TER – Capítulo 138 – Eu quero Pedras Mágicas


— Eu gostaria de oferecer a você meus agradecimentos por sua assistência.

— Nn.

Phillip apareceu não muito depois de terminarmos de distribuir pão de curry. Era um pouco tarde, então Urushi já tinha há muito desmaiado dentro da sombra de Fran. Mesmo assim, decidimos deixar o Cavaleiro entrar, considerando como ele chegou ao ponto de nos visitar.

No início, eu estava um pouco surpreso em ver que ele estava desprotegido, mas logo racionalizei isso. Phillip era incrivelmente forte, então, para ele, guardas eram mais um luxo do que uma necessidade. Era natural para ele vir sozinho se levássemos em conta o quão necessitada a cidade estava de mão de obra.

A primeira coisa que ele fez após chegar foi entregar a Fran uma caixa cujos lados mediam cerca de trinta centímetros. O recipiente de madeira era preto, mas não de forma artificial. Ele parecia ser feito de ébano.

— Esta é sua recompensa. Nós teríamos realizado uma grande cerimônia em reconhecimento a seus esforços, mas, infelizmente, nossas atuais circunstâncias não nos permitem isso.

— Não me incomodo. Não quero me destacar.

— Estou feliz de ver que é assim que você se sente sobre o assunto. O magistrado declarou que gostaria que minimizássemos toda e qualquer publicidade relacionada ao incidente da última noite.

Um escândalo envolvendo um marquês era algo grande demais que poderia envolver toda a nação a qual ele servia, assim, o país queria fazer todo este fiasco parecer o menor possível.

Na verdade, eles foram tão zelosos em restringir o conhecimento sobre os detalhes do evento que eles nem anunciariam que a família Krysten era a responsável pelo incidente. Ou melhor, eles não podiam.

A casa do lorde estava envolvida na limpeza dos eventos da última noite. Eles não apenas mantiveram o crime fora da repercussão do desastre, como também generosamente compensaram o povo de Barbola por suas perdas. Anunciando que eles eram culpados pelo incidente resultaria em uma perda de confiança, e, deste modo, fariam a atual situação se degenerar ainda mais. Aos olhos do país, esse era um cenário que eles desejavam evitar a qualquer preço. Em outras palavras, o nação decidiu não punir os Krysten. Ao invés disso, eles foram encarregados da restauração de Barbola a sua glória original.

— Meu pai e eu planejamos tornar nossos pecados públicos, mas como nobres, não podemos ir contra os desejos da corte. É triste, mas também não podemos anunciar os pecados de meus irmãos.

— Com Bluke. O que aconteceu?

— Nem Bluke nem Waint são mais humanos. Ambos perderam a capacidade de raciocinar, e assim, não temos escolha além de mata-los. Nós ainda não determinamos o método de execução, mas não tenho dúvidas de que eles logo pagarão por seus crimes. Como não podemos informar os cidadãos de nossos delitos, vamos anunciar que a causa oficial para as mortes deles foi uma doença.

É, eu imaginei que algo assim pudesse acontecer.

A expressão de Phillip ficou amarga assim que ele falou de Waint e Bluke. Ele parecia apreensivo. Meu palpite era que ele ainda amava seus dois irmãos, apesar de suas ações e atuais estados.

— Eu peço desculpas, mas não podemos te creditar publicamente pela prisão de Bluke.

— Não me importo mesmo.

Quer dizer, recebemos uma recompensa mesmo assim, então, quem se importa?

Phillip parecia muito incomodado com a falta de crédito que receberíamos durante sua visita, mas nós rejeitaríamos qualquer cerimônia, desfile ou coisas do tipo. Na verdade, nós preferíamos muito mais que as coisas fossem desse jeito.

— Mestre. Vou abrir agora.

“Manda ver. Estou muito curioso sobre o que eles nos deram.”

Fran abriu seu prêmio logo após Phillip partir, apenas para descobrir que ele estava repleto de objetos de valor.

A primeira coisa que atraiu meus olhos foi uma pilha de moedas de ouro que juntas valiam um milhão de Gorudo. O resto da caixa estava cheio até a borda com joias. Nós participamos de tudo isto pensando que estávamos trabalhando de graça, então estávamos muito felizes por sermos recompensados, especialmente com tanto dinheiro.

“Vir para Barbola com certeza nos fez lucrar muito.”

— Nn. Posso comprar muito.

“Yeah. Você está pensando em comprar algo em especial? Como comida?”

— Quero isso também. Mas não é o que tenho em mente.

Espere, Fran quer algo que não é comida? Isso é raro. Ela finalmente vai comprar algo fofo e feminino? Ou talvez alguma roupa extravagante?

Tá bom, não é isso.

— Vou comprar Pedras Mágicas.

“Huh? Pedras Mágicas?”

— Nn. Vou comprar Pedras Mágicas para o Mestre absorver. Visando aumento de rank. Barbola deve ter muitas.

“Tem certeza?”

O pensamento de comprar Pedras Mágicas para absorção era algo que considerei em minha consciência. Mas me parecia que todo o dinheiro que conseguíamos pertencia a Fran. O mesmo valia para poções, armaduras, materiais e todos os outros itens. Ela fica com tudo, enquanto eu fico com as Pedras Mágicas. Essa é a forma que eu via nossa relação em minha cabeça.

No entanto, eu entendia que eu ficando mais forte era o mesmo que ela ficando mais forte, então não era como se estivesse a privando de fundos sem nenhum benefício.

Além disso, imaginei que isto acabaria acontecendo em seu devido tempo.

Na verdade, sempre pensei que nós acabaríamos tendo que nos tornar compradores bem agressivos de Pedras Mágicas. Cada aumento consecutivo de rank exigia mais Pedras Mágicas do que o anterior. Aumentar meu poder iria ficar muito mais difícil no futuro.

— Vou vender todos os itens desnecessários, comprar itens necessários, então gastar o resto em Pedras Mágicas.

“Acho que isso vai dar certo. Devemos conseguir uma grande variedade se perguntarmos para a Guilda dos Aventureiros e o Conglomerado Luciel.”

Se possível, eu preferia que colocássemos as mãos em Pedras Mágicas ou de monstros de nível superior ou monstros cujas Pedras Mágicas ainda não obtivemos.

Bom, acho que está na hora de vendermos os itens que não precisamos e que ficaram empilhados no armazenamento.


— Obrigado por esperar. Aqui está o que te devemos, podemos trazer a mercadoria que você pediu em breve.

— Nn.

Nós passamos no Conglomerado Luciel para nos livrarmos de todo o lixo que tínhamos em mãos. Vendemos todos os equipamentos mais fracos, nossos itens mágicos sobresselentes, e até as joias aleatórias que adquirimos. Na verdade, acabamos de terminar de fazer algo parecido na Guilda dos Aventureiros. Lá, vendemos todas as partes de Feras Demoníacas que não planejávamos usar. Nós tínhamos um bocado acumulado no armazenamento, então não havia problema.

É claro que também compramos todos os itens que precisávamos. Nosso inventário acabou parecido com isto:

 

-> Fantasma de Piroxênio (Espada Mágica).

-> Olhar da Morte (Espada Mágica).

-> Bolsa de Itens misteriosa.

-> Poção de Vida de Altíssimo Nível x 3

-> Poção de Vida de Alto Nível x 5

-> Panaceia x 3

-> Poção de Mana de Alto Nível x 3

-> Poção de Mana de Nível Médio x 5

-> Poções de Alquimia de Altíssimo Nível x 3

-> Poção de Reparação de Alto Nível x 1

-> Poção de Aumento de Habilidade x 1

-> Antídoto de Efeito Colateral x 3

-> Muitos ingredientes.

-> Suprimentos para acampamento.

-> Cadáveres.

-> Água envenenada.

 

A princípio, não estávamos tão certo se queríamos ou não vender o Manto de Hades ou a Espada Curta da Serpente Rei. Mas após refletirmos um pouco, acabamos decidindo nos livrar desses itens.

Ufa, esvaziar nosso inventário fez eu me sentir revigorado.

Os dois equipamentos que compramos foram o Bracelete da Força Hercúlea e o Colar do Mago. O primeiro aumenta o atributo Força em vinte pontos, e o último fornece um pequeno aumento na magia. O atual equipamento de Fran era o seguinte:

 

-> Conjunto da Gata Negra.

-> Bracelete da Força Hercúlea.

-> Bracelete de Substituição.

-> Colar do Mago.

 

Acabamos ficando com cerca de quatro milhões e meio de Gorudo em mão após comprarmos os dois novos equipamentos.

Mesmo assim, meu senso de valores está ficando muito maluco. Eu estava pensando que o bracelete que compramos foi bem barato, apesar de custar um milhão e duzentos mil.

“Acho que vamos gastar o resto em Pedras Mágicas.”

— Nn.

— Certo, sobre aquelas Pedras Mágicas que você queria…

Hmm, Capitão Rengil está todo hesitante. Parece que eles não deviam estar tão dispostos a vender isso para nós.

— Barbola está passando por uma enorme escassez de Pedras Mágicas.

— Por quê?

— A Guilda dos Alquimistas estava comprando todas elas. Temos apenas algumas poucas Pedras de rank D.

— Ainda tem algumas?

— Poucas, mas todas pertencem ou a Gullinburstis ou a Apis, e me lembro de você dizer que não tinha interesse em nenhum desses.

Portanto, eles só têm coisas que você pode obter na região?

— A escassez no suprimento também foi causada pelo preço que cresceu de forma excepcional. Os preços chegaram a quase duas vezes mais do que o normal.

Pelo amor de Deus Zerais! Seu desgraçado! Merda, você nos deve muito mais do que apenas um braço. Maldito seja, seu imbecil!

“E agora?”

“Uhhh, bom, não temos muito o que fazer.”

A Guilda dos Aventureiros tinha uma política de ser contra a venda de Pedras Mágicas para qualquer um, menos para organizações. O único lugar em Barbola que poderíamos tentar era o Conglomerado Luciel. Então, uh, é isso. Nós estávamos praticamente sem sorte.

— As únicas Pedras Mágicas que temos em estoque são as pedras sucateadas.

— Pedras sucateadas?

— O termo se refere as Pedras Mágicas que vêm de Goblins, Camundongos com Presas, e outras Feras Demoníacas de rank G ou menor.

— Tem essas em estoque?

— Nós temos. Na verdade, a escassez de Pedras Mágicas tem durado muito tempo, então compramos essas para experimentar, mas não conseguimos encontrar nenhuma utilidade para elas, dessa forma, elas estão apenas ocupando espaço.

“Mestre?”

“Parece bom para mim.”

Goblins tinham todos os tipos de habilidades, dessa forma, não vi nenhum mal em prosseguirmos com a compra.

Acabamos comprando um total de duzentas pedras sucateadas, em conjunto com quinze pedras um pouco melhores que eu ainda não tinha absorvido. Não fazíamos ideia de que habilidades elas continham, mas, sendo sincero, isso não importava. De qualquer forma, elas valiam seu peso em pontos de Pedra Mágica.

— Tem certeza que você quer essas? Elas são pedras sucateadas, entende?

— Não ligo.

— Muito bem então. Estou honestamente grato por você as tirar de minhas mãos, então vou te oferecer um pequeno bônus.

Nós terminamos com um total de cem mil Gorudo em Pedras Mágicas. Ao que parecia, seus preços não aumentavam muito até que elas chegassem ao rank D. Pedras Mágicas de rank E ou menor eram usadas como mercadorias do cotidiano, então elas eram muito baratas. Mesmo a Pedra Mágica mais cara, uma que vinha do Apis de Pedra de Gelo, só nos custou três mil Gorudo.

Eu logo comecei a absorve-las assim que chegamos na estalagem.

— Mestre. Pronta.

“Agora sim, é isso aí! Hnnnnnnnngggg!!”

Eu fiz Fran colocar todas as Pedras Mágicas que ela tinha em uma banheira vazia e mergulhei no momento que estava tudo pronto.

Então você deve estar se perguntando: — O que diabos essa maldita espada está fazendo?

Bom, veja bem, a resposta é… tomando um banho de Pedra Mágica. Você sabe, como aquelas pessoas que de repente ficam super-ricas e começam a encher uma piscina com dinheiro? Pois bem, é o que estou fazendo, mas com Pedras Mágicas ao invés de notas de dólar.

Caramba! Estou imerso em Pedras Mágicas. Isto. É. Felicidade.

— Mestre, se divertindo?

“Com certeza estou! Yahooooo!!!”

Absorver Pedras Mágicas uma de cada vez seria uma enorme dor de cabeça, então acabei pensando neste método em nome da eficiência.

Puxa, isto é incrível! Me sinto extremamente rico! Esta é a sensação de estar cheio da grana! Merda, me sinto como um esnobe metido a besta agora, mas quem se importa!!

“Issoooooo aíííííííí!!!”

Até o menor dos movimentos me fazia absorver as Pedras Mágicas ao meu redor. Eu podia sentir seu poder fluindo para mim. Hnnnngg!

E assim, dez minutos se passaram.

— Mestre…

Au

“Me perdoem…”

Eu só percebi mais tarde que fiz algo impróprio. Eu devia ser o guardião de Fran, então agir assim não era exatamente a melhor das ideias. Ah, droga, agora seus olhares se tornaram frios. Ambos estão me olhando como se eu fosse algum tipo de esquisitão. Parem com isso, Fran, Urushi! Seus olhos queimam!!

“Vo-vocês querem alguma coisa? Sintam-se livres e não se acanhem.”

— … tudo que puder comer de curry. Uma semana.

Au.

“Cla-claro, por que não?”

— Nn.

Au.

Muito bem, vou precisar ser um adulto responsável. Hora de recuperar minha dignidade como um guardião.

“Eu-eu acabei conseguindo cerca de setecentos ponto de Pedra Mágica.”

— Quantidade decente.

Au!

Meu status ficou da seguinte forma:

 

Autoevolução Rank 11
Pontos de Pedra Mágica 5.169/6.600
Memória 100
Pontos de Evolução Restantes 2
NOVAS HABILIDADES
Detectar Malícia Lv1 Técnicas com Espada Maligna Lv1 Magia de Ilusão Lv1 Técnicas com Espada Fina Lv1 Habilidades com Espada Fina Lv1 Técnicas com Cajado Lv1

 

Tá legal, isso não está funcionando. Os olhares deles ainda estão gelados.

“En-então, que tal fazermos uma rápida visita ao Príncipe e a Princesa antes de partirmos para Ulmut?”

— Concordo.

“Isso, vamos lá!”

— Nn.

Au!

Ufa, acho que ambos voltaram ao normal agora.

Os dois se viraram no momento que esse pensamento cruzou minha mente. Fran e Urushi inclinaram suas cabeças e me olharam, suas ações em perfeita sincronia. Quase parecia que eles tinham planejado isso com antecedência.

— Não esqueça do tudo que puder comer de curry.

Au, Au.

“Sim senhora.”


Tradutor:




Fontes
Cores