TER – Capítulo 140 – A noite antes de nossa partida


Nota do autor (Tanaka Yu):

Alguém me sugeriu que seria melhor colocar Bluke e Waint na lista de casualidades do incidente ao contrário de pessoas que morreram devido a uma doença logo após o ocorrido, então vou alterar um pouco essa parte.


Acabamos encontrando alguém de pé na frente da estalagem enquanto seguíamos nosso caminho de volta para ela.

— Colbert?

— Ó, aí está você. Ei.

— Fazendo o quê?

— Acabei escutando que você poderia logo deixar a cidade, então estava pensando em talvez te pagar uma refeição. Eu tenho um restaurante muito bom em mente.

— Nn. Ansiosa por isso.

— Por favor, fique mesmo. Eu também convidei As Donzelas Escarlate. Vamos nos divertir muito.

— Nn. Parece bom.

— Não é? Tem uma coisa que estive querendo te perguntar. Como está o mestre? Ele foi afetado pelo incidente? Ele acabou sofrendo algum tipo de ferimento?

— Sem problemas. Já curado.

Todos os meus ferimentos já se regeneraram, então eu estava perfeitamente bem.

— Qu-qu-qu-quê?! Ele está mesmo bem!? Se-seus ferimentos tiveram algum tipo de efeito negativo!? Nó-nó-nós temos que conseguir uma poção para ele! Uma poção de alta qualidade se possível!

Colbert, ao que parecia, pensou que isso fosse algo sério, já que ele agarrou Fran pelos ombros e começou a gritar na mesma hora. Era uma ação que provavelmente a faria bater nele se ele não fosse um de seus companheiros.

— … nn.

Mas como ele era, ela acabou ficando espantada por essa súbita ação, e mal conseguiu espremer uma resposta.

Verdade, Colbert era um dos meus fãs, por algum motivo estranho.

E agora que penso nisso, ele nos ajudou muito. Ele desempenhou um enorme papel tanto na luta contra as Feras Demoníacas quanto nos ajudando no concurso de culinária. Se possível, eu gostaria de agradecê-lo… hmmm…

“Mestre?”

“Diga a ele que vou me juntar a vocês por duas horas. Estou planejando me juntar com um doppelganger1.”

O único problema era que meus doppelgangers sempre iriam aparecer vestindo uma camiseta, uma calça e um par de sandálias. Mesmo assim, a aparência citada era algo que meus doppelgangers começaram a adotar recentemente, muito porque eu consegui me acostumar com a habilidade. No passado, eu costumava aparecer com a capa de Fran, considerando isso, as aparências dos doppelgangers devem ter relação com o level da habilidade e minha capacidade de imaginar roupas. Me lembro da Locutora do Sistema criando todos os clones que ela invocou com armaduras de bela aparência, então devo conseguir tudo isso também se aumentar o level da habilidade mais um pouco.

Mas, de qualquer forma, sinto que acabarei decepcionando Colbert se me vestir assim. Na verdade, eu duvidava que o estabelecimento fosse até permitir minha entrada. Devia ser melhor que eu aderisse as regras de vestuário. Espere, usar um sobretudo não seria melhor? É, acho que vou fazer isso.

“Entendido. Colbert vai ficar contente.”

A animação de Colbert atravessou o teto no momento que Fran transmitiu a ele minhas intenções.

— Qu-quê!? O Mestre vai finalmente fazer sua aparição, foi isso que você disse!?

— Nn.

— Então não posso apenas me contentar ao leva-lo para um salão de jantar na periferia da cidade!

— Mas estava tudo bem me levar lá?

— Não tenho escolha além de usar todas as minhas conexões e reservar o mais fino dos restaurantes!

— Não importa, contanto que seja gostoso.

— Eu devo procurar um restaurante apropriado imediatamente… espere, não… seria muito rude se eu levasse o maior chef do mundo para um mero restaurante… devo caçar a presa agora e prepara-la eu mesmo… me lembro de rumores de um dragão fazendo um ninho na Jaula da Árvore de Cristal…

Puta merda.

As três garotas se aproximaram enquanto tentávamos descobrir como acalma-lo.

— Qual o problema Colbert?

— Isso é meio bizarro e nojento…

— O fato de que eu o admiro como um aventureiro me faz querer chorar.

Parecia que inseri-las no meio da conversa fez a magia, pois ouvir as três o criticando fez Colbert recuperar seus sentidos.

— Ó, ei. Quando as senhoritas chegaram aqui?

— Estamos mais interessadas no que estava acontecendo com você.

— Nojento.

— Aconteceu alguma coisa?

— Sim! Vejam…

Ah, porcaria. A pergunta de Lydia acabou fazendo Colbert voltar a sua loucura.

Por sorte, no fim, as quatro garotas conseguiram arrasta-lo para o lugar que ele inicialmente reservou.

E assim, trinta minutos se passaram.

Chomp, chomp, chomp, chomp.

— Bom? Que tal? Bom, não é?

— Mmphnom.

A comida parecia incrivelmente deliciosa. Fran empurrou dez pratos por sua garganta, e ainda não tinha parado.

— Você ouviu sobre a Guilda dos Alquimistas? Parece que eles planejam enviar alguns funcionários da capital para cá com o objetivo de reorganizar a filial de Barbola.

— Eles costumavam ter prioridade na compra de pedras mágicas, mas, ao que tudo indica, eles vão perder esse benefício. Na verdade, eles agora vão até ter restrições e limites de compra.

É, imaginei que eles não se livrariam por completo da Guilda dos Alquimistas. Barbola é uma cidade com um vasto número de recursos disponível. O benefício de ter pessoas fazendo pesquisas aqui compensa em muito custos potenciais.

Além disso, as recém-colocadas restrições devem impedir que incidentes parecidos com esse aconteçam de novo. Com sorte…

— Eu também ouvi que ambos o segundo e terceiro filho do lorde morreram como resultado dos eventos do incidente.

— Ó, os dois idiotas, não é?

— Imagino que eles foram mortos pelas monstruosidades?

Hã, pensei que Phillip disse que eles alegariam que os dois morreram por causa de uma doença? Dizer que eles morreram no incidente deve trazer compaixão para a casa e pode fazer com que o povo dê a família Krysten seu apoio. Phillip não parecia tão disposto a fazer algo como isso, então imagino que eles devem ter recebido uma ordem para mentir.

— Parece que há muitos rumores por aí, mesmo que tudo tenha acontecido apenas na última noite.

— Ó, é verdade, eu ouvi algumas pessoas falando como estão preocupadas que este foi um sinal da ressurreição do Deus Maligno.

— Eu também ouvi rumores sobre como outro país esteve puxando as cordas por detrás dos bastidores.

— Há até um grupo que diz que um demônio foi responsável por matar todas as monstruosidades e salvar a cidade.

— Ó, qual é, essa última é claramente impossível. Em primeiro lugar, por que um demônio estaria na cidade?

— Essa é a forma como rumores funcionam.

As três Donzelas Escarlate estavam tentando dar sequência a conversa, embora com o uso de rumores, mas Fran estava ocupada demais comendo para prestar atenção nelas. Elas logo notaram, porém, não se incomodaram muito. Ao invés disso, elas acabaram apenas rindo de forma embaraçosa antes de se juntarem a gula dela.

E assim, o resto da noite basicamente terminou em um festival de gordice.

— Este lugar é bastante famoso por seus preços baixos e boa comida.

— A carne que eles vendem também é deliciosa.

— Eu poderia apenas continuar comendo isto para sempre.

— Ó, ei vocês três, pelo menos se contenham um pouco!

— Comida grátis é sempre a comida mais deliciosa que você pode encontrar.

Isso parecia muito bom. A atmosfera estava muito animada, assim, eu queria me juntar a eles. De qualquer modo, estava quase na hora.

“Fran, está na hora.”

— Buscando mestre. Vou voltar logo.

— Por favor, me permitia ir com você! Eu simplesmente tenho que o cumprimentar assim que ele chegar!

Isso é um pouco preocupante. Eu estava planejando usar Síntese de Doppelganger do lado de fora do estabelecimento.

“Teleporte.”

“É, acho que não tenho mesmo outra escolha, tenho?”

— Um pouco longe. Vai precisar de um minuto.

Eu me teletransportei para longe e fiz um doppelganger. Normalmente, Fran seria capaz de nos teletransportar de volta, mas isso não parecia estar funcionando. Isso costuma dar certo porque sou contado como uma peça de equipamento, mas um doppelganger humanoide não era, uh, um equipamento. Por sorte, isso não importava porque meu doppelganger ainda podia usar Magia de Espaço-Tempo.

Dessa forma, nos teleportamos de volta ao restaurante.

Eu estava vestindo um enorme sobretudo por cima da minha camiseta. Eu seria taxado de suspeito lá no Japão na mesma hora, mas, que seja, as coisas eram assim.

— Trouxe ele.

— É-é. Então ele é…

— Prazer em conhecê-los. Eu sou o mestre da Fran.

— É-é-é um enorme prazer conhecê-lo! Sou Colbert e um enorme fã de sua culinária. A comida que você faz é excelente, seja o curry, sushi, ou os pratos servidos durante a competição. Por favor, permita-me ser um de seus discípulos!

— Sinto muito.

— Ele foi recusado na mesma hora!

Errrr, eu não estava esperando que ele pedisse isso, especialmente de cara. Merda, isso estragou o clima?

— Droga… acho que não há o que fazer, considerando como não sou tão talentoso como a Senhorita Fran logo ali.

Felizmente, ele acabou aceitando de forma estranha sua rejeição, o que, sendo sincero, fez eu me sentir um pouco inseguro. Eu estive desejando agradece-lo, mas, ao invés disso, acabei fazendo algo rude.

Eu logo o entreguei algo para compensar por meu ato. Planejei dar isso a ele mais tarde como forma de agradecimento, mas o momento pareceu funcionar com perfeição.

— Não posso torna-lo um dos meus aprendizes, mas posso te dar isto.

— Isto… ? Espere! O qu-qu-quê!? Você só pode estar brincando! Está mesmo tudo bem me dar isto!? Eu estou sonhando!?

— O que você recebeu Colbert?

— Nojeeeentoooo.

— Isso deveria ser algum tipo de mapa do tesouro?

— Cale a boca Lydia, você está sendo grosseira! A-ahh, é verdade, assim, como estava dizendo, muitíssimo obrigado por me dar algo tão valioso!

A coisa que eu o dei era minha receita de curry de arroz. Estou feliz por ele ficar tão contente por recebe-la, valeu a pena o presentear com isso.

O Conglomerado Luciel pediu para comprar a receita do pão de curry quando estávamos procurando por pedras mágicas, dessa forma, imaginei que seria uma boa ideia entregar cópias de minhas receitas de curry para todos que nos ajudaram.

Naturalmente, eu sabia que o conglomerado não ficaria muito feliz conosco dando a receita de curry de arroz de graça se eles acabassem comprando a do pão de curry, mesmo que os dois fossem, em termos técnicos, pratos diferentes. Mesmo assim, nós ainda precisávamos de dinheiro para comprar pedras mágicas. Assim, acabamos dando a eles várias outras receitas sem cobrar muito para acalma-los. Como resultado, eles por fim concordaram a nos deixar dar a receita do roux2 de curry.

As outras pessoas que planejamos dar a receita eram Io, o velhote da Guilda dos Chefs, e o cozinheiro da estalagem em que estávamos hospedados.

Eu amaria muito que esse prato acabasse se tornando a especialidade de Barbola ou algo parecido. Estou mesmo ansioso em ver todas as variações que poderão surgir da receita.

Mas, é, a festa continuou com bastante tranquilidade. Nós conseguimos acalmar Colbert e nos divertimos.

Essa acabou sendo a primeira festa da qual eu fiz parte desde que reencarnei. Quer dizer, estou totalmente bem em ser uma espada, mas isto também não é nada ruim. Para ser sincero, eu aproveitei as duas horas que passei com eles.

Parecia que Fran também teve uma noite muito boa. Ela chegou até a cantarolar no chuveiro após voltarmos para a estalagem.

— Au…

“Aqui está um hambúrguer superapimentado. Coma e se anime um pouco.”

— Au…

Urushi estava muito decepcionado com o fato de que ele não pôde se juntar a nós, e assim, acabou deixando de provar muitas comidas deliciosas.

“Não se preocupe, haverá muita coisa boa para comer no futuro, portanto, se anime, tá legal?”

— Au…

E assim, a manhã chegou.

A primeira coisa que fizemos foi seguir para o portão de Barbola com um céu azul limpo acima de nós.

“Parece ser um bom dia para partir em uma jornada.”

Eu logo revisei nossos planos para confirma-los.

Vamos partir para Ulmut; essa viagem vai nos custar cinco dias.

Vamos então nos aventurar nos dois calabouços da cidade e passar de level antes de finalmente participar da competição de artes marciais da cidade. Acho que não é preciso dizer, mas nosso objetivo será a vitória.

“Ulmut, huh? Estou mesmo animado com isso.”

— Aventura no calabouço.

— Au!

“Compramos tudo que precisávamos comprar, aprendemos tudo o que precisávamos aprender, e até nos despedimos de todos que importavam.”

Amanda chorou em resposta a nossa partida. Ela não iria partir até que o orfanato voltasse ao normal, mas parece que ela estava planejando se encontrar conosco em Ulmut assim que isso fosse resolvido.

“Com sorte, estaremos muito mais fortes na próxima vez que nos encontrarmos com ela.”

— Nn. Com certeza vamos estar.

“Yup. De qualquer modo, acho que está na hora de partirmos.”

— Nn.

— Au!


Tradutor:



Notas

[1] Doppelgänger, segundo as lendas germânicas de onde provém, é um monstro ou ser fantástico que tem o dom de representar uma cópia idêntica de uma pessoa que ele escolhe ou que passa a acompanhar, o que hipoteticamente pode significar que cada pessoa tem o seu próprio. Também são conhecidos como duplo-eu ou sósia.

[2] Roux (do francês “vermelho alaranjado” ou “ruivo”) é uma preparação originária da culinária da França utilizada como base para molhos, sopas ou guisados; consiste em cozinhar farinha de trigo em manteiga derretida, até formar um creme espesso e homogéneo.



Fontes
Cores