CC – Capítulo 230 – O nome do Homúnculo e a nova personalidade de Sheena nº3


Assim que eu me perdi em pensamentos, aquele Homúnculo (pelado) subitamente avançou e me beijou.

Um beijo? Mas o que este Homúnculo (pelado) está pensando? De repente avançando para me beijar!?

— Me beijando repentinamente, você não tem vergonha!? O que você está pensando?

Eu gritei com o Homúnculo (pelado) após finalmente ser solto.

— Vergonha? Mas fornecer Poder Mágico não é tarefa do mestre?

— Eh? Fornecer Poder Mágico?

Agora que ela mencionou isso, eu notei que fui privado de parte de minha força.

No entanto…

— Nesse caso, podemos apenas usar as suas costas. As costas estão repletas de glândulas sudoríparas que são mais do que suficiente para transferir Poder Mágico, não são!?

— Eeh, mas isso é muito ineficiente. Isso estaria terminado em apenas alguns segundos com um beijo, mas utilizar as costas irá tomar dezenas de minutos.

— Ma-mas que garota.

Pode ser que existam personalidades tão contrastantes mesmo que ambas sejam Homúnculos?

— Mestre, você tem algum tipo de laço para que eu amarre meu cabelo?

— Ah, eu tenho alguns que minha irmã mais nova usava.

Eu peguei um prendedor de cabelo de elástico da minha Bolsa de Itens e passei para ela.

— Obrigadoooo.

Ela disse enquanto pegava o prendedor de cabelo, o segurava com seus lábios e começava a arrumar seu cabelo.

Ela estava o amarrando em um rabo de cavalo.

— Pensando bem, Pionia! Se apresse e prepare algumas roupas para ela.

— Você não está apreciando a vista?

— Só se apresse e faça isso!

Eu me virei e comecei a recitar um sutra1.

Contudo, diferente de Miri, que poderia fazer tudo, eu não memorizei a maioria dos sutras e só poderia atentamente recitar o Namo Amitabha2.

Após um tempo…

— Mestre, eu terminei de me trocar.

Eu escutei uma voz me chamar. Ela terminou de se trocar, mas parecia que ainda precisaria de algum tempo para arrumar o cabelo. Ela parecia estar tendo um pouco de dificuldade com isso.

— Okay… espere, você não tem outras roupas!? Estou surpreso por você ter algo como isso.

Homúnculo (pelado) se tornou Homúnculo (camareira). Yeah, ela estava vestindo um traje de camareira. Além disso, Pionia terminou seu trabalho e estava vestindo um traje de camareira também. Eu me perguntei que tipo de loja nós estávamos gerenciando.

E, naturalmente, eles não eram os mesmos trajes de Camareira deste mundo; eram os trajes de camareira que você veria com frequência em Akihabara3-4. Para combinar com as cores de seus cabelos, o traje de camareira de Pionia era amarelo e o da outra era um traje de camareira verde.

— A Mestra Malina esboçou o design para mim anteriormente, então eu os fiz.

— Hah, aquela garota… sério.

Malina Sakura realmente ama cosplay. Eu só descobri recentemente que até seu traje de Maga regular e elegante não era por causa dos desejos de Marina, mas sim de Malina Sakura.

— Então Mestre, qual seria o meu nome? Eu poderia receber um nome assim como a minha irmã mais velha Pionia?

Homúnculo (camareira) disse depois que terminou de amarrar seu cabelo.

— Não há como eu pensar em um nome tão subitamente.

Eu tive que pensar muito quando estava considerando o nome de Pionia.

— Está tudo bem, você tem que seguir sua intuição para esse tipo de coisa. Coisas como a origem do nome ou os traços da palavra não passam de ego dos pais. Ao invés de um nome desse tipo, eu quero um nome que eu possa chamar de meu.

— Você… tem uma personalidade bem máscula.

Eu olhei para as roupas dela, seu penteado e cor de cabelo enquanto ponderava.

Eu pensei por mais de um minuto. Eu percebi que, após pensar por tanto tempo, não poderíamos mais considerar isso intuição. Além do mais, o obstáculo da expectativa aumentaria ainda mais quanto mais tempo eu pensasse, assim, eu escolhi um nome entre os vários candidatos que tinha disponíveis.

— Você está bem com Neete?

— Neete? Parece bom. Então, qual significado ele tem?

— Você não falou que não queria saber qual significado o nome teria?

— Eu não disse que não perguntaria. Eu disse que isso para que você não ficasse preocupado. Eu gostei do nome. Eu aceitarei este nome, mesmo que ele seja o nome da ex-namorada do mestre.

— Eu não faria algo como isso, dar um nome como se estivesse nomeando uma personagem de um jogo com o nome de um amor. O motivo é isso.

Eu apontei para Neete, ou mais especificamente, para o cabelo dela.

— É um rabo de cavalo5, portanto… Neete.

— Entendo, esse é com certeza um nome inovador.

Ela respondeu e não estava zangada, já que riu alegremente.

Eu soube na mesma hora que ela era muito mais fácil de lidar comparada a Pionia.

Hmm, isso pode ser um pouco estranho, já que ela tinha a aparência de uma garota fofa, mas se eu pensar nela como um amigo homem, ela provavelmente será uma pessoa com que eu poderei me dar muito bem.

— Ah, mestre, eu tenho uma pergunta.

— Hn? O que foi Neete?

— Quando você vai fazer coisas pervertidas comigo?

— Até parece que eu faria!?

Eu surtei com a pergunta de Neete.

Eu retiro minhas palavras anteriores; esta garota é problema.

Por ora, Neete ficaria encarregada da recém-criada mina e os campos.

Bom, há muitos problemas, mas isso parece resolver com segurança a questão da falta de mão de obra.

— Mestre, devido ao choque de você batendo na minha cabeça há pouco, o fim das minhas frases ficou estranho desu6. Eu poderia considerar isto como a aquisição de uma nova personalidade desu?

Sheena Nº3 disse algo idiota, porém, yeah, algo deste nível não deve ser um problema.

A pessoa (máquina?) parecia estar feliz afinal.


Tradutor:



Notas

[1] Sutra é um ensinamento basicamente religioso em forma de texto, originário das tradições espirituais da Índia, particularmente do hinduísmo, do budismo e do jainismo. Literalmente significa “corda” ou “fio” e, mais metaforicamente, refere-se a um aforismo ou a uma coleção de aforismos reunidos num manual ou, ainda um ensinamento mais longo, em prosa. No hinduísmo os sutras estão ligados a uma escola de estudos védicos relacionada (embora um pouco mais tardia) com os Upanishads. Todas as escolas de filosofia hindu desenvolveram grandes tratados na forma de sutras, o que ajuda a transmitir os ensinamentos de uma geração a outra. Os sutras têm geralmente a forma de pequenos versos, algumas vezes esotéricos, acerca das visões hinduístas acerca da metafísica, da cosmogonia, da condição humana, sobre moksha (libertação) e sobre como ter uma vida feliz, conforme ao dharma. Todavia também podem se referir a questões de ordem prática. É o caso dos Shulba Sutras, por exemplo, que são verdadeiros manuais técnicos que incluem procedimentos de cálculo matemático necessários à elaboração de projetos de altares para a realização de sacrifícios.

[2] Amitaba, Amitabha ou Amida, é um dos Cinco Budas da Meditação. É o buda principal da família de Lótus, da direção Oeste, de cor vermelha, que purifica o carma do desejo. Amitaba tem um especial comprometimento com a iluminação de todos os seres, sendo conhecido como o buda da transferência da consciência na hora da morte e da passagem pelo bardo, sendo objetivo dos que o cultuam alcançar a iluminação ou renascer na Terra Pura de Amitaba, onde se alcançaria a iluminação. No Tibete, é conhecido por Od Pagme e, no Japão por Amida Niorai, sendo o mantra do Buda Amida em japonês conhecido por nenbutsu, como contração de namo Amida Butsu. Acredita-se que a repetição do nenbutsu leva ao renascimento na Terra Pura de Amitaba. Para os japoneses, Amida governa a região da felicidade, do céu e personifica a inteligência da prédica e a caridade no amor. Impõe, para o gozo da bem-aventurança, cinco prescrições: não matar, não roubar, não se entregar à libertinagem, não mentir e não ingerir substâncias entorpecentes ou alucinógenas.

[3] Akihabara é uma cidade da província de Chiyoda, em Tóquio. O nome Akihabara é uma abreviação de Akibagahara, que em última análise vem de Akiba, em homenagem a um santuário de uma divindade do fogo ser destruído por incêndio em 1869. Akihabara ganhou o apelido de bairro dos eletrônicos de Akihabara logo após a Segunda Guerra Mundial, por ser um importante centro de compras de eletrodomésticos e um mercado negro do pós-guerra. Hoje em dia, Akihabara é considerada por muitos um centro cultural otaku e um distrito de compras de video games, anime, mangá e computadores. Ícones populares dos animes e mangás são mostrados nas lojas da região, e inúmeros Maid Cafés são encontrados por todo o distrito.

[4] O primeiro Maid Café do mundo se estabeleceu em Akihabara. Desde então, diversos estabelecimentos como este foram inaugurados no Japão, muitos se mantendo até hoje, principalmente na região de Akihabara. Aos poucos, surgiram Maid Cafés no exterior, em países como a China, a Coreia do Sul, Taiwan, Tailândia, Austrália, Hungria, República Checa, França, Países Baixos, México, Canadá e Estados Unidos. A vestimenta de camareira varia de café para café, mas a maioria é baseada nas roupas de camareiras francesas, normalmente composta de um vestido, um saiote, um avental, um acessório de cabelo combinando (como um babado ou um arco), e meia-calça. Frequentemente, as funcionárias também fazem cosplay de personagens de anime. Algumas vezes, funcionárias vestem orelhas de animais com seus trajes para aumentar o apelo. As garçonetes de maid cafés são escolhidas com frequência com base em suas aparências; a maioria é jovem, atraente e com aparência de inocente. Candidatas podem ser testadas para determinar se podem representar um determinado personagem que elas irão fazer cosplay. Com o objetivo de manter a fantasia, algumas funcionárias podem ser obrigadas por contrato a não revelarem informação pessoal para clientes, sair do personagem ou permitir que os clientes a vejam sem o traje. Alguns maid cafés também contam com homens fazendo crossdressing.

[5] O que Ichinojo fez foi apenas remover a primeira e a última sílaba da palavra “rabo de cavalo” (ポニーテール), pegando as sílabas restantes ele formou a palavra “nīte” (ニーテ).

[6] O desu (です) é o verbo copulativo Japonês, também chamado de verbo de ligação, ele sempre é usado no final da frase para passar uma ideia de afirmação, de algo verdadeiro. No Português, esse verbo seria o “ser”, no Inglês, seria o famoso verbo to be.



Fontes
Cores