CC – Capítulo 242 – Vamos tentar criar monstros


Depois disso, voltei a pescar e aumentei ainda mais meu level de Imitador.

Minha rede tinha 12 peixes parecidos com o tubarão, sete parecidos com o bonito1, quatro parecidos com o atum-rabilho2, toneladas do que pareciam ser lulas-gigantes e pesquei até um mamífero parecido com golfinho, mas o libertei. Afinal, ele parecia fofo.

Eu pesquei montes de peixes pequenos também, mas matar esses não daria muita experiência.

Além disso, derrotei uma subespécie da Tartaruga-Esmeralda, uma Tartaruga-Rubi (sua carapaça era feita de rubi) e o Imitador chegou ao Lv17.

— Reproduzir Registro.

Após dizer isso, pude confirmar minha pescaria até o momento… ou melhor, o registro de aumentos de level.

Meu level aumentou da seguinte forma:

Ichinojo subiu de Level.

Ichinojo subiu de Level.

Ichinojo subiu de Level.

Habilidade de Imitador: “Ataque Falso” adquirida.

Habilidade de Imitador: “Imitação de Caligrafia” adquirida.

Ichinojo subiu de Level.

Ichinojo subiu de Level.

Ichinojo subiu de Level.

Habilidade de Imitador: “Identificar Pensamento” adquirida.

Habilidade de Imitador: “Criação de Falsificação” adquirida.

Ichinojo subiu de Level.

Ichinojo subiu de Level.

Algo parecido com isso.

O número de registros de aumento de level foi pouco porque meu level saltou para três quando derrotei a Tartaruga-Rubi. Como esperado, meu level aumenta com facilidade quando derroto tartarugas-joias.

Em contrapartida, meu level não aumentou muito com os outros peixes.

Eu verifiquei minhas habilidades em detalhe.

Coloquei minhas mãos na habilidade Identificar Pensamento que eu estava querendo, mas ela não podia me dizer os pensamentos do alvo concretamente, ao invés disso, ela apenas copiava as emoções da pessoa. Posso ser capaz de usar isso como um detector de mentiras, mas não posso descobrir a atual localização de Miri com essa habilidade.

Ataque Falso era a versão física da Magia Falsa.

Imitação de Caligrafia era literalmente uma habilidade para imitar a caligrafia.

Criação de Falsificação parecia ser uma habilidade para criar artes e antiguidades falsas.

Ambas a Imitação de Caligrafia e Criação de Falsificação pareciam muito com habilidades de criminosos, mas elas eram convenientes.

Graças a habilidade de Compreensão da Linguagem Comum, eu podia entender e escrever as letras deste mundo. Contudo, mesmo que pudesse escrever as letras, elas eram feitas com uma caligrafia horrível. Minhas letras ficariam parecidas com minhocas para as pessoas deste mundo, que as escreviam por muitos anos. No entanto, com esta habilidade de Imitação de Caligrafia, eu poderia imitar letras bonitas e não teria a sensação desnecessária de vergonha quando escrevesse.

Quanto a Criação de Falsificação, isso pode afastar as pessoas quando elas ouvirem que o item é falso, mas essa é uma habilidade que pode ser útil quando eu precisar criar um enorme número dos mesmos itens.

Por exemplo, ourivesaria3… eu fiz brincos de prata em grandes quantidades usando uma habilidade de Ferreiro, mas apesar de estar fazendo o mesmo item, ainda havia algumas ligeiras diferenças entre cada item. Havia alguns com que eu estava satisfeito, enquanto também havia alguns que não me pareciam bons o bastante. No entanto, se eu usar a Criação de Falsificação, provavelmente poderei almejar apenas os brincos com que fiquei satisfeito.

Mas se Haru usar a habilidade Avaliar Falsificação, ela deve conseguir ver que o brinco que fiz é falso.

Imitador tem muitas habilidades interessantes, mas seu level é extremamente difícil de se aumentar. Ele deve ser um emprego avançado.

No entanto, tenho a série de tartarugas-joias para aumentar meu level de uma vez.

Se possível, amaria colocar as mãos em mais delas, porém…

— O jantar desta noite será omelete desu.

— Ha, como eu disse, não vamos comer as tartarugas… omelete?

Temos ovos? Se ela está falando sobre ovos de galinha, tenho alguns na minha bolsa de itens que foi preparada por Miri.

Omelete, hã?

Estou com vontade de comer alguns.

Quero colocar rabanete ralado na omelete e cobri-la com um pouco de molho de soja. Também é difícil desistir do molho de ponzu4.

— Sheena, você sabe fazer omeletes?

— Sim desu. Eu também posso fazer omeletes enroladas desu.

— Sério!? Tudo bem, por favor, faça algumas agora mesmo.

— Entendido desu!

Sheena disse e estava a ponto de quebrar os ovos…

— Oi!

Eu bati na cabeça de Sheena No.3.

O motivo foi ela não estar segurando ovos de galinha. Eles também não eram ovos de pássaros. Eles eram muito menores e mais redondos… eles tinham a mesma aparência de ovos de tartaruga.

— Esses são os ovos da Tartaruga-Rubi?

— Sim, eu também tenho os ovos da Tartaruga-Esmeralda aqui desu. Eles já foram fertilizados desu. Deve ter um ponto de desova5 oculto de tartarugas-joias por perto desu.

Verdade, eu avistei uma ilha um pouca afastada de nós.

— Ovo fertilizado, hã, quem sabe…

Eu peguei os ovos de Sheena Nº3 e os levei para o Meu Mundo.

— Pionia, Neete, vocês estão aqui!?

Elas vieram correndo quando eu gritei por elas.

— Bem-vindo de volta Mestre.

Disse Neete em seu uniforme de camareira.

Quem é a pessoa colocando conhecimentos estranhos nesta garota? Mas não faz sentido perguntar isso. A pessoa que deixaria para trás desenhos para uma roupa de camareira só poderia ser… Malina. Ela deixou uma lembrança muito ridícula.

— Neete, veja este ovo.

— Hmm? Isto é um ovo de tartaruga? Entendido, você quer uma omelete, não quer? Pode deixar.

— Não. Seu jeito de pensar é exatamente o mesmo de Sheena Nº3.

— Vou escrever qualquer coisa que você quiser com ketchup.

— Você ouviu até sobre esse detalhe! Aliás, não é omelete, mas sim omurice6… não, não faça nada disso! Eu quero fazer o ovo chocar. Você pode fazer isso?

— Hmm? Ah, chocar isso, hã? Deixe-me olhar ele por um momento.

Neete disse a acenou com a cabeça após olhar para os ovos.

— Este ovo não está bom. Ele não pode mais chocar. No entanto, todos os outros podem.

Neete selecionou apenas um de muitos ovos.

Eu não poderia dizer com meus olhos, mas esse ovo parecia já estar “morto”.

— Eu quero aumentar o número ao fazê-los chocar. Assim, posso cultiva-los e adquirir experiência.

— Ah, isso será difícil. Pelo que posso dizer, esses são ovos de tartaruga-marinha, não são? Este mundo não tem um mar.

— Ah… é verdade.

Não serei capaz de cultivar tartarugas-marinhas se não houver um mar.

Isso com certeza é verdade.

— Eu posso fazer algo parecido com um aquário?

— Hmm, você poderia criar uma ou duas em um aquário, mas não acredito que o mestre está se referindo a esse número, certo?

— É, empenhar esse esforço para criar apenas uma ou duas não me dará experiência o bastante.

Meu plano ideal não era criar elas só quando eu tivesse tempo, mas reproduzi-las de maneira perfeita.

Porém, eu tive uma ideia estranha.

— Isso é verdade. Nesse caso, que tal o mestre criar um mar?

— Criar um mar? Isso é possível?

— Sim, contanto que o mestre tenha poder mágico o suficiente… ah, mas isso não vai dar certo. Pionia-oneesan trabalhou na maior parte deste mundo, então não posso destruir nada… hmm, se chegamos a este ponto, por que o mestre não deixa este mundo maior?

— Deixar o mundo maior? Não posso fazer algo como isso… não, na realidade, eu posso.

Houve um aumento de várias opções após eu vir para este mundo e criar uma estrela.

Me lembro que havia uma opção de expansão de mundo entre elas.

Posso expandir o mundo com o gasto de 500 pontos de MP.

— Então vou tentar expandir o mundo.

Eu concordei com a expansão do mundo com um humor despreocupado como se estivesse decidindo fazer curry para o jantar.


Tradutor:



Notas

[1] Katsuwonus pelamis, conhecida pelos nomes comuns de bonito, bonito-listrado, gaiado, atum-bonito ou atum-gaiado, é uma espécie de peixes da família Scombridae com distribuição natural cosmopolita (em biogeografia, diz-se que um grupo de seres vivos possui uma distribuição cosmopolita se ele pode ser encontrado praticamente em qualquer lugar do mundo) nas águas tropicais e temperadas, estando apenas ausente no Mediterrâneo oriental e no Mar Negro. A espécie apresenta valor comercial elevado, sendo objeto de uma importante pescaria que representa cerca de 40% do total das capturas mundiais de atum.

[2] Thunnus thynnus Linnaeus, conhecido pelos nomes comuns de atum-rabilho ou atuarro, é uma das oito espécies de atum pertencentes à família Scombridae, classe Actinopterygii. A espécie apresenta populações distintas nas margens leste e oeste do Oceano Atlântico e no Mediterrâneo, encontrando-se extinta no Mar Negro. Estreitamente aparentada com as espécies Thunnus maccoyii (das águas temperadas e subtropicais do Hemisfério Sul) e Thunnus orientalis (do Oceano Pacífico), é um superpredador (um tipo de predador que está no topo de uma cadeia alimentar, ou seja, não há outras criaturas superiores) de uma importante pescaria, razão pela qual está em perigo de extinção.

[3] A Ourivesaria é a arte de trabalhar com metais preciosos (especificamente prata e ouro), na fabricação de joias e ornamentos. A ourivesaria é uma arte bem antiga, tendo sido encontrados sítios arqueológicos no mar Egeu, datados em torno de 2500 a.C. nos quais se encontram joias feitas de ouro. No Egito antigo já se produziam trabalhos altamente detalhados. É uma arte de grande aceitação ao redor do mundo, sendo, na Idade Moderna, profissionais de inegável prestígio perante aos reis e toda a corte. O profissional que realiza este tipo de trabalho é o ourives. Cabe ressaltar que esta atividade é, em sua natureza, uma atividade de cunho artesanal.

[4] Ponzu, também grafado ponju ou ponsu, é um molho à base de limão utilizado na culinária japonesa. É de sabor muito ácido, com uma consistência fina e aquosa e uma coloração amarelo-clara. Ponzu shōyu, ou ponzu jōyu, conta com a adição de shoyu (molho de soja); o produto da mistura costuma ser chamado também apenas de ponzu.

[5] Usado principalmente na biologia pesqueira, o termo desova indica o momento em que os peixes e outros organismos aquáticos libertam para a água os seus produtos sexuais, ou seja, os óvulos e os espermatozoides, que vão se conjugar para dar origem à sua descendência. O ato da desova tem grande importância para a gestão das pescarias porque, em cada ecossistema, cada espécie tem o momento próprio para a reprodução, geralmente dependente das condições climáticas.

[6] Omu-rice, ou Omurice, é um exemplo de Yoshoku (um estilo de culinária do Japão influenciado pelo Ocidente), consistindo de uma omelete feito com arroz frito e normalmente coberto com ketchup. Com omu e raisu sendo contrações das palavras “omelete” e “arroz” em inglês



Fontes
Cores