o encanto de uma fada.

— É, verdade. Devemos ir com este? A seguir são os acessórios…

A própria Liliana parecia consentir com um aceno de cabeça.

Não importava o quanto este fosse um casamento político, o Príncipe herdeiro, Bias D. Hoelscher, era um amante de mulheres que lembrava seu pai, quando eles se encontraram no passado, ele olhou para Liliana com olhos indecentes mesmo ela ainda não tendo atingido os dez anos, as habilidades dessa escória não eram ruins, ele chamou um Cavaleiro de classe inferior para “praticar” quando estava no Reino para exibir sua força enquanto provocava o Cavaleiro, contudo, o fato de que ele se tornaria o marido dela não mudou.

E assim, Liliana não poderia envergonhar seu parceiro, já que esta era festa de noivado deles, ela pretendia se vestir para mostrar seu potencial máximo. Afastando as palavras “pessoa que você gosta” que Kouki disse de sua cabeça.

Liliana também era uma mulher. Ela era popular com muitas outras mulheres talentosas do Reino Haihiri, então ela também desejava ser uma garota normal. Quando ela estava em apuros, o Príncipe com quem ela sonhava apareceria, então eles se atrairiam com seu encontro predestinado, ela até sonhava com histórias de superação de múltiplos obstáculos em sua busca por amor juntos.

Mas esse era um futuro impossível. Como Liliana era inteligente, ela aceitou que seria chamada para uma missão desde que era jovem. Por esse motivo, mesmo que ela sentisse repulsa por seu parceiro do fundo de seu coração, os sentimentos dela de querer ser uma excelente esposa eram verdadeiros, ela estava determinada a servir de forma magnífica o Príncipe herdeiro após a festa.

Então, nesse momento, de repente, o exterior de seu quarto ficou barulhento. A porta foi aberta com força sem nenhuma batida, e um enorme homem entrou de forma rude no quarto. Embora ele tenha parado quando os Cavaleiros do Reino correram para o lado de da Princesa, o homem não pareceu se incomodar.

— Hooooo, esse é o vestido para hoje à noite… acho que ele é só mediano.

— … Bias-sama. Invadir o quarto de uma dama não é uma atitude admirável

— Aaaaa? Eu não vou ser seu marido? Por que você está me respondendo?

— …

A pessoa avisando Liliana com uma expressão sombria era Bias D. Hoelscher, com quem ela ficaria noiva. O mesmo de vários anos atrás, carregando uma atmosfera rude e tirânica, ele continuou a olhar Liliana de cima a baixo de forma indecente. Um arrepio percorreu a espinha da garota.

— Oi, todos vocês, saiam agora.

Bias, com um sorrisinho em seu rosto, subitamente ordenou que todas as camareiras e Cavaleiros partissem. Ele ordenou mais uma vez de forma ameaçadora para aqueles que estavam confusos, as camareiras deixaram o quarto em pânico. Contudo, os Guardas do Reino naturalmente hesitaram. Liliana notou que os olhos de Bias ficaram perigosos; incerta do que fazer, ela ordenou que seus guardas se retirassem.

— Fuuuun, quando você disciplina seus cães, tenha certeza de fazer isso com firmeza.

— … eles não são cães. Eles são meus importantes vassalos.

— … rebelde como sempre, não? Kuku, ainda a mesma pirralha que nem atingiu dez anos de idade, foi gratificante ser encarado com esse seu olhar de ódio. Naquele momento, eu já tinha decidido que você seria minha.

Quando ele disse isso, Bias mostrou um sorriso repugnante em seu rosto enquanto observava Liliana, que endureceu do fundo de seu coração. De repente, seus peitos foram agarrados.

— !?!?!? Nãããão! Ai!

— Mesmo assim, você cresceu. Mas ainda não é o bastante, contudo, isso é tentador.

— Pa-pare!

Com a ação violenta, a expressão de Liliana se distorceu em dor. Quando Bias viu a expressão, sua risada ficou muito mais animada, ele então empurrou Liliana contra o chão. Apesar da Princesa estar gritando, os guardas do lado de fora pareceram não notar.

— Você pode gritar o quanto quiser. Porque este quarto tem um mecanismo especial instalado, o som não pode escapar para o exterior. Bom, mesmo que aqueles cães entrassem, eles não poderiam fazer nada contra mim, pois sou o Príncipe herdeiro. Afinal, você quer que aqueles caras vejam você tendo sua virgindade tomada? Ku, hahahaha.

— Por que… este tipo de…

Liliana ficou pálida quando pensou nas coisas que seriam feitas no futuro; ela corajosamente encarou Bias.

— São esses olhos. Esses olhos rebeldes, com dor e desespero, eu quero tornar esses olhos de prazer. Acima de tudo, eu amo brincar com pessoas desafiadoras até que elas se tornem submissas. Pessoas que lutam desesperadamente, não há prazer maior do que fazê-las se ajoelharem e abaixarem suas cabeças. Se você provar este prazer só uma vez, você não poderá mais viver sem ele. Liliana. Quando eu te conheci pela primeira vez, você, que estava me julgando com coragem em seus olhos, me fez pensar que eu queria te quebrar em algum momento.

— Pessoas como você…

— Naaaaa, Liliana. Ao invés de esperar pelo casamento, se você perder sua virgindade antes da festa de noivado, que tipo de rosto você irá mostrar na festa? Enquanto resiste a dor em sua virilha, que tipo de expressão você terá na frente das pessoas? Aaaaa, eu mal posso esperar para ver isso.

Mesmo que ela se sentisse enojada com seu parceiro, se ela o ajudasse como uma esposa prestativa, com toda certeza, ele se tornaria um esplêndido Imperador, não, o coração que Liliana preparou já começava a se despedaçar.

Liliana percebeu. Na frente dela estava um homem rindo que queria vê-la segurando suas lágrimas pelo desespero, em certo sentido, ele era definitivamente o “Príncipe herdeiro do Império”.

O vestido que ela escolheu para não envergonhar Bias foi rasgado por suas mãos. A pele de uma joia imaculada foi exposta, o rosto de Liliana corou com a vergonha. Ambas as mãos da garota estavam presas acima de sua cabeça, ela não era capaz de se esconder com suas pernas.

Bias, enquanto sorria com deboche, talvez pensando em beijá-la, aproximou seu rosto perto do da garota lentamente. Os olhos da Princesa permaneceram arregalados com total medo. Liliana não podia virar seu rosto porque seu queixo estava sendo segurado, sem ela perceber, lágrimas começaram a escorrer de seus olhos devido ao medo e vergonha, então ela pensou:

“Eu me preparei para o casamento, mas como imaginei, isso é impossível, isto é demais”. Na realidade, ela queria dedicar seu corpo e coração para a pessoa que ela gostava e com quem queria ser feliz. Esses eram os sinceros sentimentos dela como mulher e que escaparam da armadura oculta chamada de Princesa.

E as histórias de Kaori e Shizuku foram relembradas. Aparecendo no momento de dificuldade, atacando e derrotando o injusto, sendo resgatada de um pântano de perigo, exatamente como em um conto de fadas.

Se rezasse por isso, ela seria salva. Liliana riu de si mesma por pensar em coisas tão tolas, ainda assim, seu coração continuava desejando por isso.

Em outras palavras:

“… me salve”.

Então…

Nesse momento, Liliana, que estava sendo pressionada por Bias, viu algo se aproximando atrás dele, algo parecido com uma pequena aranha caiu do teto! E ela a testemunhou aterrissando. — Eh? — Os olhos de Liliana se arregalaram pela surpresa com o que estava diante de seus olhos, quando a aranha deu um passo com seu pé, ele afundou no pescoço de Bias! A perna o perfurou.

— Ai! Quê? Agora mesmo, meu pescoço…

Ele sentiu dor percorrendo seu pescoço, o Príncipe que estava a ponto de roubar os lábios de Liliana parou e sentiu algo em seu pescoço. Nesse momento, a aranha já tinha recuado por sua teia e entrou no teto.

A Princesa observou a cena com espanto, Bias subitamente ficou fraco e seus olhos começaram a se fechar, em seguida, ele perdeu a consciência e caiu em cima de Liliana.

— Eh? Eh?

Diante da confusa Princesa, mais uma vez, a aranha desceu de sua teia e subiu em Bias. O Príncipe ainda estava por cima da garota, a aranha desceu até o ombro dele e ficou diante dos olhos da Princesa. Enquanto encarava de perto, Liliana notou uma peculiaridade da aranha pela primeira vez.

— … aranha… de metal?

Correto, a aranha que estava no ombro de Bias era feita de metal. Na frente da surpresa Liliana, que disse: — Pareeee! —, a aranha de metal, mais uma vez, com uma pata diferente da de antes, perfurou o pescoço de do Príncipe. Apesar de já ter perdido sua consciência, ele estremeceu! Seu corpo começou a tremer. O Príncipe ainda estava respirando, então não foi um golpe decisivo.

Liliana não pensava que o propósito da coisa era matar seu alvo. E a garota encarou em silêncio a aranha diante de seus olhos. Se Liliana olhasse com atenção, notaria que a aranha de metal tinha um brilho parecido com o de um cristal, a coisa rastejou por sua teia e retornou ao teto com tranquilidade.

— Ah, espere, por favor, espere! Por acaso, você é…

Embora Liliana chamasse a coisa enquanto estava confusa, a aranha de metal continuou a ignora-la e subiu para o teto com seus oito pés; ela se moveu na direção da parede exterior. Então, uma suave luz vermelha foi emitida, a aranha caminhou para fora do quarto enquanto fechava o buraco que criou na parede e escapou.

Enquanto se sentava, Liliana usou o vestido rasgado para se cobrir, e, finalmente, ela entendeu a situação e murmurou para si mesma com um sorriso.

— Obrigada… Nagumo-san.

Bias era o noivo de Liliana, e agora mesmo, após ser ajudada, ela entendeu quando a coisa fechou o buraco. Mas mesmo assim, desta vez, respondendo ao pedido dela por ajuda, ela só podia ficar feliz. Ela apertou ambas as mãos com força enquanto segurava o vestido destruído em seu peito. De certo modo, era como se ela estivesse segurando outra coisa.


Hajime e as garotas, que deixaram a recepção mais cedo, foram guiados para outro quarto pelas camareiras. Após mandar as empregadas embora, Hajime, que esteve com seus olhos fechados e se concentrando em algo o tempo todo, os abriu de repente. Yue, que notou isso, chamou o garoto com menos palavras do que o usual.

— … como foi? Hajime.

— … hmmm, excelente. Houve algo perturbador no meio do processo, mas… 60% do plano está completo.

A voz que respondeu a Vampira foi lenta e estava se concentrando em outra coisa.

— Foi rápido. Havia muitas armadilhas?

— …sim. Mas não há motivos para desarmar todas.

—Fumu, é ótimo que temos uma festa hoje. Se as pessoas se reunirem, será mais fácil se mover pelo local.

— Parece que as pessoas estão começando a se reunir no salão de festa, huh. Vai correr tudo bem?

Shia perguntou com uma expressão um pouco apreensiva.

Afinal, um evento grande e único que decidiria o futuro de sua família estava em jogo. Seria estranho se ela não estivesse tensa. Para tal Shia, Hajime acariciou as orelhas de coelho dela, Yue esfregou suas bochechas, Tio estava escovando seu cabelo e Kaori estava apertando a mão dela com força.

Para seus companheiros que sorriam, os sentimentos de Shia ficaram presos em sua garganta.

Contudo, lágrimas não apareceram. Mesmo que fossem lágrimas de alegria, ainda era cedo demais para chorar quando nada tinha começado. Ao invés disso, como ela sempre fazia, ela mostrou seu sorriso brilhante. “Não estou sozinha. Minha família também está aqui. Sou abençoada por tê-los”, o sorriso dela revelava tais pensamentos. Esse era o charme que Hajime e as outras gostavam em Shia.

Hajime, que confirmou que a garota sorria, ficou feliz por ver sua poderosa companheira contente e um sorriso que lembrava o de uma criança travessa apareceu em seu rosto.

— Muito bem, devemos preparar o palco para os personagens principais?

Com essas palavras, Shia, Yue, Tio e Kaori também mostraram sorrisos similares e concordaram com vigor.


Tradutor: Zé   |   Revisor: SrDrumond



Notas

[1] Essa batalha aconteceu no capítulo 95.

[2] TLO (Tempo, Lugar e Ocasião) é uma gíria japonesa usada para chamar atenção para uma situação ou experiência que é inapropriada.



Fontes
Cores