TER – Capítulo 126 – Templo


— Eu tenho a capacidade para permitir que você receba uma evolução, e, além disso, uma imediata.

“Provavelmente será uma boa ideia fingir interesse para fazer ele nos contar um pouco mais.”

O Princípio da Falsidade nos permitiria discernir a verdade e a mentira, então escutá-lo um pouco mais não nos causaria nenhum mal. Mesmo assim, o comentário dele a respeito da habilidade da Tribo dos Gatos Negros de evoluir indicava que havia algum tipo de truque para esses Demi-Humanos evoluírem. Esta era uma chance para nós aprendermos um pouco mais sobre o processo, assim, o risco valia a pena, ao menos para mim.

“Informação já suficiente. Evolução dele não é verdadeira. Envolve transformação em Ser Maligno.”

“Verdade.”

“Não abaixarei a cabeça para um homem desses. Nem mesmo como um ato.”

“Ah, eu entendo.”

Muito bem, yeah. A escolha de Fran era a melhor entre as duas opções. Rynford pensava que suas palavras fossem a verdade, mas não havia como determinarmos a veracidade da informação que ele forneceu. Afinal, nem tudo o que ele pensava ser verdade estava mesmo correto. Além disso, não fazíamos ideia do que ele acabaria fazendo se mostrássemos algum tipo de abertura. Fingir interesse não era o que você poderia chamar de perfeitamente seguro.

— Nn. Posso apenas tirar a informação dele mais tarde.

Fran intensificou seu aperto em mim assim que ela se preparou com uma postura de combate.

— Oh? Então você escolheu não obedecer? Tudo bem. Eu vou apenas te derrotar e forçar sua transformação.

— Impossível.

— Fuofuofuofuo! Suas palavras parecem muito mais afiadas do que suas habilidades. Eu assumo que você possui algum tipo de trunfo, mas eu te asseguro que a ferramenta mágica que você acabou de usar será insuficiente se você desejar me derrotar.

Ah, verdade, ele tem Avaliação. Ele deve ter visto os atributos falsos de Fran, e pensou que ela era fraca demais para derrotá-lo. Ele provavelmente pensaria de forma diferente se visse o Status real dela. Em primeiro lugar, eu imagino que esse era o ponto em usarmos nossa habilidade.

“Bom, culpa dele, não nossa.”

Eu ativei minha Catapulta Telecinética e me lancei contra ele. Havia apenas dez metros entre nós, então meu voo durou apenas um instante.

Mas fui incapaz de empalar o velhote.

— Que Espada Mágica formidável você tem. Ainda assim, lhe falta o poder necessário para penetrar a proteção divina concedida a mim pelo próprio Deus Maligno.

Eu fui parado e saí voando com algum tipo de barreira protetora ridiculamente poderosa. Eu não usei força total porque não ativei o Super Aumento, mas eu também não me segurei. Na realidade, ele conseguiu bloquear um ataque que fez uso de aprimoramentos elementais, Presa Venenosa e Lâmina Vibratória.

Merda. Eu acabei voando um pouco longe demais. Havia uma boa distância entre Fran e eu.

“Mestre, Urushi. Continuem na atual localização.”

“Muito bem. Eu vou esperar e espiar as habilidades dele para ver se posso descobrir algo.”

“Nn.”

Woof.”

— Foi por pouco. Você teria sido capaz de interromper o ritual se tivesse me matado com aquele golpe. Mesmo assim, atrasar sua conclusão por mais dez minutos será tudo o que sua interrupção causará, pois nem mesmo minha morte pode parar as engrenagens que eu coloquei em movimento!

— Ritual?

— Fuofuofuofuo! Não importa quanta informação você tire de mim! Já é tarde demais! O ritual já alcançou um estado de conclusão!

O círculo mágico que Rynford tinha escondido atrás dele começou a brilhar com uma luz cegante no momento em que ele fez sua declaração. Poder Mágico começou a surgir de dentro dele e se espalhou ao nosso redor.

— Com isto, a cidade vai receber uma adição de 330 Escravos do Deus Maligno! Eu originalmente planejei um número dez vezes maior, porém, está tudo bem. Os planos de Zerais irão mais do que compensar o que nos falta.

Eu sabia que ele estava usando aquele círculo mágico para alguma coisa! Mesmo assim, era tarde demais para fazermos algo sobre isso. Ele já tinha o usado para transformar todos que podia em Humanos Malignos.

— E com isso, eu vou me retirar.

— Espere!

Fran atirou Olhar da Morte contra o velho, mas a arma acabou sendo repelida.

— Fuofuofuo. Que lançamento fraco. Vejo que eu estava correto em assumir que a maior parte de suas habilidades se originavam da espada que você tinha. Bem, de qualquer forma eu não me importo. Homens, apreendam ela. Matem-na se ela resistir.

— Sim senhor.

Os dois Humanos Malignos restantes conseguiram se recuperar de seus ferimentos críticos. Ambos agora espécimes semissaudáveis se viraram na direção de Fran após confirmarem as ordens de seu mestre.

— Não tente resistir agora se você quiser viver.

— Se dedique aos serviços do Mestre Rynford.

— Eu estou inclinado a te perdoar se você for uma boa garota e implorar por sua vida.

Eles estavam nos menosprezando, o que fazia sentido, considerando que disfarçamos o Status de Fran para que ela parecesse uma simples Aventureira Rank D. Numericamente falando, ela parecia a Rynford uma pessoa muito inferior a ambos os Humanos Malignos diante dela.

— Recusa absoluta.

— Então morra. Adeus mocinha.

Rynford desapareceu enquanto terminava de fazer uma última declaração. Merda! Ele se teleportou para algum lugar? Usuários das Artes Malignas podem fazer isso? Pelo amor de Deus! Não posso acreditar que ele conseguiu fugir!

— Prepare-se para morrer pirralha!

— Vamos fazer você pagar por ofender o Mestre Rynford!

As palavras deles foram acompanhadas por uma série de expressões distorcidas, não de crueldade, mas porque Fran matou um deles em um instante.

— Is-isso é impossível! De onde é que essa espada saiu!?

A resposta era óbvia, a arma que ela tinha em mãos era uma que ela retirou de seu Armazenamento Dimensional. Ela só puxou uma espada que não tinha usado por um bom tempo, a Espada Mágica Ilusória de Piroxênio12.

O outro lacaio de Rynford também foi eliminado em um instante. Não houve qualquer troca de golpes. Os eventos que aconteceram não tinham quantidade suficiente de ações para considerarmos que uma batalha aconteceu. Fran apenas eliminou seus inimigos. Isso foi tudo. Sua vantagem sobre eles estava clara, ela superava ambos numericamente e em termos de números e qualidade geral de habilidades. A superioridade dela, combinada com o fato que seus oponentes estavam relaxados, a permitiu os matar sem nem mesmo pestanejar.

“Deve ser uma boa ideia nos livrarmos do círculo mágico também.”

— Nn. Entendido.

Rynford mencionou algo sobre Zerais, então os dois deviam estar no meio de uma reunião. Em outras palavras, Urushi seria capaz de rastrear ambos de uma única vez.

Nós deixamos o edifício após invocarmos alguns feitiços para explodir o círculo mágico. Barbola estava frenética com muita agitação como resultado das ações daquele velhote. Gritos estavam surgindo de toda a cidade. O porto estava emitindo uma luz vermelha brilhante; era evidente que ele estava pegando fogo, uma consequência que parecia natural, considerando que mais de trezentos Humanos Malignos estavam à solta.

Simplesmente não havia tempo suficiente para nós consertamos tudo sozinhos. Não tínhamos escolha além de esperar que os Cavaleiros tivessem sucesso na conclusão de suas tarefas.

“Vamos atrás de Rynford.”

— Nn.

Woof, woof!

Mais uma vez, isso não significava que ignoraríamos tudo e apenas seguiríamos na direção de nosso destino. Nós ainda paramos para eliminar qualquer inimigo que por acaso encontramos em nosso caminho até lá. Todos os mencionados inimigos acabaram sendo forçados em suas transformações, e assim, nem um deles conseguiu manter um estado de sanidade.

Vendo os Humanos Malignos fora de controle, nós ficamos um pouco hesitantes sobre deixar a maioria deles para trás, mas Rynford e Zerais estavam tramando alguma coisa para deixar toda esta provação ainda pior do que já era, então tivemos que os persegui-los apesar da confusão.

“Pegue a rota mais rápida para nos levar para onde Zerais e Rynford estão.”

Woof!

Nós conseguimos chegar a fonte do cheiro de Rynford cerca de vinte minutos mais tarde. A viagem resultou em nós esquartejando mais três Humanos Malignos pelo caminho.

“Tem certeza que é aqui?”

Woof.

Não parecia haver muito Poder Mágico escapando das instalações do prédio, e não fomos capazes de sentir nenhuma presença lá dentro. Mas eu confiava no faro de Urushi. Se ele disse que este era o lugar, então provavelmente era.

“Mas por que um templo?”

O lugar que Urushi nos levou era, sem sombra de dúvidas, um local de adoração, uma casa de Deus.

As práticas religiosas deste mundo não discriminavam diferentes seitas ou cultos. Todos os templos eram dedicados a todos os Deuses. Pessoas de certas raças e ocupações poderiam acabar tendo uma dedicação maior por determinado Deus, mas nunca chegava a ser uma diferença muito grande.

Em suma, a igreja era uma organização simples e impotente. Ela nunca nomeava nenhum papa ou pontífice. Este era o resultado da crença do povo de que era proibido usar os nomes dos Deuses para interesse próprio. Era dito que qualquer um que cometesse tal tabu logo seria visitado pela morte. Para mim, isso só parecia um tipo de lenda urbana, contudo, os habitantes deste mundo acreditavam que isso fosse real. Eu não poderia me impedir de sentir que se aplicássemos esse axioma nas organizações religiosas da Terra, isso resultaria em cerca de 80% de seu pessoal sendo apagado.

Havia um tipo de posição equivalente a um Padre, mas isso não tinha nada de especial. Padres eram apenas responsáveis por gerenciar seus templos, e isso era tudo. Qualquer um poderia se tornar um Padre, contanto que a pessoa tivesse a habilidade Oráculo.

Classes poderiam ser consideradas uma das bênçãos dos Deuses, e assim, qualquer um poderia mudar seu emprego em qualquer templo ao simplesmente oferecer uma oração. Cada oração seria acompanhada de uma taxa de três mil Gorudo para o templo pagar seus custos de manutenção e manter seus Padres fora da miséria.

A pessoa também poderia mudar de classe na Guilda dos Aventureiros, assim como Fran fez duas vezes no passado3. O motivo para isso era a posse, por parte da Guilda, de um item mágico que tinha essa capacidade. Eu assumi que esse item fosse considerado uma blasfêmia, mas, ao que tudo indicava, todas as informações que eu obtive me diziam o contrário.

De qualquer forma, chega de divagar. Deixando tudo isso de lado, um templo ainda é um templo. Fazia sentido que a Proteção Divina dos Deuses prevenisse qualquer coisa indesejável de entrar em seu território.

Portanto, com isso em mente, como diabos Rynford conseguiu entrar lá? O homem estava totalmente conectado com o Deus Maligno. Sem qualquer dúvida.

“Mas o que diabos está acontecendo aqui?”

— Vamos saber assim que entrarmos.

Woof!

“Te-tem razão, eu acho…”

Eliminamos nossas presenças enquanto nos aproximávamos do prédio. Não havia nenhuma porta nos fundos, e as janelas eram pequenas demais para se entrar, até mesmo para Fran. Elas foram construídas apenas para deixar a luz entrar no interior da construção.

Espiar pela janela não nos recompensou com nenhuma pista. Mesmo assim, conseguimos sentir uma leve energia mágica.

“Posso sentir uma energia gritante e maligna nesta magia, então tem que ser ele… mesmo assim, por que o templo?”

Nunca entramos em nenhum templo, mas passamos por alguns às vezes. A magia que sentimos em todas essas ocasiões era pura. O que sentimos aqui era muito mais sinistro para fazer parte do mesmo tipo.

Parece que vamos ter que invadir…

“Muito bem… vamos nessa.”

Nos concentramos enquanto dávamos a porta um gentil empurrão e nos preparamos para entrar.


Tradutor:



Notas

[1] Os piroxênios são um importante grupo de cadeia simples encontrados em múltiplas rochas. Os piroxênios são minerais muito comuns nas rochas vulcânicas, com destaque para os basaltos.

[2] Essa espada foi obtida de Gyuran, o Gato Azul contratado por Auguste para matar Fran no capítulo 43.

[3] A primeira vez que Fran escolheu sua classe foi no capítulo 19, quando ela se registrou na Guilda dos Aventureiros como uma Espadachim Mágica. No capítulo 57, após voltar do Calabouço infestado de aranhas, ela recebe um desconto de Klimt para mudar sua classe mais uma vez, sendo mencionado no capítulo seguinte que ela se tornou uma Guerreira Mágica.



Fontes
Cores